quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Os 10+ do Blog F1 Grand Prix: Os Dez Melhores Pilotos da Temporada 2007 - Números 6, 5 e 4

Continuamos, hoje, a contagem dos pilotos que mais se destacaram durante a temporada 2007, na primeira das listas especialmente montadas para fazer um balanço do campeonato recém-terminado. A ordem de hoje - já vou avisando - deve vai render polêmica. Sem perder mais tempo, vamos lá:

10. Heikki Kovalainen
9. Adrian Sutil
8. Robert Kubica
7. Sebastian Vettel
SEXTO COLOCADO - Nico Rosberg

O sexto lugar na lista é o mínimo que Nico Rosberg merece após sua espetacular temporada 2007. Batido por Mark Webber em seu ano de estréia, o alemão iniciou o campeonato cercado de desconfiança. Sua recuperação, porém, foi impressionante. Meses depois, ninguém mais ousava duvidar do potencial de Rosberg.

Por que, então, o herdeiro de Keke não fica mais à frente neste ranking? Muito simples: por mais que tenham sido excelentes as atuações de Rosberg, os resultados não acompanharam o mesmo ritmo. Se o sistema de pontuação fosse aquele que valeu até 2002, por exemplo, ele teria perdido a disputa interna para Alexander Wurz: 7 a 6.

Mas criticar Rosberg por esse motivo é uma injustiça. Em várias oportunidades, faltou sorte ou uma tática mais inteligente para o alemão chegar nos pontos. No fim, o nono lugar na tabela dos pilotos foi pouco. Considerando o desempenho de Rosberg, ele merecia estar um pouco mais acima. Afinal, algumas de suas corridas foram simplesmente sensacionais.

Já no primeiro G.P. do ano, na Austrália, Rosberg mostrou que a Williams não seria a lanterna que muitos esperavam. Com um ótimo sétimo, calou seus críticos e iniciou uma seqüência de boas performances, nem sempre recompensadas com pontos. Nessa fase do campeonato, apenas um sexto lugar na Espanha vale ser mencionado. De resto, muito azar e decepção. Em Indianapolis, por exemplo, Rosberg quebrou a poucas voltas do fim, quando era sexto.

Mas sua sorte virou na segunda metade do ano. Entre as corridas de Hungria e Bélgica, foram quatro chegadas consecutivas nos pontos. E depois, em Interlagos, ele foi quarto, derrotando a dupla da BMW na sua melhor corrida do ano. Rosberg terminou a temporada em tão boa forma que passou a ser considerado o principal candidato a substituir Fernando Alonso na McLaren. Uma oportunidade que, convenhamos, seria bastante merecida.

Pontos altos: Austrália, Bélgica e Brasil
Pontos baixos: Estados Unidos, Europa e Japão
Posição final no campeonato: 9º, com 20 pontos
Em 2008: Provável titular de Williams ou McLaren

QUINTO COLOCADO - Felipe Massa

Talvez posicionar Felipe Massa apenas na quinta posição da lista seja uma injustiça. Afinal, o piloto brasileiro mostrou toda a sua capacidade em 2007 ao vencer três corridas e desempenhar um papel vital na conquista do título de Kimi Raikkonen. Mas, apesar de tudo isso, não há como evitar um ar de certa decepção com o resultado final de Massa.

Dos quatro protagonistas da temporada, ele foi o único a chegar na finalíssima do ano sem possibilidades de levar o troféu de campeão. Não só por culpa de Massa, é claro. De qualquer maneira, o desempenho do brasileiro ficou, sim, um pouquinho abaixo do seu potencial. Considerando sua capacidade, Massa poderia ter conseguido muito mais.

No início do ano, o brasileiro precisava aproveitar as dificuldades de adaptação de Raikkonen à Ferrari para estabelecer-se como principal piloto da equipe. Nas duas corridas iniciais, porém, Massa começou patinando. Problemas mecânicos na Austrália e uma saída de pista na Malásia fizeram surgir as primeiras críticas ao brasileiro. Pressionado, Massa reagiu da melhor forma possível.

Duas vitórias incontestáveis, no Bahrein e na Espanha, colocaram a temporada do brasileiro de volta aos trilhos. Só que a Ferrari perdeu performance e Massa caiu junto com a equipe. Seguiu-se, então, o polêmico "erro do sinal" no Canadá, quando ele saiu do pit lane sem autorização e foi desclassificado. A partir daí, os resultados de Massa não seriam mais os mesmos: até o fim do ano, apenas mais um triunfo, na Turquia.

Tirando isso, alguns azares (Inglaterra, Hungria, Itália) e corridas sem inspiração (Bélgica, China) afastaram Massa da luta pelo título de vez. Seu prestígio na Ferrari, porém, permaneceu inabalado, principalmente depois que ele facilitou a vitória - e o título - de Raikkonen em Interlagos. Agradecida, a equipe vermelha renovou o seu contrato. Um justo reconhecimento para o esforço de Massa.

Pontos altos: Bahrein, Espanha e Turquia
Pontos baixos: Malásia, Canadá e Hungria
Posição final no campeonato: 4º, com 94 pontos
Em 2008: Titular garantido da Ferrari

QUARTO COLOCADO - Nick Heidfeld

Será exagero colocar Nick Heidfeld na quarta posição entre os melhores pilotos do ano? Depende do ponto de vista. Um fato, porém, é certo: nenhum piloto recuperou tanto a sua imagem ao longo da temporada 2007 do que Heidfeld. Pela primeira vez desde que conquistou com autoridade o título da Fórmula 3000, em 1999, o atual piloto da BMW está sendo tratado com bastante respeito.

Quanto a temporada começou, praticamente ninguém apostava em Heidfeld na disputa interna contra Robert Kubica. Mas o alemão surpreendeu. Adaptou-se muito bem aos pneus Bridgestone e emplacou uma série de resultados excepcionais logo de cara, conseguindo três quartos lugares consecutivos nos primeiros GPs. do ano.

No Bahrein, Heidfeld realizou uma ultrapassagem, por fora, simplesmente magnífica sobre Fernando Alonso. Estariam a BMW e o alemão perto de uma inédita vitória? Infelizmente, não. A Fórmula 1 iniciou sua fase européia e não demorou a ficar claro que Ferrari e McLaren estavam um degrau acima do resto. Nesse "resto", porém, o destaque principal era Heidfeld.

Sem possibilidades de discutir vitória, o alemão passou a exibir sua maior especialidade: catar resultados. Embora ainda não consiga criar oportunidades, Heidfeld sabe aproveitá-las quando elas aparecem. No Canadá, por exemplo, ele conseguiu um ótimo segundo lugar. Mais tarde, na Hungria, veio o único outro podium do ano, quando o piloto da BMW foi terceiro.

Heidfeld pode não ter sido espetacular, mas foi eficiente ao extremo. Vejam só: em 17 corridas, o alemão pontuou em 14. O mesmo número de Felipe Massa, por exemplo. Contrariando a expectativa de muitos, Heidfeld conseguiu estabelecer-se na BMW. Agora, ele é peça chave na equipe. Para o reconhecimento final, falta apenas apagar a única mancha no currículo: o fato de nunca ter vencido um G.P. na Fórmula 1.

Pontos altos: Bahrein, Canadá e Hungria
Pontos baixos: Espanha, Estados Unidos e Japão
Posição final no campeonato: 5º, com 61 pontos
Em 2008: Titular garantido da BMW

A seção Os 10+ do Blog F1 Grand Prix volta amanhã, apresentando os número 3, 2 e 1 da lista dos Dez Melhores Pilotos da Temporada 2007. E hoje, ao longo do dia, comentários sobre as principais notícias do mundo da velocidade. Até mais!

Crédito das fotos: www.gpupdate.net

9 comentários:

caio disse...

Continua muito boa a lista, só não concordo quando voce diz que o Heidfeld é esse primor de eficiência. O carro dele é que era bom, na minha opinião para ele estar sempre nos pontos. Sobre o Massa concordo com o quinto lugar, ele não merece estar muito acima disso.

aurélio disse...

Gustavo, é bom lembrar que esses erros do Felipe Massa na Inglaterra e da Hungria podem ter sido dele também! Não temos como saber se ele deixou morrer o carro na Inglaterra e se ele não entendeu alguma comunicação da equipe na Hungria. E na Hungria ele foi mal mesmo, na corrida também não foi só azar. Só considerando as três vitórias entendo o quinto lugar, eu teria colocado ele por aí também.

Um abraço.

alex disse...

pouco difícil adivinhas os tres que ainda faltam hein??

Minha ordem:

3) Alonsito
2) Little Hamilton
1) ICEMAN!!!!

Rio Kart disse...

Eu estava achando até que você colocaria o Heifeld mais pra cima, achando não, pensei que era possível, mas improvável. Porém, Nick mostrou mais uma vez sua sina: o campeao do resto. 4º lugar. Mais que isso era mesmo quase impossível dele ficar.

É duro ver o Felipe em quinto. Foi um bom ano, ao meu ver. Recordista nos Best Laps, se não me engano, mostrou isso, é rápido. Mas Hungria foi mesmo um fiasco, caiu com a Ferrari e não teve a mesma reabilitação do seu companheiro de equipe.

Top 3!

Leandro disse...

É, agora vc conseguiu ser polêmico com o Massa e Heidfeld, rs...entendi seu ponto de vista, mas acho q o Heidfeld naum fez um final de temporada taum convincente e seria superado pelo Kubica se ele naum tivesse o erro ridiculo do pit stop na Italia e o problema na China (quando ele tinha grandes chances de conquistar um otimo resultado)...e o Massa, pelas vitorias em momentos dificeis e pelas poles na minha lista seria 4º...e embora vc tenha listado as bobeiras do Massa, acho q os erros da equipe foram mto piores...mas eh isso aih, rs
Ateh!

Priscilla Bar disse...

Concordo com sua lista.Inclusive na posiçao do Massa e do Heidfeld.

Abraços,

Blog Guard Rail

Felipe Maciel disse...

Bem lembrada a ulltrapassagem do Heidfeld sobre o Alonso! Aquela foi das boas...

Blog F1 Grand Prix disse...

Obrigado a todos pelas mensagens!

Caio: É verdade que Heidfeld tinha um carro bom à disposição, mas o alemaõ soube se beneficiar de praticamente todas as chances. Quando alguém do G4 tinha problemas, era sempre ele quem estava ali para aproveitar.

Valeu mesmo pelos comentários, só não respondo todos porque estou realmente sem tempo!

Grande abraço

Gustavo Coelho

Guilherme (RJ) disse...

Acho que você foi benevolente com o Massa. Torço muito por ele, mas não poderia ficar alijado do campeonato tão prematuramente. É agressivo, mas muito instável ainda.

E concordo que o Heidfeld fez o estilo 'aproveitador' de oportunidades, um pouco parecido com o Lewis.

Abraços!!