quinta-feira, 18 de outubro de 2007

A poucos dias da decisão, candidatos ao título tentam fugir das polêmicas

Duas coletivas de imprensa movimentaram os jornalistas nesta quinta-feira, em São Paulo. Pela manhã, Kimi Raikkonen e Felipe Massa participaram de uma série de entrevistas promovidas pela Shell, no Hotel Transamérica. Mais tarde, os dois se juntaram a Lewis Hamilton e Fernando Alonso na sabatina montada pela FIA, no próprio autódromo de Interlagos.

Como sempre, os pilotos mostraram toda a capacidade do mundo para fugir das questões mais polêmicas. Hamilton, por exemplo, disse duvidar que o título seja decidido num acidente: "Somos profissionais e nosso principal objetivo é completar as corridas. Não acho que vou ter problemas assim na prova", disse o inglês.

Ao mesmo tempo, Alonso teve que explicar a presença de um observador na FIA para garantir a igualdade de condições dentro da McLaren. Segundo parte da mídia especializada - sobretudo inglesa - a entidade só mandou um representante por pressão do espanhol. Alonso, porém, negou: "Não concordo com essa decisão. Não acho que há necessidade alguma de ter um inspetor da FIA conosco".

Por sua vez, Kimi Raikkonen foi repetidamente perguntado sobre a recente renovação do contrato de seu companheiro de Felipe Massa com a Ferrari, que "poderia" enfraquecer a posição do finlandês na equipe vermelha. Como de costume, Raikkonen deu uma resposta clara e direta: "Isso não me interessa. Tenho um acordo com a Ferrari e o campeonato continuará difícil da mesma maneira".

E Felipe Massa? Apesar de já estar fora da briga pelo troféu de campeão, o brasileiro também precisou responder uma questão bastante desconfortável: e se Kimi Raikkonen levar o título, como fica a sua situação? Massa não se intimidou: "Nossa relação vai continuar a mesma. E o tratamento dentro da equipe, também".

Ao contrário do que costuma acontecer, a FIA surpreendeu e escalou os quatro protagonistas da temporada para a sua entrevista coletiva pré-G.P. Mas o encontro com os jornalistas foi bastante chato e previsível. Nessa altura, Hamilton, Alonso, Raikkonen e Massa só desejam afastar as fofocas envolvendo seus nomes. Eles não precisam de mais dores de cabeça.

Já basta toda a pressão que vão enfrentar no domingo, quando decidem o destino do campeonato mais emocionante dos últimos vinte anos.


Outro que falou bastante nesta quinta foi Rubens Barrichello. Numa reunião que só contou com jornalistas brasileiros, o piloto da Honda abriu o jogo e falou com franqueza sobre a atual temporada, que tem tudo para ser a pior de sua longa carreira na Fórmula 1. Apesar da péssima fase, Rubinho garantiu não ter perdido o sonho de voltar a brigar pelas primeiras posições.

"Só vou pensar em parar quando não tiver mais esperança de ver a Honda me dando um carro de ponta. Quero continuar fazendo o que mais gosto: correr", falou Barrichello. De fato, otimismo é tudo o que resta a Rubinho. O modelo RA107, que chegou a melhorar de rendimento na metade do ano, caiu de novo nas últimas corridas, apesar do fantástico quinto lugar de Jenson Button no G.P. da China.

Agora, a chance da equipe japonesa é uma prova com pista molhada. Nessas condições, a experiência de seus pilotos pode fazer bastante diferença. Aliás, Barrichello - consciente das limitações de seu carro - tem exatamente essa mentalidade: "Minha única chance de tentar um ponto está na chuva. De outra maneira, não tem jeito mesmo".

No dia de ontem, um simpático Rubinho participou de um evento de kart em São Paulo, acompanhando pela esposa, Silvana, e pelos filhos, Eduardo e Fernando. Com a má forma da Honda, Barrichello viu a pressão sobre suas costas diminuir bastante, o que contribuiu para aumentar sua tranqüilidade. Desde então, Rubinho tem criado um ambiente bem favorável na equipe, apesar da falta de resultados.

Se ele tivesse mantido essa postura durante seu período na Ferrari, poderia ter conseguido um desempenho bem mais significativo.



Agora, sim, tudo pronto para o Grande Prêmio do Brasil. Nesta quinta, o diretor de prova da FIA, Charlie Whitting, realizou uma última vistoria em Interlagos. No fim, a pista foi aprovada com mínimas ressalvas. Apenas algumas pequenas mudanças foram feitas, como a pintura de uma nova faixa na entrada do pit lane para orientar melhor os pilotos.

O problema da gigantesca mancha de tinta que surgiu na Curva do Sol foi resolvido com muita água e bicarbonato de sódio, que conseguiram apagar a vergonhosa marcação. Por enquanto, ainda não dá para saber se o trecho vai ficar um pouco escorregadio, mas a expectativa é os pilotos não encontrem maiores problemas.

Ao longo do dia de hoje, uma fina garoa caiu sobre Interlagos. A previsão do tempo, porém, continua apostando em tempo bom para a maior parte do fim de semana. Até agora, a chuva só ameaça os treinos de sexta e a classificação de sábado. Mas, pelo visto, a corrida provavelmente será disputada com sol e pista seca.

De qualquer forma, a prova deve ser sensacional e imprevisível. Embora a McLaren pareça levar vantagem por ter vencido sempre com os compostos macios e super-macios - escolhidos pela Bridgestone para Interlagos - a Ferrari costuma se dar bem em asfaltos lisos, como o da nova superfície do circuito. Acertar o ganhador do G.P. e o campeão da temporada é uma tarefa ingrata.

Alguém arrisca um chute?



Continuando o aquecimento para o Grande Prêmio do Brasil, o vídeo do dia destaca mais um momento marcante da história da prova. Dessa vez, a cena é o autódromo de Jacarepaguá, em 1982. Dois monstros da Fórmula 1 - Gilles Villeneuve e Nelson Piquet - duelam pela liderança, até que o canadense comete um erro e sai da pista:



Bons tempos, não?

Nesta sexta, o Blog volta com a Agenda do Fim de Semana, apresentando os destaques dos próximos três dias e o esperado palpite para o Grande Prêmio do Brasil. E, ao longo do dia, comentários sobre as principais notícias do mundo da velocidade. Até amanhã!

Crédito das fotos:
Entrevista coletiva - www.gpupdate.net
Rubens Barrichello - www.gpupdate.net
Últimos preparativos - www.gpupdate.net

6 comentários:

caio disse...

disseram muito e falaram pouco os quatro hoje. Também, quem tava esperando os dois se acusando ao mesmo tempo numa coletiva de imprensa, tava querendo demais. E isso ai mesmo, eles estão com a cabeça na corrida, tudo o que não querem agora são mais preocupações bobas.

maurício disse...

Esqueceno tudo o que está acontencendo, só tive olhos nesse post para o vídeo de jacarepaguá. Como era lindo aquele circuito!! Briga sinistra entre Gilles e Piquet, dessa eu nem lembrava. Que pena que o autódromo esteja completamente abandonado hoje em dia.

Leandro disse...

É verdade, naum tinha como esperar troca de farpas na entrevista, ateh pq Ron Dennis deve ter dado um sermao nos 2 pra evitarem que falassem besteiras

OBS: Em tempo: antes do jogo do Brasil no Maracanã começar na quarta feira, a bandinha da Marinha tocou o tema da vitoria e passou rapidamente umas imagens do Senna no telão. A Rede Globo mostrou?

Blog F1 Grand Prix disse...

Leandro,

Não sei cara. Eu também estava no estádio, no setor verde hehehe...

Grande abraço!

Gustavo

maurício disse...

caraca gustavo, tu não perde uma hein????

Fleetmaster disse...

Gostei do duelo !!!