terça-feira, 6 de novembro de 2007

Os 10+ do Blog F1 Grand Prix: As Dez Maiores Bobagens da Temporada 2007 - Números 10 a 7

Dando prosseguimento à série de listas especiais - dedicadas a fazer um balanço da temporada 2007 - o Blog inicia hoje o ranking das maiores besteiras cometidas ao longo deste ano. Erros realmente constrangedores, e que tiveram papel importante no desenrolar do campeonato recém-encerrado. Sem perder mais tempo, vamos começar:

DÉCIMA COLOCADA - Kimi Raikkonen e a entrada do pit lane no G.P. da Europa

Pois é, nem Kimi Raikkonen escapou de cometer uma erro estúpido na temporada que acabou por consagrá-lo campeão mundial. Aconteceu logo no início do Grande Prêmio da Europa, em Nurburgring. O finlandês havia largado da pole position e liderava a corrida no momento em que o pelotão se preparava para completar a primeira volta.

Foi aí que os pilotos deram de cara com um verdadeiro dilúvio. Sem pensar duas vezes, a enorme maioria rumou diretamente para os pits, com Raikkonen à frente. Os mecânicos da Ferrari ficaram prontos para receber o finlandês, mas quem surgiu foi Felipe Massa. Realizada a troca do brasileiro, eles continuaram a postos esperando por Raikkonen. O finlandês demorou, demorou, demorou... e não apareceu.

O que aconteceu com ele? Simples: na entrada do pit lane, Raikkonen se atrapalhou com o volume de água e simplesmente errou o ponto de freida. Ele chegou a tomar o caminho dos boxes, mas acabou passando por cima da zebra, retornando à pista de maneira bizarra. O constrangimento, porém, ainda não havia terminado.

Na volta que precisou fazer com pneus de seco, em meio à chuva, Raikkonen tomou uma humilhante ultrapassagem do novato Markus Winkelhock, que pilotava uma capenga Spyker. Definitivamente, aquele não era o dia do finlandês: mais tarde, ele abandonaria com um problema mecânico. Pelo menos, o erro na entrada do pit lane não afetou o resultado de Raikkonen no campeonato.

Ao contrário de uma bobagem semelhante, que um certo novato cometeria alguns meses depois...

A desculpa: O mau tempo e as péssimas condições da pista
A reação: A Ferrari minimizou o erro, até porque uma quebra tirou Raikkonen da corrida mais tarde
A conseqüência: A bobagem não afetou o resultado final de Raikkonen, que conquistou o título após uma virada histórica

NONA COLOCADA - Kazuki Nakajima e o strike nos mecânicos no G.P. do Brasil

Inexperiência. Foi essa a desculpa de Kazuki Nakajima para a besteira inacreditável e até certo ponto engraçada que ele protagonizou logo em sua corrida de estréia, no Grande Prêmio do Brasil. Convocado para substituir o aposentado Alexander Wurz, o japonês entrou na pista de Interlagos já com uma boa quilometragem de testes, mas sem a menor experiência em provas.

O resultado disso foi a bobagem que Nakajima fez na 31ª volta da corrida, quando sua participação já não era das mais gloriosas. Após largar apenas de 19º, o japonês vinha se recuperando na prova, mas ainda estava longe da zona de pontuação. Obedecendo ao comando da equipe, Nakajima tomou o rumo dos boxes para a sua primeira parada.

Aí, como um grande ás do boliche, o japonês fez um verdadeiro strike. Só que os "pinos", no caso, eram os mecânicos da Williams. Talvez excitado demais com o primeiro pit stop de sua carreira, Nakajima errou o ponto de freida e atropelou três ou quatro ao mesmo tempo. Um deles, inclusive, chegou a dar uma graciosa cambalhota no ar, antes de voltar para um tombo bem doído.

Embora já estivesse em velocidade reduzida, Nakajima conseguiu inutilizar metade da equipe de reabastecimento da Williams. Mesmo assim, ele ainda terminou sua primeira corrida na Fórmula 1 em 10º, mostrando certo potencial. Não foi o suficiente, porém, para apagar o constrangimento causado pela sua bobagem.

Do setor A de Interlagos, posso jurar que - em meio a todo o barulho dos carros - cheguei a ouvir uma gargalhada coletiva enquanto o telão reprisava a pataquada do já folclórico Nakajima filho.

A desculpa: Inexperiência
A reação: A Williams reconheceu o erro de Nakajima, mas não criticou abertamente o japonês
A conseqüência: Nakajima continua sendo um dos principais candidatos a uma vaga de titular na Williams em 2008, mas não é mais o favorito destacado de antes

OITAVA COLOCADA - Heikki Kovalainen e a tática da Renault no G.P. da Europa

É verdade que a temporada de estréia de Heikki Kovalainen na Fórmula 1 não foi das mais brilhantes, mas a equipe Renault também não ajudou muito. Para começar, o time francês esteve longe de produzir um carro tão bom quanto os anteriores, que renderam dois campeonatos consecutivos à montadora do losango. Pior, porém, foi a tática escolhida para o pobre Kovalainen no G.P. da Europa.

O início daquela corrida foi promissor para o finlandês. Largando de sétimo, Kovalainen não cometeu erros quando um dilúvio caiu sobre a pista logo na primeira volta da prova. Com os problemas de outros pilotos, subiu para a quinta posição. À sua frente, apenas os azarões Mark Webber e Alexander Wurz separavam Kovalainen de um inédito podium.

Aí, a Renault resolveu inventar. Em vez de manter o finlandês na pista e esperar pelos acontecimentos, a equipe francesa decidiu se antecipar. Esperando pela chuva, que havia parado mas prometia voltar, a Renault trocou a tática de Kovalainen de uma para duas paradas. Segundo os metereologistas do time, o último pit stop coincidiria com o retorno do mau tempo.

Só que a chuva demorou mais do que o previsto. E Kovalainen precisava reabastecer. A Renault, então, não hesitou e escolheu uma tática nunca antes vista: colocar seu piloto com pneus de pista molhada, antes mesmo de chover! Coitado de Kovalainen, que pagou o mico de desfilar com compostos de chuva em meio ao sol. Depois, quando a água veio, a corrida do finlandês já havia sido estragada.

Kovalainen ainda salvou um pontinho, ao terminar em oitavo. Pouca consolação para quem perdeu um podium por causa de um erro tão absurdo.

A desculpa: Foi culpa dos metereologistas
A reação: Sem ter como culpar o piloto, a Renault tentou esquecer a bobagem
A conseqüência: Nesse caso, o erro pouco afetou o desempenho de Kovalainen, que emplacaria uma seqüência de sete chegadas seguidas nos pontos

SÉTIMA COLOCADA - Ralf Schumacher e o acidente na largada do G.P. dos Estados Unidos

Se houve um piloto que - aos olhos do público e da mídia - se tornou absolutamente dispensável após sua péssima temporada 2007, foi Ralf Schumacher. De fato, o ano do alemão pode ser definido em uma só palavra: desastroso. Além de tomar uma surra do companheiro Jarno Trulli em classificações, Ralf ainda perdeu o que restava de seu crédito junto à Toyota com alguns erros certamente evitáveis.

O pior deles, certamente, veio no Grande Prêmio dos Estados Unidos, em Indianapolis. Saindo de 12º no grid - quatro posições atrás de Trulli - Ralf estava desesperado para recuperar o máximo de terreno logo na primeira curva. O resultado da afobação foi um acidente múltiplo que tirou, além do alemão, os inocentes David Coulthard e Rubens Barrichello da corrida.

Ao chegar na chicane inicial de Indianapolis, Ralf colocou por dentro e deixou para freiar praticamente dentro da curva. Não conseguiu parar o carro. Sem controle, a Toyota do alemão bateu em Barrichello, que estava logo à esquerda. O brasileiro, por sua vez, atingiu Coulthard. Ao mesmo tempo, Jenson Button quase precisou estacionar para evitar o choque.

Ralf teve um ano para esquecer, mas o G.P. dos Estados Unidos foi a cereja no bolo. Logo em Indianapolis, onde ele já havia se acidentado com gravidade duas vezes, Ralf cometeu o erro que, talvez, tenha destruído de vez sua reputação na Toyota. Ao destruir a suspensão do carro e tirar dois outros pilotos da prova por causa de um erro tão básico, Ralf provou que sua trajetória na Toyota já havia se esgotado.

Agora, resta saber se alguma outra equipe da Fórmula 1 ainda vai ter coragem de dar uma nova chance a Ralf...

A desculpa: Ralf considerou a batida um "acidente de corrida".
A reação: Na época, a Toyota não fez maiores comentários sobre erro de Ralf, embora Barrichello, Coulthard e a maior parte da imprensa tenham culpado o alemão
A conseqüência: O acidente em Indianapolis talvez tenha sido a gota d'água para a Toyota, que perdeu a paciência com Ralf e o dispensou no fim do ano

Edit: O amigo Guilherme dá uma mãozinha ao escriba do Blog e manda os vídeos das bobagens. A seguir, um compacto do G.P. da Europa, narrado em espanhol, incluindo a cortada de pits de Raikkonen (na marcada de 55 segundos) e a "brilhante" tática da Renault (aos 7:03, dá para ver Kovalainen se arrastando na pista):



O incrível strike de Nakajima está logo abaixo:



Por fim, o vídeo a seguir foi feito por um torcedor nas arquibancadas de Indianapolis, e retrata bem a besteira de Ralf:



Ao Guilherme, meu muito obrigado pelas dicas! Agora, a seção Os 10+ do Blog F1 Grand Prix volta amanhã, apresentando os números 6, 5 e 4 da lista das Dez Maiores Bobagens da Temporada 2007. E, ao longo do dia de hoje, comentários sobre as principais notícias do mundo da velocidade. Até mais!

Crédito das fotos: www.gpupdate.net

11 comentários:

alex disse...

opa já gostei do início da lista. Essa do Nakajima-san (ou seria "son"???) não poderia faltar!!!

E o Ralf, coitado também tinha que dar na lista. Nem lembrava mais dessa batida em Indy mas chama a atenção o fato dele ter tirado o coitado do Rubinho. Lembrei logo de Austrália/2002, lá foi culpa absurda do Ralf!!!!

ernane disse...

Concordo com as posições até agora mas não pode faltar Hamilton nos tres primeiros lugares. Só tenho dúvida na ordem mas seria assim:

1.) Erro do botão
2.) Erro da entrada do pit
3.) Erro da largada

E não esqueça do erro do Massa no Canadá também não, aquilo lá foi culpa dele!!

Fleetmaster disse...

A do Nakajima foi boa.

Net Esportes disse...

bobagens ??? !!!! he he he

que bobagem aquela do Hamilton no Japão - grande chance de ser o 1º colocado !!!!!!!!!!!!!!!!!

Guilherme (RJ) disse...

Vamos aos vídeos:

10) Raikkonen
8) Kovalainen
http://br.youtube.com/watch?v=PioDxgKsDIg
Com narração espanhola, uma verdadeira comédia!!!

9) Nakajima:
http://br.youtube.com/watch?v=eAy-heZZafk

7) Ralf Schumacher
http://br.youtube.com/watch?v=G-7LQkxui7c
http://br.youtube.com/watch?v=db_BaKejMys

Foi o que deu pra arrumar, Gustavo, mas com a seqüência que deve vir do Hamilton, aí vai ser mais fácil.

Abraços!!

Rio Kart disse...

A foto dos mecânicos da Williams é ótima! Antes de chegar nela eu já estava rindo... nesse ângulo então!

Estou com o Ernani, erro do Massa.

Priscilla Bar disse...

Hahaha..a do Nakajima foi muito f...,mais estupido impossivel..Hahahahah..agora,os 3 primeiros lugares sao todos do Hamilton com certeza ..

Beijos,

Blog Guard Rail

Guilherme (RJ) disse...

Gustavo

É a forma de retribuir a dedicação e o empenho na busca de notícias que você nos proporciona e diverte nesta 'entressafra' da F1.

Aliás, você entrou com esse post aos 2 minutos da terça-feira. Quase queimou a largada, hein!!!

Abraços!

Blog F1 Grand Prix disse...

Obrigado por todos os comentários!

Alex: Se estivesse fazendo a lista das bobagens de 2002, essa do Ralf entraria com certeza! Na minha opinião, Rubinho não teve a menor culpa naquele acidente.

Ernane: Massa e Hamilton, certamente, não vão ficar de fora da lista! É só esperar para ver...

Guilherme: Nem tenho como agradecer a sua ajuda! E valeu mesmo pelas palavras de incentivo! Realmente, por pouco este post não entrou antes da hora hehehe

Grande abraço a todos!

Gustavo Coelho

Felipe Maciel disse...

A última vez que vi alguém cometendo um erro estúpido como o do Raikkonen era um tal de Felipe Maciel fazendo barbeiragem no ps2. Falando nisso, fiquei sabendo a pouco tempo que eles não teremos o jogo F1 07, uma pena, porque eles estavam melhorando a cada ano e a dirigibilidde era impressionante. Quem não tem ps3 fica como???

maurício disse...

sensacional o início da lista. Fazendo coro agora pela bobagem do Massa e por outras mais tambem...