domingo, 7 de outubro de 2007

Kimi vence G.P. da China, Alonso é segundo e Hamilton abandona. Título está aberto de novo

A chuva dá, a chuva tira. No Grande Prêmio da China, disputado nesta madrugada de sábado para domingo no gradioso circuito de Xangai, Lewis Hamilton esteve com a vitória e o título nas mãos. Um erro inacreditável, porém, causou o abandono do inglês - o primeiro em sua curta carreira na Fórmula 1 - e voltou a abrir o campeonato, que será decidido entre três pilotos no G.P. do Brasil, em Interlagos.

Kimi Raikkonen ganhou pela quinta vez na temporada, tornando-se o maior vencedor do ano e retornando à briga pelo título. Fernando Alonso foi o segundo e agora está a apenas quatro pontos de Hamilton na tabela de classificação. A seguir, Felipe Massa completou o podium, com o impressionante Sebastian Vettel terminando logo atrás, num sensacional quarto. Rubens Barrichello fez prova apagada e não passou de 15º.

O tufão Krosa, que deve chegar à cidade de Xangai na noite deste domingo, não fechou o tempo como o esperado. Ao contrário da tempestade que se pronunciava, o G.P. da China teve apenas uma fina garoa que apareceu pouco antes da saída e permaneceu quase que durante toda a primeira metade da corrida. A pista ficou úmida - não exatamente molhada - de modo que os pilotos largaram com pneus intermediários.

Antes da prova, Lewis Hamilton chegou a escapar quando se dirigia ao grid, na volta de instalação. Ele rodou na curva inicial do circuito e deu um susto na McLaren. Sem dramas, porém, o inglês retornou à pista e alinhou o carro na posição de honra, a pole position. Na largada, de forma até tranqüila, Hamilton saiu bem e segurou a liderança.

Os quatro primeiros, aliás, mantiveram suas colocações, embora Fernando Alonso tivesse chegado a ultrapassar Felipe Massa antes de tomar o troco do brasileiro. Ao fim da primeira volta, a classificação era Hamilton-Raikkonen-Massa-Alonso, situação que não mudou até a rodada inicial de paradas.

Se entre os líderes não havia luta por posições, a batalha era intensa no pelotão intermediário. Logo na segunda volta, Rubens Barrichello e Anthony Davidson se encontraram. Ambos saíram da pista e perderam muito tempo, estragando suas corridas. Outro que acabou prejudicado já no início foi Ralf Schumacher, que rodou na largada e caiu para a rabeira do pelotão.

A Renault de Heikki Kovalainen simplesmente não rendia e ele foi ficando para trás, formando um trenzinho atrás de si. Sebastian Vettel foi o primeiro a superar o finlandês, passando para a nona posição. Mais tarde, Kovalainen ainda perderia posições para Jarno Trulli, Jenson Button e até Ralf Schumacher, que fazia bela corrida de recuperação.

Quando a primeira rodada de pit stops começou, Lewis Hamilton parecia absoluto. Com uma distância superior a cinco segundos para Kimi Raikkonen, o inglês fez sua parada e manteve a liderança depois que todos fizeram suas visitas ao box. A pista ameaçava secar, mas pequenas pancadas de chuva impediam que os pilotos trocassem para pneus de seco.

Numa dessas vezes em que a garoa apertou, Adrian Sutil perdeu o controle de sua Spyker dentro do pit lane e bateu forte, destruindo seu carro. Quase ao mesmo tempo, Ralf Schumacher rodou ao se tocar com Vitantonio Liuzzi, que havia acabado de fazer sua parada. O alemão da Toyota voltou à corrida, mas abandonaria logo depois após sair da pista pela terceira vez no dia.

Na volta 23, Mark Webber foi o primeiro a arriscar pneus de pista seca. Não demorou muito e ficou claro que a opção do australiano era acertada. Alexander Wurz, por exemplo, chegou a cravar a volta mais rápida da corrida assim que calçou compostos macios. Dos líderes, quem mais se aproveitou foi Robert Kubica, que retardou sua parada, fez a troca para secos e colocou combustível para ir até o fim.

Foi aí que a história do campeonato começou a mudar. Primeiro, Fernando Alonso alcançou Felipe Massa e ultrapassou o brasileiro, que tinha enormes dificuldades com pneus intermediários gastos. O bi-campeão passou para terceiro, mas precisaria tirar uma diferença muito grande para chegar nos dois líderes.

Lá na frente, Kimi Raikkonen foi à caça de Lewis Hamilton. O inglês também sofria horrores com sua McLaren, praticamente inguiável depois que os pneus acabaram. Na 28ª volta, Raikkonen tomou a liderança de Hamilton, que fez de tudo para segurar a ponta. O esforço em manter a liderança, aliás, foi fatal para o piloto da McLaren.

Pouco depois, o pneu traseiro esquerdo de Hamilton dechapou. No momento em que ia sendo ultrapassado por Alonso, o inglês rumou para o box. Então, incrivelmente, o novato-sensação errou o cálculo, entrou forte demais e não conseguiu fazer a curva para entrar no pit lane. Resultado: Hamilton foi para a brita e de lá não saiu, abandonando uma corrida pela primeira vez no ano e em sua carreira.

É claro que a McLaren do inglês estava em situação complicada. Mesmo assim, Hamilton errou duplamente: ao defender-se, sem necessidade, de forma muito agressiva dos ataques de Kimi Raikkonen, gastando os pneus excessivamente, e ao hesitar em fazer a troca assim que percebeu que os compostos não rendiam mais bem.

Com o abandono do inglês, Robert Kubica foi promovido à ponta. O polonês não precisaria mais parar e tinha, pela primeira vez, uma chance real de levar a BMW à vitória. Infelizmente, Kubica não teve muito tempo para curtir seu momento de glória. Um problema mecânico - provavelmente de câmbio - encerrou de forma precoce a corrida do polonês, quando ele liderava com quatro segundos de vantagem para Raikkonen.

Assim, o finlandês da Ferrari voltou ao primeiro lugar, de onde não mais sairia. Fernando Alonso ainda tentou um ataque nas quinze voltas finais, sem muito sucesso. O espanhol fechou em segundo, com Felipe Massa em terceiro. Sebastian Vettel, em exibição de gala, foi o "melhor do resto" ao completar em quarto, com uma tática inteligente e uma pilotagem perfeita saindo do 17º lugar do grid.

Outro que merece elogios é Jenson Button, que fechou em quinto e conseguiu o melhor resultado do ano com a Honda. Vitantonio Liuzzi - marcando seus primeiros pontos do ano - Nick Heidfeld e David Coulthard completaram a zona de pontuação. Na última volta, Felipe Massa estabeleceu a melhor volta da corrida, pouco consolo para quem é o único do "G4" a chegar em Interlagos sem chances de título.

Com os resultados do G.P. da China, a situação do campeonato lembra bastante a de 1986, derradeira vez em que três pilotos alcançaram a finalíssima do campeonato ainda com chances de levar o troféu de campeão. Assim como naquela oportunidade, o líder e principal favorito é um inglês: antes era Nigel Mansell, agora é Lewis Hamilton.

As coincidências não páram por aí: Fernando Alonso é o bi-campeão ofuscado pelo companheiro de equipe novato, papel cumprido em 1986 por Nelson Piquet. Por fim, Kimi Raikkonen é o "intruso", assim como era Alain Prost há vinte e um anos. Daquela vez, o título acabou com o francês. Será que vai dar Raikkonen?

Hamilton soma 107 pontos, contra 103 de Alonso e 100 de Raikkonen. Traduzindo: o inglês leva o troféu se terminar em segundo. Para ser campeão, Alonso precisa vencer e torcer para que seu companheiro na McLaren seja terceiro ou pior. As chances de Raikkonen são ainda mais difíceis: o finlandês tem de ganhar em Interlagos e contar com, no máximo, um terceiro de Alonso e um sexto de Hamilton para levar o título.

A chuva, que havia colocado o campeonato nas mãos do inglês depois do G.P. do Japão, voltou a abrir a disputa pelo troféu de campeão após a corrida de Xangai. Não fossem os problemas com seus pneus intermediários e Hamilton, provavelmente, já estaria comemorando o título. Agora, porém, o suspense persiste até o G.P. Brasil, em Interlagos, no dia 22 de outubro. Com certeza, vai ser uma decisão espetacular.

Logo abaixo, a classificação do Grande Prêmio da China

1. Kimi Raikkonen/Finlândia/Ferrari, 56 voltas em 1h37:58.395s
2. Fernando Alonso/Espanha/McLaren, a 9.806s
3. Felipe Massa/Brasil/Ferrari, a 12.891s
4. Sebastian Vettel/Alemanha/Toro Rosso, a 53.509s
5. Jenson Button/Inglaterra/Honda, a 1:08.666s
6. Vitantonio Liuzzi/Itália/Toro Rosso, a 1:13.673s
7. Nick Heidfeld/Alemanha/BMW, a 1:14.224s
8. David Coulthard/Escócia/Red Bull, a 1:20.750s
9. Heikki Kovalainen/Finlândia/Renault, a 1:21.186s
10. Mark Webber/Austrália/Red Bull, a 1:24.685s
11. Giancarlo Fisichella/Itália/Renault, a 1:26.683s
12. Alex Wurz/Áustria/Williams, a 1 volta
13. Jarno Trulli/Itália/Toyota, a 1 volta
14. Takuma Sato/Japão/Super Aguri, a 1 volta
15. Rubens Barrichello/Brasil/Honda, a 1 volta
16. Nico Rosberg/Alemanha/Williams, a 2 voltas
17. Sakon Yamamoto/Japão/Spyker, a 3 voltas
Não terminaram:
Robert Kubica/Polônia/BMW, Problema mecânico na volta 33
Lewis Hamilton/Inglaterra/McLaren, Saída de pista na volta 30
Ralf Schumacher/Alemanha/Toyota, Rodada na volta 25
Adrian Sutil/Alemanha/Spyker, Acidente na volta 24
Anthony Davidson/Inglaterra/Super Aguri, Problema Mecânico na volta 11

A seguir, a tabela de pontos dos campeonatos de pilotos e construtores:

Mundial de Pilotos: 1. HAMILTON, 107 pts; 2. Alonso, 103 pts; 3. Raikkonen, 100 pts; 4. Massa, 86 pts; 5. Heidfeld, 58 pts; 6. Kubica, 35 pts; 7. Kovalainen, 30 pts; 8. Fisichella, 21 pts; 9. Rosberg, 15 pts; 10. Coulthard, 14 pts; 11. Wurz, 13 pts; 12. Webber, 10 pts; 13. Trulli, 7 pts; 14. Vettel e Button, 6 pts; 16. Schumacher, 5 pts; 17. Sato, 4 pts; 18. Liuzzi, 3 pts; 19.Sutil, 1 pt; 20. Barrichello, Speed, Davidson, Albers, Winkelhock e Yamamoto, 0 pts.

Mundial de Construtores: 1. FERRARI, 186 pts; 2. BMW, 94 pts; 3. Renault, 51 pts; 4. Williams, 28 pts; 5. Red Bull, 24 pts; 6. Toyota, 12 pts; 7. Toro Rosso, 8 pts; 8. Honda, 6 pts; 9. Super Aguri, 4 pts; 10. Spyker, 1 pt; 11. McLaren*, 0 pts. *= A McLaren perdeu todos os pontos no Mundial de Construtores pelo seu envolvimento num caso de espionagem industrial.

Ao longo do dia, o Blog volta com a seção Análise do Grande Prêmio, falando de tudo o que aconteceu em Xangai, além dos comentários sobre as corridas de Fórmula Truck, Nascar, WRC e WTCC. Até mais!

Crédito das fotos: www.gpupdate.net

16 comentários:

alex disse...

nem precisa elogiar né gustavo? De novo, só nós dois para estarmos acordados a essa hora. To esperando para ver a desculpa do Hamilton eheuhhuehuehu

espetacular o vettel, merece um 10!!

andre disse...

Corrida chata até a metade, emocionante depois que o Hamilton começou a ter problemas. Teve muitas brigas ali pelo meio, coitado do Kovalainen que tomou de todo mundo. Em Interlagos acho que o Lewis leva apesar de tudo. Massa não pode mais, então torço para ele..

Maragato disse...

Alex, eu tb to por aqui... não postei antes pq tava com meu filhote de 1 ano, q acordou para ver as voltas finais, e a patroa num ronco só...

Gustavo, sem comentários, o blog a cada dia que passa está melhor.

Gostei da corrida, e o Vettel, com a comemoração dele, só quero ver qdo ele ganhar pela primeira vez, vai ser uma festa só!!!

é um grande nome para o futuro.

ponto negativo para Sutil, que deu uma bela mancada na entrada dos pits, e para a BMW do Kubica, que deixou ele na mão qdo era lider. Ponto Positivo para o Button, que finalmente andou +-, mas deu um show com o péssimo carro da Honda.

bom... no aguardo das avaliações.

[]'s

Jairo.

GSB disse...

Se Alonso ganhar e Hamilton ficar em terceiro, Alonso é campeão. Ficam com os mesmos pontos, mas Alonso vence por maior numero de vitorias (5-4)

Priscila disse...

Eu não acreditei que o Hamilton errou daquele jeito... estava tão perto do título antecipadamente... De qualquer forma, meu palpite tirando o primeiro lugar do Lewis, ficou na ordem, Kimi, Fernando e Felipe...
Acredito que em Interlagos o Hamilton leva... o garoto merece, faltou-lhe experiência para manter o sangue frio.
No mais, estou como vc Gustavo, muita coisa da faculdade pra ver (tb estudo na Puc-Rio), mas vamos ficar na expectativa de mais 2 longas semanas que darão o que falar... O blog está muito bom mesmo! Vc sempre o atualiza com muita qualidade e rapidez, mas vá com calma, entendemos que os estudos são prioridade. Abraços.

Net Esportes disse...

concordo com a priscila, foi muito trsite ver o Hamilton perder a chance dessa forma, uma pena mesmo pois também acho que ele merece ser o campeão..... não vai faltar emoção para Interlagos, é bem interessante ver as coisas se decidirem no Brasil mas acho que forma como isso se deu é que foi inesperada.

Vinicius Grissi disse...

Ótimo resultado para o automobilismo e para o Brasil, que vai assistir uma grande decisão. Acho que da Hamilton, mas tudo pode acontecer.

Guilherme (RJ) disse...

Galera que torce pro Hamilton:
Não foi experiência que lhe faltou. Faltou inteligência!

Não, o Hamilton não é burro, longe disso! Mas foi burrice naquele momento.
Disputar com Kimi, pra quê, se o oponente principal era o Alonso e estava muito atrás???
Culminou numa das maiores ‘pataquadas’ da F1.
Perdeu o inglês, ganhou a F1 para decidir em Interlagos, qual dos 3 será o campeão, como bem lembrou o Gustavo (temporada 1986).

De qualquer forma, Hamilton entrou para a galeria dos grandes pilotos que cometeram pataquadas, assim como Prost e Senna.

Qualquer um dos 3 que conseguir o título estará bem merecido.

Abraços a todos!

PS: Não foi preciso nenhum tufão ou tsunami, bastaram umas pedrinhas no sapato do Hamilton!

Rio Kart disse...

O Hamilton vacilou feio! Eu acredito naquele discurso de que para ele era uma corrida normal e que não sentia nenhuma pressão.

Mas agora isso mudou, ele errou feio, deve estar muito arrependido de ter insistido em manter uma posição que não precisava e de ter levado sua McLaren longe demais...

Torço p/ o Raikkonen e já estou achando que vai dar Alonso.

Gustavo, mto bom blá blá blá...rs

Abraço, carah!!

Raissa Póvoa disse...

não vi a corrida, mas acompanhei uns flashs nos jornais.
Pena que o Hamilton errou de forma tão grosseira, esse erro pode ter custado o campeonato para ele, pois acredito que Alonso vai fazer a GP da sua vida.
POr isso acho acho que será o campeão!

psdriver disse...

Ótima corrida mas nada vai se comparar com o que vai acontecer em Interlagos. O GP Brasil sim será sensacional!

valeu!

Blog F1 Grand Prix disse...

Alex e Jairo,

Valeu mesmo pelos elogios! Estou levando o Blog a sério porque daqui a pouco o campeonato acaba e o ritmo de assuntos vai cair bastante. É melhor aproveitar enquanto ainda tenho sobre o que falar...

Priscila,

Por enquanto, eu estou conseguindo conciliar o Blog com a faculdade. Como a maioria das notas são de trabalhos, dá para ir fazendo as poucos, sem precisar sacrificar as postagens. Obrigado pela sua consideração!

Guilherme,

Concordo com você, o Hamilton não teve cabeça nessa prova de Xangai. Se ele fosse um piloto um pouco mais cerebral, não teria cometido aquele erro. Como você disse, o inglês não é burro, mas faltou inteligência.

Fábio,

Po, eu fico acordado até 6 da manhã e você diz que é blablabla hehehehe? Tô brincando! Assim como você, torço pelo Raikkonen nessa disputa. Agora, sinceramente, ainda não escolhi meu favorito.

Grande abraço a todos!

Gustavo

Leandro disse...

Embora a corrida tenha sido boa, naum foi tudo o que imaginávamos, ainda mais q naum caiu um toró. Mas foi ela q decidiu a corrida, e kct, justo agora o Hamilton errou! Fazer o q, naum podemos chamá-lo de burro como mta gente jah fez, jah q temos q lembrar de tudo q ele fez na temporada.
E que corrida da Toro Rosso!

Priscila disse...

É Leandro... realmente logo agora o Hamilton foi errar... realmente foi uma pena. Vamos ver em Interlagos.

Leandro disse...

É Priscila, pena q naum tenho dinheiro pra ir pra Interlagos, rs

Maragato disse...

Gustavo... qdo as temporadas irem acabando... a gente vai achando vídeos no youtube, e fuçando as fofocas do mundo da velocidade...

acho que não vai faltar conteúdo, oq tem agora é um exesso dele!

[]'s