terça-feira, 2 de outubro de 2007

O boato (improvável, mas não impossível) do dia: Dennis e Hamilton de mudança para a Prodrive em 2008

A agência de notícias espanhola EFE lançou uma hipótese mirabolante, mas não totalmente absurda para explicar o cenário atual da silly season da Fórmula 1. Segundo a matéria, Ron Dennis e Lewis Hamilton poderiam se transferir para a Prodrive - equipe que vai estrear na categoria em 2008 - como resultado de uma cisão que ocorreria dentro da McLaren.

Na teoria da EFE, o time prateado se dividiria em dois a partir da próxima temporada. Uma das equipes ficaria sob o comando da Mercedes, com Fernando Alonso encabeçando a dupla de titulares. Pelo visto, se tudo acontecer da forma como a agência espanhola imaginou, Pedro de la Rosa seria o segundo piloto da equipe.

Ao mesmo tempo, Ron Dennis, Lewis Hamilton e o diretor-executivo da McLaren, Martin Whitmarsh, mudariam-se para a Prodrive, equipe que já tem uma parceria garantida com o time prateado para a próxima temporada. Na escuderia novata, Hamilton continuaria dispondo de um pacote de ponta, já que o chassis e o motor permaneceriam sendo os mesmos da co-irmã Mercedes.

Claro que todas essas possibilidades são um pouco remotas, mas têm um pingo de veracidade. Na situação atual, é bem difícil imaginar Lewis Hamilton e Fernando Alonso na mesma equipe em 2008. O ambiente entre os dois está muito desgastado, embora a relação da dupla continue sendo extremamente profissional.

Além disso, existem outros motivos para acreditar na hipótese da EFE. Um deles seria a não necessidade de pagar a multi-milionária multa de 100 milhões de dólares que a McLaren recebeu pelo seu envolvimento no caso de espionagem. Rebatizado de "Mercedes", o time ficaria livre da sanção.

Mesmo assim, apesar de tudo isso, duvido que a teoria da agência espanhola se torne realidade. A história até faz sentido, mas é complicada demais para o meu gosto. Nenhuma equipe de ponta da Fórmula 1 passa por tantas mudanças bruscas de um ano para o outro. Imaginar a McLaren dividida em duas é até possível. Porém, se tivesse que apostar, jogaria minhas fichas na possibilidade mais garantida.

Será que Ron Dennis tem interesse em deixar a equipe que ele construiu em décadas só por causa da multa e de Alonso? E Lewis Hamilton? Aceitaria o desafio da Prodrive sem totais garantias de que seria tratado com os mesmo recursos que a Mercedes colocaria à disposição de Alonso? Por tudo isso, digo que a McLaren continua uma só em 2008.

O mais provável é que a Prodrive se torne uma espécie de equipe satélite, utilizando o chassis da McLaren e o motor da Mercedes. Para que isso venha a acontecer, porém, é necessário que a FIA esclareça, rápido, aspectos do regulamento técnico da próxima temporada. Até agora, não foi explicado o significado de "construtor", e esse é um detalhe fundamental.

A novata pode até construir o seu chassis, mas não é ela quem o desenvolve. Sendo assim, poderia a Prodrive competir no Mundial de Construtores? É essa a dúvida. Ferrari, BMW, Williams e Spyker defendem a não inclusão da estreante na disputa entre as equipes. Por outro lado, Honda, Super Aguri, Red Bull e Toro Rosso pensam justamente o contrário. Só Renault e Toyota permanecem aparentemente imparciais.

A Prodrive vai anunciar seus planos para 2008 somente depois do esclarecimento da FIA. Dependendo da decisão, a novata poderia até cancelar a parceria com a McLaren. Isso, porém, não deve acontecer. Certo mesmo é que a indecisão da estreante e a de Fernando Alonso estão deixando o mercado de pilotos em suspense.

Só depois que cada um deles se decidir, a silly season vai pegar fogo.


Bernie Ecclestone é a raposa mais felpuda da Fórmula 1. Isso todo mundo já sabe. O que permanece em segredo são as suas ações de bastidores, nem sempre percebidas pela mídia. Nesse exato momento, o chefão da FOM pode estar costurando dois acordos importantíssimos para a dança das cadeiras entre os pilotos.

Um que está sendo certamente ajudado por Ecclestone, embora isso não seja muito claro para quem acompanha pela imprensa, é Timo Glock. O alemão conquistou o título da GP2 no último domingo, e procura uma vaga na Fórmula 1 para 2008. Sim, e daí? Por que o chefão da FOM ajudaria Glock, um piloto que, inclusive, não é uma novidade na categoria, já que chegou a correr pela Jordan há três anos?

A explicação é fácil: em dupla com Flavio Briatore, Ecclestone criou e desenvolveu a GP2, uma competição planejada para ser a base da Fórmula 1. Se o campeão do certame não conseguisse vaga na categoria principal, quem mais seria capaz? É por isso que Ecclestone - interessado no fortalecimento da GP2 - precisa ver Glock num carro da Toyota ou da Williams, por exemplo, em 2008. Podem ter certeza que o alemão vai terminar garantindo um lugar.

Em outro caso, as ações de Ecclestone são mais facilmente notadas. Ao que parece, ele está fazendo lobby pela contratação de Nico Rosberg pela McLaren para o lugar de Fernando Alonso. Nesta terça, por exemplo, o chefão de uma entrevista disse à agência SID que o alemão "se encaixaria perfeitamente" no time prateado. Qual é a intenção de Ecclestone na contratação de Rosberg? Não sei.

Na Fórmula 1, de vez em quando, "Tio Bernie" escreve certo por linhas tortas...


Embora tenha falhado em conseguir bons resultados na primeira metade do ano, Heikki Kovalainen foi um piloto com quem simpatizei desde o início da temporada. Jogado na fogueira da decadente Renault, logo depois da saída de Fernando Alonso, o finlandês quase queimou a sua imagem na Fórmula 1 nas primeiras corridas do campeonato.

A recuperação começou na rodada americana da categoria - no Canadá e nos Estados Unidos - em que Kovalainen marcou nove pontos, contra nenhum de seu companheiro, Giancarlo Fisichella. Depois disso, vem emplacando um seqüência de sete chegadas consecutivas na zona de pontuação, que culminaram no segundo lugar conquistado no último Grande Prêmio do Japão.

Sorridente e bem-humorado na maior parte do tempo - contrastando, portanto, com seu compatriota Kimi Raikkonen - Kovalainen já faz por merecer sua permanência na Renault em 2008. Mas, com toda a indefinição envolvendo o futuro de Fernando Alonso, o destino do finlandês também foi colocado em compasso de espera. Nada que tenha afetado, porém, o seu costumeiro otimismo.

"Vou continuar na Fórmula 1 em 2008 e espero que seja na Renault", falou Kovalainen em sua coluna na BBC. Das duas, uma mesmo: ou o finlandês permanece na equipe francesa com Fernando Alonso ou Nelsinho Piquet como companheiro - Giancarlo Fisichella já está praticamente descartado - ou vai para a Williams, onde também teria condições de aparecer bem.

Por enquanto, Kovalainen ainda precisa esperar para saber em que equipe vai correr em 2008. Mas já pode ter a certeza de que salvou sua carreira na Fórmula 1 com os ótimos e consistentes desempenhos da segunda metade da temporada.


Não viu o Grande Prêmio do Japão e até agora não se conformou com isso? Seus problemas acabaram! Com vocês, um excelente compacto de oito minutos com todos os principais momentos da corrida. E o melhor: com a narração em português, de Galvão Bueno. Para entrar mais no clima, não dá. Aliás, mesmo para quem já viu, o vídeo merece, demais, uma conferida:



Nesta quarta, o Blog volta com a seção Os 10+ do Blog F1 Grand Prix, revisando as piores bobagens que terminaram de fora da lista dos Dez Erros Mais Constrangedores da História. E, ao longo do dia, comentários sobre as principais notícias do mundo do automobilismo. Até amanhã!

Crédito das fotos: www.gpupdate.net

8 comentários:

yuri disse...

muito bom o compacto que voce arrumou. já tinha visto ao vivo mas, como vc. disse, merece sempre um conferida. vou até procurar o youtube downloader para guardar esse aí no meu pc...

daniel serqueira disse...

Isso é balela pura. Pensei justamente o que você diz no sétimo parágrafo: o Ron Dennis, depois de décadas na McLaren, iria simplismente abandonar a equipe??

Maragato disse...

Acho difícil, Ron Dennis, tem a equipe a mto tempo, o orgulho, e os títulos, vão ficar onde??? Como disse em outros posts, isso é balela para vender jornal, ainda mais vindo daqueles espanhóis que babam o "menino chorão".

Eu já vi alguns videos narrados em espanhol da f1, e é Deus no céu e Alonso na Terra.

Como dizem por aqui... "É Riiimmm"...

[]'s

Vinicius Grissi disse...

Não sei o que vai acontecer, mas concordo que Hamilton e Alonso não tem clima para permanecerem na mesma equipe ano que vem. Qual a solução para isso? Problema para Ron Dennis e sua trupe.

Net Esportes disse...

eu hein !!!!!!! eles tem que continuar na McLaren mesmo... isso sim !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Guilherme (RJ) disse...

As brigas são entre Hamilton x Alonso na pista e Ron Dennis x Alonso fora dela, portanto, o mais natural e inteligente é a união entre Ron e Hamilton (o que já acontece desde o início do campeonato).

Essa parceria vai render enormes lucros (em títulos e U$$) para os dois, pelo menos nos próximos 5 anos. Não há porquê se preocuparem em sair da McLaren, até porque quem vai sair mesmo é o Alonso que vai sentar no cockpit da Renault.

Temporada 2008 promete ainda mais em disputas!

Abraços

Felipe Maciel disse...

Também achei absurdo a história, pricipalmente sobre o Dennis enterrar a McLaren , é impossivel.
Duvido e muito que aconteça, foi apenas uma invenção da mídia, ta na cara.

Aline disse...

Gente, Ron Dennis não enterraria a Macca. E a Mercedes?
É, mas eu também não acredito nem quero acreditar nisso!