domingo, 25 de maio de 2008

Hamilton sai vencedor na loteria de Mônaco

Com chuva, o Grande Prêmio de Mônaco não poderia ser uma corrida convencional. Numa prova recheada de pequenos acidentes, bicos quebrados e mudanças nas condições de pista, Lewis Hamilton contou com a estratégia perfeita da McLaren para vencer pela primeira vez no Principado. Robert Kubica finalizou num ótimo segundo, enquanto Felipe Massa foi prejudicado por erros da Ferrari e não passou de terceiro. Já Rubens Barrichello quebrou o longo jejum de pontos com um sólido sexto lugar.

O domingo em Mônaco foi chuvoso desde a manhã. No horário da largada, a chuva era fraca, mas a pista ainda estava muito molhada. À exceção de Nelsinho Piquet, que arriscou começar com os pneus "biscoito", todos os pilotos alinharam com compostos intermediários. Mesmo antes do início, o G.P. de Mônaco já teve seu primeiro momento de drama, quando Heikki Kovalainen ficou parado no grid e precisou ser empurrado para largar dos boxes.

Na saída, o pole Felipe Massa não cometeu erros e manteve a ponta sem maiores dificuldades. Ao mesmo tempo, Lewis Hamilton superou Kimi Raikkonen já no arranque, passando para a vice-liderança. Ainda na primeira volta, Nico Rosberg e Jenson Button danificaram seus aerofólios dianteiros em incidentes separados. Era apenas o início de um festival de bicos quebrados, que se prolongaria até o fim da corrida.

De início, Massa impôs seu ritmo e não demorou a abrir vantagem para Hamilton. A chuva apertava e os pilotos tinham cada vez mais dificuldades de se manter na pista. Na sexta volta, Hamilton cometeu um erro e atingiu o guard rail na curva do Tabaco. Para sorte do inglês, o carro não ficou muito danificado, mas Hamilton precisou visitar os boxes para trocar um pneu que se dechapou no acidente.

O piloto da McLaren aproveitou para encher o tanque de combustível até a boca. Hamilton retornou em quinto, beneficiado pelo ritmo fraco do pelotão intermediário, que andava lento por causa da nuvem de spray. Logo depois, foi a vez do quarto colocado Fernando Alonso beijar o muro. Assim como Hamilton, o bicampeão conseguiu retornar aos boxes, mas perdeu várias posições.

Alonso havia batido na curva do Cassino, que estava se tornando um verdadeiro sabão. Alguns segundos após Alonso acertar o guardrail, David Coulthard rodou e bateu mais forte. Na seqüência, Sebastien Bourdais também saiu do trilho e encontrou o muro, ficando estacionado atrás da Red Bull de Coulthard. Os dois carros batidos forçaram a entrada do safety cat, o que arruinou a vantagem de treze segundos que Massa tinha na liderança.

A corrida recomeçou na volta 11, com Massa, Raikkonen e Robert Kubica liderando o pelotão. Nesse momento, Raikkonen recebeu um drive through por causa de um erro inacreditável da Ferrari, que havia demorado demais para deixar seu carro pronto no grid. O finlandês permaneceu o máximo possível na pista, mas precisou pagar sua punição e caiu para quarto. Com Raikkonen fora de combate, Kubica subiu para segundo e começou a pressionar o líder Massa.

Enquanto isso, Alonso vinha escalando o pelotão. Após superar Mark Webber na curva Mirabeau, o bicampeão tentou uma manobra arriscada sobre Nick Heidfeld no grampo de Lowes. O resultado foi desastroso. Alonso perdeu o bico pela segunda vez no dia, Heidfeld saiu com um pneu furado e vários pilotos quase precisaram parar para não bater. No meio da confusão, Rubens Barrichello conseguiu uma bela ultrapassagem sobre Kazuki Nakajima, e entrou pela primeira vez na zona de pontuação.

Lá na frente, Massa vinha sofrendo forte pressão de Kubica. Quando o polonês já estava alcançando o brasileiro, Massa errou na curva Saint-Dévote e passou reto. O piloto da Ferrari conseguiu retornar à pista sem perder muito tempo, mas Kubica assumiu a liderança. Nessa altura, a chuva já havia parado, e o circuito começava a secar lentamente. A estratégia seria fundamental para decidir o destino da corrida.

Kubica foi o primeiro dos líderes a visitar os boxes, retornando ainda com pneus intermediários. Um pouco mais pesado do que o polonês, Massa ficou mais algumas voltas na pista, e abriu distância suficiente para superar o rival após o pit stop. A Ferrari optou por encher todo o tanque do brasileiro, o que se revelaria um erro tático terrível. Massa voltou em segundo, atrás somente de Hamilton, mas precisaria correr até o final com compostos intermediários.

A pista já secava num ritmo mais rápido, e a chuva não dava sinais de retorno. Mesmo assim, as condições ainda eram difíceis. Raikkonen, por exemplo, distraiu-se por um segundo e chocou-se contra o guard rail na Saint-Dévote. Para variar, apenas um bico quebrado foi o saldo da batida, que derrubou o finlandês até o sexto lugar. Raikkonen terminou superado inclusive pelo surpreendente Adrian Sutil, que andava em quinto com a Force India.

Já fora de qualquer possibilidade de pontos, Alonso se tornou o primeiro piloto a tentar pneus de seco. O espanhol logo provou que os compostos intermediários não eram mais a escolha certa, motivando uma série de pit stops para os outros pilotos. De qualquer maneira, parte da pista ainda estava molhada, e Alonso chegou a passear fora da pista pelo menos duas vezes, sem prejuízos. Por sua vez, Nelsinho Piquet não teve a mesma sorte, tendo que se retirar da prova após bater na Saint-Dévote.

Líder absoluto, Hamilton só fez sua segunda parada quando já tinha meio minuto de vantagem sobre Massa. Sem surpresas, o inglês voltou ainda na liderença, e com pneus de pista seca. Kubica também realizou seu último pit stop logo depois. O polonês seria o terceiro, mas Massa também precisou fazer mais uma parada, porque os pneus intermediários já não rendiam mais. Com o atraso do brasileiro, Kubica subiu para a segunda posição.

Atrás do trio, Sutil vinha num extraordinário quarto lugar. O alemão vivia seu dia de glória. Em certo momento, Sutil chegou a marcar a volta mais rápida da corrida. Depois, humilhou a McLaren ao colocar um giro de vantagem sobre Kovalainen. Mas ainda havia muita corrida pela frente. Correndo em nono lugar, Nico Rosberg cometeu um erro no complexo da Piscina e bateu forte. Mais uma vez, o safety car estava de volta à pista.

Após algumas voltas de intervenção, o carro de segurança se retirou aos boxes, restando poucas voltas para a bandeirada. Hamilton, Kubica e Massa lideravam a pelotão, seguidos pelo impressionante Sutil e pelo atrapalhado Raikkonen. Em dia irreconhecível, o atual campeão errou na saída do túnel e encheu a traseira do pobre Sutil. O alemão precisou abandonar, enquanto Raikkonen ainda encontrou forças para fazer a volta mais rápida e terminar em nono, apesar de mais uma parada não programada.

Dentro dos boxes, Sutil não conseguiu esconder sua decepção, e chorou amparado pela equipe. Sentimento bem diferente era o do amigo Hamilton, que não deu sopa para o azar e venceu com categoria. Foi o primeiro triunfo dele em Mônaco, encerrando um período de quase quarenta anos sem vitórias inglesas no Principado. A última havia sido de Graham Hill, em 1969. Atrás de Kubica e Massa, o ótimo Mark Webber herdou o quarto posto após a tragédia de Sutil.

Em quinto, Sebastian Vettel provou mais uma vez ser um fenômeno na chuva. Outro que também tem motivos para comemorar é Rubens Barrichello. O veterano fez uma corrida consistente para chegar em sexto, encerrando um longo jejum de 22 corridas sem pontos. Na seqüência, Kazuki Nakajima conseguiu um bom sétimo, e Kovalainen ainda salvou um pontinho depois de uma corrida recheada de problemas. Completando os dez primeiros, Raikkonen e Alonso ficaram fora dos pontos, em performances pouco dignas de campeões mundiais.

Logo abaixo, a classificação final do Grande Prêmio de Mônaco e as tabelas de pontos dos Mundiais de Pilotos e de Construtores:

1. Lewis Hamilton/Inglaterra/McLaren, 76 voltas em 2h00:42.272s
2. Robert Kubica/Polônia/BMW, a 3.069s
3. Felipe Massa/Brasil/Ferrari, a 4.811s
4. Mark Webber/Austrália/Red Bull, a 19.264s
5. Sebastian Vettel/Alemanha/Toro Rosso, a 24.657s
6. Rubens Barrichello/Brasil/Honda, a 28.408s
7. Kazuki Nakajima/Japão/Williams, a 30.180s
8. Heikki Kovalainen/Finlândia/McLaren, a 33.191s
9. Kimi Raikkonen/Finlândia/Ferrari, a 33.793s
10. Fernando Alonso/Espanha/Renault, a 1 volta
11. Jenson Button/Inglaterra/Honda, a 1 volta
12. Timo Glock/Alemanha/Toyota, a 1 volta
13. Jarno Trulli/Itália/Toyota, a 1 volta
14. Nick Heidfeld/Alemanha/BMW, a 4 voltas
Não terminaram:
Adrian Sutil/Alemanha/Force India, Acidente na volta 67
Nico Rosberg/Alemanha/Williams, Acidente na volta 59
Nelsinho Piquet/Brasil/Renault, Acidente na volta 47
Giancarlo Fisichella/Itália/Force India, Problema Mecânico na volta 36
David Coulthard/Escócia/Red Bull, Acidente na volta 7
Sebastien Bourdais/França/Toro Rosso, Acidente na volta 7
Melhor volta: Kimi Raikkonen, 1:16.689s na volta 74

Mundial de pilotos: 1. HAMILTON, 38 pts; 2. Raikkonen, 35 pts; 3. Massa, 34 pts; 4. Kubica, 32 pts; 5. Heidfeld, 20 pts; 6. Kovalainen e Webber, 15 pts; 8. Alonso e Trulli, 9 pts; 10. Rosberg, 8 pts; 11. Nakajima, 7 pts; 12. Vettel, 4 pts; 13. Button e Barrichello, 3 pts; 15. Bourdais, 2 pts; 16. Coulthard, Glock, Fisichella, Piquet, Sato, Davidson e Sutil, 0 pts

Mundial de Construtores: 1. FERRARI, 69 pts; 2. McLaren, 53 pts; 3. BMW, 52 pts; 4. Williams e Red Bull, 15 pts; 5. Toyota e Renault, 9 pts; 7. Toro Rosso e Honda, 6 pts; 9. Force India e Super Aguri, 0 pts

A próxima parada da Fórmula 1 é o Canadá, no dia 8 de junho. Logo mais, o Blog volta com a Análise do Grande Prêmio, repercutindo os resultados do G.P. de Mônaco. Até já!

Crédito das fotos: www.gpupdate.net

11 comentários:

Marcos Antônio Filho disse...

Hamilton sempre se dá bem nassas corridas confusas,é incrível como ele tem sorte!A Ferrari foi muito mal e Kazuki salvou o GP 600 do Frank Williams,Nico Rosberg,decepcionou!

Só acertei o Hamilton no bolão!rs
abraços!

Anônimo disse...

Acertei na mosca de novo! Falei que Vettel cruzaria a linha de chegada novamente, e se chovesse, iria pontuar. Falei também que Rubinho exorcizaria o "fantasma do zero ponto". E eles conseguiram. Parabéns, Sebastian. Você é o "mago da chuva". Parabéns também para Rubinho, que recebeu esses três pontos como um presente de aniversário merecidíssimo.

Emanuel disse...

Perfeita descrição da corrida, Gustavo. Duro é ver que, mais uma vez, na hora da verdade, Massa errou. Ele culpa a equipe pela decisão de fazer o segundo pit stop - erro grave, pois a Ferrari não tolera essa crítica pública de um piloto - mas esquece que errou, ao passar reto e quase bater. Outra vez molhou o macacão.

Daniel Médici disse...

Não sei se Mônaco foi uma loteria... A corrida esteve entre três pilotos, sempre. Aí Kubica coocou os mesmos pneus de Hamilton, tirando-o da dispta. Se chovese, a prova era de Massa. Caso contrário, Hamilton. E não choveu.

Cheguemos, então a um acordo: foi o acaso.

nelson disse...

Muito boa a corrida, principalmente quando comparamos com o nível das outras do ano (exceção feita à Austrália...)

Será se o Kovalainen herdou o azar do Kimi? Pneu furado na Turquia e não conseguiu sair em Monaco... já pode se considerar fora da luta pelo título, o companheiro que o Hamilton pediu aos céus.

Belíssima corrida do Sutil, chegaria em quarto, com todos os méritos de ter feito uma corrida impecável com carro tão ruim, uma pena ser alborroado pelo apagado Kimi no final. Boas atuações também de Vettel (incrível como os dois alemães crescem na chuva), Nakajima, Barrichello e, em especial, Webber, eu não dava um tostão furado por ele, mas o australiano tem mostrado uma consistência em corridas incomum para ele, tenho de dar a mão a palmatória para ele, faz belo campeonato, ao contrário de DC.

Incrível como o Hamilton parece ter sorte e competência para se manter alheio às confusões em corridas caóticas, foi quase perfeito, e sua escapada não o prejudicou muito por causa do safety-car, volta à liderança do campeonato antes de uma corrida pró-McLaren, volta à briga.

Massa fez o possível, deu azar de a pista ter secado no final, caso contrário, seria segundo, no mínimo, está bem, vem demonstrando uma capacidade de superação interessante, parece bem motivado, estratégia infeliz, Kimi parece abalado pelo bom desempenho do brasileiro, esteve apagado, verdade que prejudicado pelo erro primário da equipe que resultou na sua punição, terminando naquela escapada que acabou com a corrida do Sutil...

Kubica parece o Heidfeld (este, aliás, teve um fim de semana para esquecer) do ano passado, sempre ali, aproveitando todas as chances possíveis, torci muito para o polaco, mas falta algo para a BMW vencer, ainda, mas é, de fato, um baita piloto, merecido, o pódio, só falta uma vitória.

Que corrida do Alonso, para esquecer, poderia ter feito algo bom, mas foi afoito naquela batida com o Nick, esteve irreconhecível... já Piquet vinha cumprindo um bom papel, mas julgo inexplicável aquela parada para por wet tires nele, estava em décimo, com boas perspectivas (com o Alonso lá atrás até valia arriscar...), depois foi chamado para por pneu para seco quando a pista ainda não tinha condições, bateu, errou, mas não pode ser crucificado por este especificamente... pode ser que ele estivesse com o combustível no final naquela hora (ah, o Alonso pôs pneu para seco antes e aguentou, alguém argumentará, mas o Alonso é o Alonso, e também teve muitas dificuldades no começo).

Glock, a emoção da torcida, não fez nada de bom, mas animou, o Trulli, nem isso. Batida forte do Nico, que gostou de trocar o bico... sem mais observações...

Abraço,
Nelson

Maragato disse...

Surpresa mesmo, para mim, foi o raikonen dar tanta mancada em um dia só.

Concordo com o Massa em reclamar da estratégia, pq de fato, a Ferrari anda pecando e feio nesse quesito esse ano, se dependessem da estratégia mesmo, estariam ferrados. nota 10 para a maclaren, que novamente, teve uma ótima estratégia, e apesar dos pesares, conseguiram casa-la com perfeição.

porém discordo do massa que ele fala que foi culpa da ferrari em ele não ter completado mais a frente, pois ele errou tb, e teve parcela de culpa nisso.

nota 10 para o Sutil e o Vettel, nota 0 para Alonso e Raikonen...

Sutil e Vettel correram como se tivessem carro de verdade para andar... de cortar o coração ve-lo daquele jeito no box. e com a atuação dele hj, garantiu o emprego dele para o resto do ano. Vettel, conseguiu se manter na pista, e foi brilhante, ao contrário de Bordeir, que bateu e colocou a culpa nos pneus.

o "menino chorão", tb conhecido como Alonsete fez mancada em cima de mancada, e ainda terminou de acabar com a corrida do heidfeld. E Raikonen, sem comentários.

[]'s ai guga.

Maragato disse...

Nelson, uma correção, o Piquezinho, não tinha feito pit stop ainda, ele tava com os mesmos pneu que tinha largado, ou seja, foi o único a largar com pneus de chuva. E claramente, deu para escutar a Renault priveligiando o Alonso, qdo mandou ele ficar uma volta a mais na pista, para o menino chorão trocar os pneus. enquanto alonso trocava os pneus, o Piquezinho se ferrava (para não escrever palavrão) na pista...

eu detesto os dois, e detesto tb o Briatores, e ainda mais a Renault (o Logan é muito feio, pqp), portanto, o lixo do mundo tá e vem de lá!!!

hehehehhe

a propósito, oq q o Logan tem haver com esse post? O Logan é da Renault... explica?

hheheheheh

[]'s aew

Guilherme (RJ) disse...

A procissão de Mônaco virou um tremendo arrastão de bicos quebrados, pneus furados e algumas boas trombadas. A destacar a ótima prova de Kubica, acho que foi um dos poucos que não errou nada, senão o único.

A corrida foi exatamente isso que você descreveu. Mas gostei mesmo foi da expressão “a tragédia de Sutil”, uma pena mesmo não ter pontuado.

Abraços!

nelson disse...

Maragato, é verdade... valeu a correção.

E o Logan é feio mesmo!

Mas, mesmo assim, acho que não foi a hora correta para por pneus de seco no Piquet, salvo uma possível pane seca, deveriam esperar mais duas ou três voltas...

Net Esportes disse...

Excelente corrida e excelente vitória do Hamilton, os treinos de quinta-feira realmente deram a dica ......... !!!!!

Nelson disse...

Só mais uma coisa, o meteorologista da F1 caminha lentamente rumo à demissão, no GP da Europa do ano passado, aparecia na tela "Prediction - Rain in x minutes" e a dita cuja nunca aparecia no x... Hoje, os caracteres foram menos proféticos "Weather Forecast - Rain expected in x minutes", mesmo assim não apareceu mais, a chuva, daqui a pouco desistem de previsão do tempo na transmissão e o coitado é demitido... nonsense? Pode ser, mas achei interessante essa evolução...