terça-feira, 6 de novembro de 2007

Michael Schumacher vai testar pela Ferrari na semana que vem

O alemão voltou. Um dia após ter sido ligado à vaga deixada por Fernando Alonso na McLaren, Michael Schumacher confirmou que vai, sim voltar a pilotar um carro de Fórmula 1. Seu retorno, porém, será pela equipe que lhe rendeu os anos mais gloriosos de sua carreira: a Ferrari. E não deve passar de um único ensaio, a ser realizado semana que vem, em Barcelona.

"Esse teste é metade por prazer e metade por razões técnicas", afirmou um porta-voz da Ferrari, ao fazer o anúncio. A importância de Schumacher se explica: em 2008, a Fórmula 1 vai banir o controle de tração, além de uma série de outras ajuda eletrônicas. E o alemão tem bastante experiência em pilotar carros sem esses acessórios. Mesmo assim, fica difícil acreditar que Schumi tenha sido chamado só por isso.

É óbvio que a vontade de "matar saudade" do alemão também deve ter feito bastante diferença. Afinal, Schumacher nunca conseguiu ficar fora de um carro por muito tempo (quando os testes da Fórmula 1 não eram restritos, ele chegou a alugar uma casa dentro da pista de Fiorano, de propriedade da Ferrari...). De fato, o heptacampeão pode até dar seus pitacos sobre o carro de 2008. Mas o teste não passa de mais uma merecida homenagem da Ferrari.

Enquanto o compromisso em Barcelona não chega, Schumacher participou hoje de um evento especial da Ducati, em Valência. Pilotando a moto do campeão Casey Stoner, o alemão virou um tempo absolutamente sensacional em duas horas de pista, ficando a apenas cinco segundos do recorde do circuito, de Daniel Pedrosa. Para um "amador", a performance foi assombrosa...

Ao mesmo tempo em que a Ferrari resolve proporcionar a volta de Schumacher, a maioria das outras equipes se concentra em promover as estréias, em carros de Fórmula 1, de jovens promessas do automobilismo. Nesta terça, por exemplo, a Williams testou o inglês Sam Bird, quarto colocado no recém-encerrado certame da Fórmula 3 Inglesa. Além dele, vários outros novatos vão ganhar chances nas próximas semanas.

Pela McLaren, o escocês Paul di Resta e o inglês Oliver Jarvis devem andar com a McLaren de 2006 no traçado curto de Silverstone. Por sua vez, o indiano Karum Chandhok vai testar junto de Michael Schumacher, em Barcelona, com um carro da Red Bull. Vale lembrar que a Honda também já tem planos de experimentar três novatos da GP2 - Luca Filippi, Andreas Zuber e Mike Conway - num futuro próximo.

A lamentar, apenas, a total ausência de pilotos brasileiros nessas listas...


Fernando Alonso tinha até hoje para dizer sim ou não ao contrato de longa duração oferecido pela Renault. A resposta do espanhol, porém, não foi divulgada por nenhum veículo de imprensa. Fica a dúvida: será que Alonso aceitou, recusou ou continua enrolando a equipe francesa? Por enquanto, não dá para saber, mas os boatos sobre o bicampeão permanecem pipocando.

A notícia de hoje, publicada pelo jornal As, é que Alonso estaria contando com a ajuda de uma série de empresas espanholas, que teriam arrecadado 62 milhões de dólares para o bicampeão investir no seu próprio futuro. De acordo com a reportagem, as patrocinadoras de Alonso seriam BBVA, Movistar e Mútua Madrileña (esta última, também de saída da McLaren).

Mesmo com toda essa quantia, Alonso ainda estaria enfrentando dificuldades em acertar com alguma equipe. Na Renault, o problema é o apoio da seguradora ING, concorrente da BBVA. Por outro lado, a Red Bull teria relutado em ceder espaço para as outras empresas, preferindo concentrar-se nos anúncios de sua própria bebidinha energética. Segundo o As, a solução poderia ser a Toyota, mas nada está definido.

Concorrente de Alonso por uma vaga na Renault, Nelsinho Piquet teve uma ótima notícia hoje: levando em conta um furo do diário Marca, a companhia de telefonia Telmex estaria disposta a patrocinar a Renault caso a equipe efetivasse o brasileiro como titular na próxima temporada. Rival da Telefonica, que retirou-se da Fórmula 1 recentemente, a Telmex teria planos de investir no mercado sul-americano.

Para Nelsinho, estrear pela Renault seria ideal. Principalmente se Alonso não acertar com a equipe francesa.


Em crise há mais de dez anos - desde que separou-se da IRL - a ChampCar anunciou hoje, com certo atraso, seu calendário para a próxima temporada. As datas ainda dependem da aprovação da Federação Internacional de Automobilismo, embora dificilmente a entidade vá promover alguma mudança.

A principal novidade da ChampCar em 2008 vai ser a etapa de Jerez de la Frontera, em meados de junho. O circuito espanhol - sede de corridas históricas da Fórmula 1, como o sensacional duelo entre Jacques Villeneuve e Michael Schumacher em 1997 - entrou no lugar da pista de rua montada em Las Vegas, que durou apenas um ano na categoria.

No total, serão seis etapas nos Estados Unidos, três no Canadá, uma no México e outra na Austrália. Tirando isso, a ChampCar visita a Europa uma trinca de vezes, para as provas nas pistas de Assen (Holanda), Zolder (Bélgica), além da já mencionada Jerez. As corridas se concentram em junho e julho, quando serão realizadas sete das catorze etapas do ano.

Desfalcada do tetracampeão Sebastien Bourdais - de mudança para a Fórmula 1 em 2008 - a ChampCar vive mais uma crise de identidade. Após usar, nos últimos anos, a estratégia de correr em cidades pequenas para encher arquibancadas, a categoria já muda seu objetivo mais uma vez. Agora, a tática parece ser expandir o certame, reduzindo se forma sucessiva a importância do público norte-americano.

Logo abaixo, o calendário 2008 da ChampCar:

20 de abril - Etapa de Long Beach, nos Estados Unidos
27 de abril - Etapa de Houston, nos Estados Unidos
18 de maio - Etapa de Laguna Seca, nos Estados Unidos
01 de junho - Etapa de Zolder, na Bélgica
08 de junho - Etapa de Jerez de la Frontera, na Espanha
22 de junho - Etapa de Cleveland, nos Estados Unidos
29 de junho - Etapa de Mont Tremblant, no Canadá
06 de julho - Etapa de Toronto, no Canadá
20 de julho - Etapa de Edmonton, no Canadá
27 de julho - Etapa de Portland, nos Estados Unidos
10 de agosto - Etapa de Road America, nos Estados Unidos
01 de setembro - Etapa de Assen, na Holanda
26 de outubro - Etapa de Surfers Paradise, na Austrália
09 de novembro - Etapa da Cidade do México, no México

Antes que alguém me pergunte, lá vai a resposta: não, não parece haver a menor chance da ChampCar realizar uma prova no Brasil. Ao menos, no curto prazo...


O vídeo do dia é, na verdade, a segunda metade daquele que o Blog postou ontem. Mais uma vez, as imagens mostram cenas dos bastidores do último teste que Ayrton Senna fez na vida, no circuito francês de Paul Ricard, pouco antes de seu trágico acidente no Grande Prêmio de San Marino de 1994. Vale lembrar que a dica é do amigo Fábio, do Rio Kart:



Nesta quarta, o Blog volta com a seção Os 10+ do Blog F1 Grand Prix, apresentando os números 6, 5 e 4 da lista das Dez Maiores Bobagens da Temporada 2007. E, ao longo do dia, comentários sobre as principais notícias do mundo da velocidade. Até amanhã!

Crédito das fotos:
Schumacher de Ducati - http://de.eurosport.yahoo.com/

4 comentários:

maurício disse...

esse post demorou a sair mas cá estou a duas da matina dando apoio hein Gustavo???? Falando sério essa volta do Shumi é como voce disse mesmo, só para o alemão matar uma saudadezinha. O melhor de tudo foi essa notícia do Nelsinho que eu não tinha visto!!!!! Òtimo ele ir pra Renault mesmo, eu diria que mesmo com Alonso lá seria bom para ele.

Abs

elias disse...

Muito bonito essa vídeo do Senna em Pau Ricard. São imagens lindas, naqueles últimos momentos do Ayrton. Fico pensando se ele imaginava o que viria logo depois.....

[]s

Elias Mendonça RS/Porto Alegre

Aline disse...

A Mutua Madrileña também é seguradora, portanto também concorrente do Leão Emo (by Capelli). Quando fiz a pesquisa para o post dinheiro espanhol, li a informação de que, assim como o Santander, era patrocinadora da equipe. Uma lebre que ninguem levantou é que a Telefónica está fora da F-1, mas a O2, que lhe pertence, está com a BMW...

Rio Kart disse...

Nossa, de ontem pra hoje o blog bombou!

Tomara que o Nelsinho consiga essa vaga, ainda não li o primeiro post do dia (7/11) mas já vi que as vagas na Williams estão fechadas. A expectativa que o público brasileiro tem do Nelsinho correr ano que vem é imensa, daqueles que acompanham F1 sem muito compromisso principalmente. Descrentes no Massa, a aposta é Nelsinho, obviamente. Se ele perde a vaga é capaz de já surgirem as críticas, infundadas como na maioria das vezes.

Valeu pelo crédito no vídeo!