segunda-feira, 5 de novembro de 2007

O boato (absurdo) do dia: Michael Schumacher na McLaren em 2008

A hipótese foi levantada por Patrick Head, diretor da Williams, e não demorou muito tempo para se transformar num típico boato da época de "dança das cadeiras" na Fórmula 1. Em entrevista ao jornal Daily Mail, Head resolveu cogitar a possibilidade da McLaren procurar o heptacampeão Michael Schumacher para ocupar a vaga deixada por Fernando Alonso em 2008. Ironia ou não de Head, muita gente levou a sério:

"Ele (Schumacher) ainda está em forma, e provavelmente entediado. Por sua vez, Ron Dennis (o chefão da McLaren) já provou pensar lateralmente, e é por isso que não duvido que ele vá procurar Schumacher", falou Head. Foi o suficiente para vários veículos da imprensa comprarem a idéia. O diário Bild, por exemplo, classificou o suposto acerto entre Schumacher e McLaren como "o sonho de todos os alemães".

Não demorou muito, porém, para que os rumores fossem negados. Primeiro, o empresário de Schumacher, Willi Webber, afirmou à agência SID que o boato era um "absurdo". Logo depois, foi a vez do próprio heptcampeão, através de sua assessora Sabine Kehm, declarar que está feliz com seu cargo de "consultor" na Ferrari, e que não pretende voltar a competir na Fórmula 1.

De fato, Schumacher não tem motivos para assinar com a McLaren. Mesmo sem correr, o ele faturou nada menos do que 36 milhões de dólares em 2007. Segundo a revista Forbes, a quantia coloca Schumacher no sexto posto entre os esportistas mais bem pagos da atualidade. Entre os que não estão mais em atividade, o alemão é disparado o primeiro no ranking.

Além de tudo, Schumacher está longe do perfil "jovem e disciplinado" que a McLaren procura. Pilotos desse tipo, aliás, estão em boa oferta no mercado de pilotos. E o time prateado ainda deve demorar a fazer sua escolha, como revelou o diretor Martin Whitmarsh ao inglês The Guardian: "É claro que fomos procurados por vários candidatos. Por enquanto, não estamos com pressa".

Um piloto, ao menos, já sabe que não interessa à McLaren: Ralf Schumacher. Nesta terça, vazou a notícia de que o ex-piloto da Toyota teria tentado um acordo com a equipe inglesa, e recebido um melancólico "não" como resposta. Pelo visto, o futuro do Schumacher mais novo está cada vez mais longe da Fórmula 1.

Em 2008, o mais provável é que Ralf assista às corridas do sofá de casa. Ao lado do irmão.


Um dia. É esse o prazo que resta para Fernando Alonso assinar ou não o contrato de longa duração que a Renault colocou em sua mesa na semana passada. De acordo com o principal dirigente da equipe francesa, Flavio Briatore, o bicampeão tem até amanhã para decidir se aceita os termos da proposta. Entrevistado pelo jornal Gazzeta dello Sport, Briatore foi bem claro:

"Vamos ver o que acontece até terça-feira", disse o chefão da Renault. Agora, é esperar pela resposta de Alonso. De qualquer maneira, é improvável que o espanhol defina seu destino já amanhã. Até porque ele ainda não descartou a possibilidade de transferir-se para Red Bull ou Toyota na próxima temporada.

Segundo o diário As, Alonso é o sonho da Red Bull, que pretende ainda contratar o engenheiro Ross Brawn. Na hipótese da reportagem, o dono da escuderia das bebidinhas energéticas, Dietrich Mateschitz, não pouparia esforços na tentativa de contratar o bicampeão e o genial estrategista inglês (e não sul-africano, como o Blog vinha escrevendo nas últimas semanas - correção do amigo Xavier).

Amanhã é um dia chave para a definição da novela "Para onde vai Alonso?". Provavelmente, teremos novidades. Enquanto elas não chegam, vale também registrar a decepção dos patrocinadores espanhóis da McLaren com a saída de Alonso. Tanto a seguradora Mútua Madrileña quanto o Banco Santander lamentaram bastante o desligamento do bicampeão, mas reafirmaram seu apoio ao time prateado.

Fizeram certo. Se tentassem seguir Alonso, correriam o risco de trocar de equipe uma vez por ano...


Enquanto isso, continua também indefinido o futuro do alemão Timo Glock. Campeão da GP2 em 2007, ele assinou um contrato de três anos para ser titular da Toyota, mas periga não poder integrar o time nipônico na próxima temporada. Tudo porque Glock tem outro acordo válido, como piloto de testes da BMW. E a equipe alemã não está facilitando a negociação.

O caso chegou até o Tribunal de Reconhecimento de Contratos, que decidiu a favor da BMW. Agora, Glock só vai conseguir correr pela Toyota em 2008 se for liberado pela equipe alemã. Embora tenha jogado duro até agora, é esperado que a BMW acabe cedendo no final das contas. Afinal, não há grandes motivos para prender Glock.

A situação é simples: na BMW, o campeão da GP2 não vai ter chances. É até natural, portanto, que Glock queira tanto agarrar a chance na Toyota. Se deixar a oportunidade passar, o alemão dificilmente vai ter outra. Ao mesmo tempo, não faltam opções para o cargo de piloto de testes da BMW. O promissor Nico Hulkenberg - protegido do empresário de Michael Schumacher, Willi Webber - está no topo da lista.

Embora esteja mostrando uma teimosia injustificável ao tentar manter Glock, a BMW é uma equipe séria, eficiente e que almeja vôos mais altos já no curto prazo. Nesta segunda, um dos titulares da equipe, Nick Heidfeld, deu uma amostra do otimismo do time: "Vencer o título nunca foi tão real quanto agora. Nosso objetivo é conquistar uma vitória e depois lutar pelo campeonato", disse ele ao site f1-live.

Será que a BMW consegue chegar ao topo nos próximos anos? Eu não duvido.


O vídeo do dia é uma dica preciosa do amigo Fábio, do Rio Kart. Trata-se do último teste realizado por Ayrton Senna antes do fatídico G.P. de San Marino de 1994. As imagens - gravadas no circuito francês de Paul Ricard - mostram cenas da pista e momentos dos bastidores, sem nada além do som ambiente:


Antes que eu me esqueça: o vídeo é dividido em duas partes. Amanhã, o blog publica a segunda metade.

Nesta terça, o Blog volta com a seção Os 10+ do Blog F1 Grand Prix, inaugurando a segunda das listas especiais dedicadas à fazer um balando da temporada 2007. Dessa vez, vamos falar das Dez Maiores Bobagens do Ano. E, ao longo do dia, comentários sobre as principais notícias do mundo da velocidade. Até amanhã!

Crédito das fotos:
Dietrich Mateschitz - http://www.salzburger-fenster.at/
Nico Hulkenberg - http://www.sportgate.de/

7 comentários:

daniel disse...

Mais uma do Bild, só pode ser. Esse é o típo de notícia que não deveria nem ser levada a sério. Ainda bem que já no título voce já vem avisando que não considera muito o boato. Melhor assim.

--

Alonso vai para a Toyota, anote aí

---

Glock vai ficar a pé

---

Belíssimo vídeo, ótima escolha.

Parabéns pelo trabalho,

Daniel Lopes - São Paulo Capital

alex disse...

será que o Shumacão volta???? Eu torço, seria sensacional ve-lo ao lado do Hamilton, já pensou??? Pena que seje tão difícil!!!

Briatore tá loukinho loukinho para contar com o Alonsito. Mas do que jeito que tá ele vai ficar chupando o dedo, acho que Alonsito vai pra Red Bull!!!

E sobre o Glock pouco a comentar coitado. Vai perder a chance da vida dele por uma babaquice da BMW!!!

Rio Kart disse...

Belas imagens. Deve ser a 10ª vez que vejo o vídeo, fico feliz em ter contribuido!

Minha torcida para a próxima temporada é apenas ver BMW e Red Bull mais fortes, isso - ver a Red Bull melhor - só se confirmarem Alonso na equipe ou se mudarem a atual dupla de pilotos - promovam o Vettel, sei lá. São as marcas que julgo merecerem no momento, é para isso que vou torcer.

Achei que as imagens fossem anteriores à temporada, não ao próprio GP em Ímola! Que fim-de-semana aquele...

Forte abraço, Gustavo!

Worstlap disse...

Verdade. O Ross Brawn é inglês. O sul-africano da turma (o que pode ter causado a confusão) era o Rory Byrne, o projetista.

E o Ross Brawn é o segundo cara mais falado na safrinha (que virou safrona) da Silly Season. =OP Ferrari, Honda, Toyota e agora Red Bull.

Tá bem ele, hein? hehehe

Abraço,
Kohara

Felipe Maciel disse...

O Bild ultimamente está se tornando seguidor do "eu aumento mas não invento!".

Essa bobagem de Schuamcher na McLaren eu prefiro nem comentar, melhor falar sobre o ultimato do Briatore.

É como se ele dissesse para o Alonso: Fernando, você tem até terça para assinar o contrato. Não assinando, ele diz: Muito bem, Fernando, eu vou te dar mais uma chance, você tem até terça para assinar conosco. Depois disso: Fernando, pela última vez, assina até terça, vai, por favor...

Ora, o Briatore sacrificou o desenvovimento do R27 só para trazer o espanhol de volta. E agora vai dar ultimato pra ele? Tá certo que o italiano é meio maluco, mas tá se arriscando demais. Se oferecesse um acordo de um ano, o Alonso já teria aceitado e as coisas já estariam resolvidas. Nota-se que o Flavio tá querendo complicar a situação a todo custo...

Xavier disse...

hehe!

Dessa vez acertou, Gustavo!

Obrigado pelo credito ;)

Abraços

Blog F1 Grand Prix disse...

Obrigado por todas as mensagens!

Daniel: Valeu mesmo pelos elogios! Está anotado o seu palpite do Alonso na Toyota, vamos ver quem acerta mais tarde!

Alex: Eu também gostaria de ver Schumacher retornando, mas acho quase impossível...

Kohara: Foi exatamente isso o que me confundiu. Rory Byrne é sul-africano, mas Ross Brawn é ingles.

Fábio: A Red Bull tem enorme potencial para se tornar equipe grande a médio e longo prazo. Seria sensacional mesmo ver Alonso junto com o time das bebidinhas, mas continuo apostando que o espanhol vai para a Renault.

Felipe: O "ultimato" do Briatore foi mesmo ridículo. Era óbvio que Alonso não se sentiria pressionado. Pelo jeito, o bicampeão ainda deve enrolar a Renault por um bom tempo...

Xavier: Não podia faltar uma menção ao seu nome! Ainda bem que você me corrigiu, senão eu talvez nunca percebesse o erro...

Grande abraço a todos!

Gustavo Coelho