sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Timo Glock a caminho da Toyota

Mais uma peça do quebra-cabeças da Fórmula 1 está muito perto de se encaixar. Nesta sexta, o site Autosport divulgou que a Tribunal de Reconhecimento de Contratros (CRB, na sigla em inglês) deu ganho de causa à Toyota no duelo contra a BMW pelo passe do alemão Timo Glock. Agora, o campeão da temporada 2007 da GP2 está livre para acertar com o time nipônico.

Por causa de uma falha de comunição, Glock assinou dois contratos para o ano que vem: um como titular da Toyota e outro para continuar exercendo a função de piloto de testes na BMW. O caso chegou ao CRB, que só tomou sua decisão hoje. A equipe alemã, apesar de ter perdido a queda-de-braço, não reclamou:

"Desejamos toda a sorte para Glock no prosseguimento de sua carreira na Fórmula 1", disse o chefe da BMW, Mario Theissen. Agora, parece ser questão de dias até que a Toyota confirme o alemão como companheiro de equipe de Jarno Trulli em 2008. Desde o início da dança das cadeiras para 2008, Glock sempre foi considerado o favorito na batalha pela segunda vaga do time nipônico.

Considerado um piloto rápido - embora nem tão consistente - Glock não deve conseguir fazer muita diferença na Toyota. Mesmo assim, o alemão não é uma má contratação. Muito pelo contrário: das opções disponíveis no mercado de pilotos, Glock certamente era uma das melhores. Em 2008, a disputa interna da Toyota provavelmente vai ser muito equilibrada. À primeira vista, Trulli e Glock parecem estar no mesmo nível.

Enquanto isso, a Toyota anunciou o japonês Kamui Kobayashi, de 21 anos, para o posto de piloto de testes em 2007. A mais nova revelação do país do sol nascente vai substituir o francês Franck Montagny, que se despediu da Toyota após os testes desta semana, em Barcelona. Quarto colocado no certame da Fórmula 3 Européia em 2007, Kobayashi está longe de ser um mal piloto.

Mas sua contratação é difícil de entender. Geralmente, o cargo de piloto de testes é ocupado por veteranos, experientes no acerto e no desenvolvimento dos carro. Era o caso de Montagny, por exemplo. A Toyota, porém, optou por assinar com um novato, que deve contribuir muito menos no avanço de seu modelo 2008. Será que vale a pena acertar com Kobayashi só porque ele é japonês, como a equipe?

Se continuar com essa política, a Toyota não vai conseguir chegar a lugar algum.

Crédito das fotos: www.gpupdate.net

2 comentários:

alex disse...

perfeito o final de seu texto, a toyota não vai chegar a nenhum lugar mesmo se continuar com essa frescura de privilegiar pilotos japoneses. Minhas sugestões para pilotos de testes (que podiam até virar titulares depois): Lucas di Grassi, Luca Filippi, Robert Donbos(sei lá como escreve) e Markus Winkelhock !!!!!

Rio Kart disse...

Concordo com a Alex sobre o final do texto. É aquela tendência suicida dos japoneses que você vez em outra nos lembra...

Abraço!