sexta-feira, 13 de junho de 2008

Estudo revela: corridas de Fórmula 1 são evento esportivo mais lucrativo do planeta

A Fórmula 1 continua uma máquina de gerar dinheiro. Mesmo prejudicada pelo esvaziado grid de vinte carros e pela rotina de falta de ultrapassagens, a categoria foi apontada hoje como o evento esportivo mais lucrativo do planeta. Essa é a conclusão de um estudo comandado pelo instituto Deloitte Sport Business e publicado no anuário Formula Money, que registra as principais estatísticas financeiras da Fórmula 1.

De acordo com a pesquisa, cada Grande Prêmio gera cerca de US$ 230 milhões de dólares - algo em torno de R$ 375 mi. Em segundo lugar na lista aparecem as partidas da NFL, a liga profissional de futebol americano dos Estados Unidos. Um único jogo rende, em média, dez vezes menos do que um evento da Fórmula 1. O próprio estudo, porém, ressalta que a supremacia das corridas não é tão significativa assim.

No ranking que considera os ganhos ao longo de uma temporada, a NFL sobe para o primeiro lugar, com US$ 6,5 bilhões gerados num só ano. A liga americana de beisebol vem na vice-liderança, com US$ 5,1 bi, enquanto a Fórmula 1 cai para o terceiro lugar, somando US$ 3,9 bi de lucro num campeonato inteiro. O evento futebolístico de maior sucesso é a primeira divisão inglesa, que figura no quarto lugar com US$ 3 bi.

Apesar de encomendado por pessoas ligadas à Fórmula 1, o estudo do Deloitte Sport Business é uma amostra do excelente potencial que um investimento na categoria possui. Como nenhum outro esporte, o automobilismo tem ótimo alcance entre um público de alto poder aquisitivo. Gente que vai aos autódromos já disposta a gastar absurdos num simples bonézinho da Ferrari, por exemplo.

A pesquisa tem uma tendência clara de favorecer a Fórmula 1, mas confirma a vocação da categoria para ganhar dinheiro. Em princípio ainda um esporte, mas no fundo cada vez mais um negócio.



As equipes da Fórmula 1 prosseguiram hoje com a bateria de testes em Barcelona. E, pelo segundo dia consecutivo, deu Ferrari na cabeça. Assim como ontem, o piloto reserva Luca Badoer liderou as atividades, dessa vez seguido pelo espanhol Pedro de la Rosa, da McLaren. Apenas dois brasileiros trabalharam: Rubens Barrichello ficou com o sétimo posto, e Nelsinho Piquet finalizou na oitava e penúltima posição. Os testes em Barcelona encerram-se amanhã. A seguir, os tempos de hoje:

1. Luca Badoer/Itália/Ferrari, 1:21.013s (95 voltas)
2. Pedro de la Rosa/Espanha/McLaren, 1:21.374s (111)

3. Timo Glock/Alemanha/Toyota, 1:21.573 s (97)
4. Nico Rosberg/Alemanha/Williams, 1:21.614s (86)
5. David Coulthard/Escócia/Red Bull, 1:21.669s (86)
6. Robert Kubica/Polônia/BMW, 1:21.761s (114)

7. Rubens Barrichello/Brasil/Honda, 1:21.950s (122)
8. Nelsinho Piquet/Brasil/Renault, 1:22.037s (129)
9. Sebastien Bourdais/França/Toro Rosso, 1:22.395s (101)


Nos bastidores, Bernie Ecclestone enviou carta a todos os clubes que compõem a FIA negando os boatos de uma cisão na Fórmula 1. As especulações são resultado da permanência de Max Mosley no comando da entidade, o que seria contra a vontade de Ecclestone e das montadoras. "Sou amigo de Mosley há quarenta anos, e espero continuar sendo", diz Ecclestone num trecho da carta. Após trabalhar abertamente pela renúncia de Mosley, parece que a "amizade" já foi para o vinagre...

Aliado de Ecclestone e apontado como um dos candidatos à presidência da FIA - isto, é claro, no caso da saída de Mosley - Flavio Briatore tem outra preocupação mais importante no momento. Nesta sexta, o chefão da Renault casou-se com a modelo Elisabetta Gregoraci. Para a festa, Briatore alugou um castelo medieval na Itália, e contratou a cantora Beyoncé e o grupo Duran Duran.

Agora fica claro porque Nelsinho Piquet foi o escolhido pela Renault para testar em Barcelona. Oportunidade para o brasileiro ganhar confiança? Nada disso. Fernando Alonso está na lista de convidados. Pelo visto, Nelsinho não...



O vídeo do dia mostra a pancada do japonês Hideki Noda durante o treino classificatório de ontem para as 24 Horas de Le Mans. Um obscuro ex-piloto da Fórmula 1, Noda perde controle do seu Lola Mazda e sai capotando de forma espetacular. Vale a pena conferir:


Esse eu vi no A Mil Por Hora, o novo blog do Rodrigo Mattar

Nos vemos por aí!

Crédito das fotos:
Fórmula 1 e Luca Badoer - www.motorsport.com
Elisabetta Gregoraci - www.scosta.webhs.pt

4 comentários:

Gui Vieira disse...

Sou um desses sujeitos que gasta 50 reais num boné da Ferrari. Viciado não toma jeito, né??? Eu já torrei minhas economias comprando ingresso mas sempre sobra um extra pra usar nessas pequenas lembrancinhas!!!

A Ferrari vem forte na França, vai dar Massa com Kimi em segundo. Badoer é bem lento, para ele estar liderando assim o carro tem que estar bem melhor que o resto.

Sobre a cisão tenho a mesma opinião do Galvão nessa. É tudo papo, isso é normal na Formula-1, duvido que o Bernie deixe acontecer, mas vamos ver.

E o Briatore hein??? Tá podendo!! Nelsinho coitado, daqui a pouco recebe o bilhete azul!!!!

E que pancadão do japa!! Nada contra, mas tinha que ser né!!

Abraços!

Daniel Médici disse...

Falem por vocês. Eu não compro nada nas lojinhas das equipes no GP Brasil. Há quem torre 800 reais por um agasalho da Ferrari...

Rodrigo Morano disse...

Também não me impressiona já que tudo é muitooooooo caro, ingresso a 300 reais, bonés 100 , esses agasalhos de 800 são caros, mais cá entre nós são lindos!!!!

Anônimo disse...

Incrível como Noda tenha saído vivo desse acidente... O cara é tão fraco nas pistas, que ele teve a coragem de correr três etapas de F-1 em 94...