domingo, 20 de julho de 2008

Vitória de Hamilton e podium para Nelsinho no G.P. da Alemanha

Foi mais difícil do que deveria, mas Lewis Hamilton confirmou seu favoritismo e venceu com autoridade o Grande Prêmio da Alemanha deste domingo, em Hockenheim. O principal destaque do dia, porém, acabou sendo Nelsinho Piquet, que saiu do 17º lugar do grid para conquistar um excelente segundo lugar. Felipe Massa fechou o podium, enquanto Kimi Raikkonen não passou de sexto. Já Rubens Barrichello abandonou.

Desde a largada, Hamilton mostrou que era bem superior à concorrência. O inglês saiu bem da pole e manteve a liderança sem maiores problemas. Nas voltas seguintes, abriu uma distância que chegou a dez segundos antes da primeira rodada de paradas. Hamilton era cerca de meio segundo por volta mais rápido do que Massa, seu adversário mais próximo. Sem condições de acompanhar Hamilton, o brasileiro limitou-se a administrar a vantagem para Heikki Kovalainen, que vinha em terceiro.

Mais atrás, Robert Kubica aparecia em quarto, após ganhar três posições na largada. Por sua vez, Kimi Raikkonen teve um início de corrida ruim e caiu de sexto para sétimo no fim da primeira volta. Menos mal que o finlandês aproveitou um descuido de Fernando Alonso para superar o espanhol, voltando à posição original de grid. Até aí, nada indicava que Nelsinho Piquet poderia conseguir um bom resultado. O brasileiro da Renault ocupava apenas o 18º lugar, à frente somente da dupla da Force India.

Com Hamilton disparado na frente, a corrida foi uma chata procissão até os primeiros pit stops. O líder inaugurou a série de paradas na volta 19, junto com Kubica. A McLaren trabalhou rápido e devolveu Hamilton ainda em quinto. Massa visitou os boxes dois giros depois e não teve como superar o rival. Depois de todos os pit stops, Hamilton assumiu a liderança mais uma vez, com confortável vantagem sobre Massa. Parecia que a prova seria um apenas um passeio para o inglês.

Então, exatamente na metade da corrida, Timo Glock sofreu um fortíssimo acidente na reta de largada. O alemão teve uma quebra de suspensão e bateu com violência no muro, causando a entrada do safety car. Glock saiu tonto e precisou ser levado ao centro médico do circuito, mas não se machucou seriamente. De qualquer maneira, a intervenção do carro de segurança mudou a história da corrida e veio no momento ideal para Nelsinho Piquet.

Na mesma volta em que Glock bateu, Nelsinho visitou os boxes para fazer sua primeira e única parada. Colocou gasolina até o fim da corrida e voltou para a rabeira do pelotão que se enfileirava atrás do safety car. Quando o pit lane foi aberto, a maior parte dos pilotos entrou para fazer a última parada. Somente Hamilton e Nick Heidfeld permaneceram na pista, preferindo uma estratégia mais arriscada. Assim, Nelsinho subiu para terceiro, uma posição à frente de Massa.

Depois que o safety car saiu, Hamilton não demorou a abrir uma vantagem razoável, mas logo precisou rumar para os boxes. A McLaren trabalhou rápido e o inglês retornou em quinto, num ritmo alucinante. Primeiro superou o companheiro Kovalainen, que facilitou a ultrapassagem no grampo de Hockenheim. Na seqüência, ganhou mais uma posição com o último pit stop de Heidfeld e partiu à caça de Massa.

Em poucas voltas, Hamilton alcançou o piloto brasileiro. Mais uma vez no grampo de Hockenheim, realizou uma manobra agressiva para cima de Massa, que precisou sair da pista para não bater. Hamilton passou para segundo e imediatamente começou a diminuir a distância para Nelsinho. Pela primeira vez, o brazuca da Renault liderava uma corrida, mas o seu momento de glória não duraria muito tempo.

Sem ter como segurar Hamilton, Nelsinho perdeu a ponta para o inglês a oito voltas da bandeirada. Até o fim da corrida, as posições não se alteraram mais entre os líderes e Hamilton conquistou sua segunda vitória consecutiva - fato inédito nesta temporada. Mas a grande estrela do dia foi Nelsinho, que segurou o segundo lugar de maneira brilhante, andando num ritmo inclusive superior ao de Massa nas voltas finais.

Conformado, Massa fechou em terceiro, depois de resistir à pressão de Heidfeld nos derradeiros momentos da prova. Ofuscado por Hamilton, Kovalainen fez uma corrida mediana até o quinto lugar. Seu compatriota Raikkonen também ficou devendo: o campeão foi apenas o sexto, embora tenha realizado algumas bonitas ultrapassagens sobre Alonso, Trulli e Kubica. O polonês finalizou em sétimo e Sebastian Vettel completou a zona de pontuação, após superar Trulli a poucas voltas do fim.

Visivelmente desinteressado, Alonso cometeu vários erros e não passou de 11º, irritando o chefe Flavio Briatore. O espanhol, inclusive, chegou a rodar no trecho final da corrida, quando já não tinha muitas chances de pontuar. Assim como Alonso, Rubens Barrichello teve um dia para esquecer, abandonando após receber uma fechada grosseira do aposentado David Coulthard. Logo abaixo, o resultado final do Grande Prêmio da Alemanha e a classificação dos campeonatos de pilotos e construtores:

1. Lewis Hamilton/Inglaterra/McLaren, 67 voltas em 1h31:20.874
2. Nelsinho Piquet/Brasil/Renault, a 5.586
3. Felipe Massa/Brasil/Ferrari, a 9.339
4. Nick Heidfeld/Alemanha/BMW, a 9.825
5. Heikki Kovalainen/Finlândia/McLaren, a 12.411
6. Kimi Raikkonen/Finlândia/Ferrari, a 14.483
7. Robert Kubica/Polônia/BMW, a 22.603
8. Sebastian Vettel/Alemanha/Toro Rosso, a 33.282
9. Jarno Trulli/Itália/Toyota, a 37.158
10. Nico Rosberg/Alemanha/Williams, a 37.625
11. Fernando Alonso/Espanha/Renault, a 38.600
12. Sebastian Bourdais/França/Toro Rosso, a 39.111
13. David Coulthard/Escócia/Red Bull, a 54.971
14. Kazuki Nakajima/Japão/Williams, a 1:00.003
15. Adrian Sutil/Alemanha/Force India), a 1:09.488
16. Jenson Button/Inglaterra/Honda, a 1 volta
17. Giancarlo Fisichella/Itália/Force India, a 59.093*
Não classificados:
Rubens Barrichello/Brasil/Honda, Acidente na volta 50
Mark Webber/Austrália/Red Bull, Problema Mecânico na volta 40
Timo Glock/Alemanha/Toyota, Acidente na volta 35
Melhor volta: Nick Heidfeld, 1:15.987 na volta 52
* = Punido em 25 segundos por ultrapassar os carros dos líderes em momento proibido

Mundial de Pilotos: 1. HAMILTON, 58 pts; 2. Massa, 54 pts; 3. Raikkonen, 51 pts; 4. Kubica, 48 pts; 5. Heidfeld, 41 pts; 6. Kovalainen, 28 pts; 7. Trulli, 20 pts; 8. Webber, 18 pts; 9. Alonso, 13 pts; 10. Barrichello, 11 pts; 11. Piquet, 10 pts; 12. Rosberg e Nakajima, 8 pts; 14. Coulthard e Vettel, 6 pts; 16. Glock, 5 pts; 17. Button, 3 pts; 18. Bourdais, 2 pts; 19. Fisichella, Sato, Davidson e Sutil, 0 pts

Mundial de Construtores: 1. FERRARI, 105 pts; 2. BMW, 89 pts; 3. McLaren, 86 pts; 4. Toyota, 25 pts; 5. Red Bull, 24 pts; 6. Renault, 23 pts; 7.Williams, 16 pts; 8. Honda, 14 pts; 9. Toro Rosso, 8 pts; 10. Force India e Super Aguri, 0 pts


A próxima parada da Fórmula 1 é o Grande Prêmio da Hungria, marcado para o dia 3 de agosto. Logo mais, o Blog volta com a seção Análise do Grande Prêmio, repercutindo as atuações de pilotos e equipes no G.P. da Alemanha. Até já!

Crédito das fotos: www.motorsport.com e www.gpupdate.net

5 comentários:

unsecured loans disse...

I like the way you wrote this kind of blog.


unsecured loans

Guilherme (RJ) disse...

E aí, Gustavo...

Quem diria que o primeiro pódio da Renault viria com o Nelsinho, hein...

Sensacional essa colocação dele e vindo lá de trás, chegar em 2º sem ultrapassar praticamente ninguém é coisa rara na F1. E nem foi uma corrida maluca de vários acidentes nem com chuva.

Além disso, é a primeira vez na temporada que os pilotos da Ferrari, McLaren e BMW chegam aos pontos, o que mostra a relevância do resultado do brasileiro.

Agora, o que foi o Hamilton hoje?!?!
Essa vitória também teve o dedo do Ron Dennis, principalmente ao apertar o botão do Kova para não fazer resistência ao ser ultrapassado pelo inglês.

De qualquer forma, Hamilton não tomou conhecimento de ninguém. Literalmente passou por cima do Massa como se o ‘brazuca’ corresse na falecida Super Aguri.

Há quem diga que o brasileiro possa ter pensado no campeonato, preferindo ganhar pontos importantes, e até foram mesmo, embora tenha largado na 1ª fila, a ter que disputar (haveria como?) algumas voltas com o inglês, mas ser colocado pra fora da pista daquele jeito sem fazer um jogo duro com o Hamilton foi ser passível demais.

Abraços!

Marcos Antônio Filho disse...

corrida boa,E o Hamilton sobrou nessa corrida,a Ferrari agora paga os erros cometidos nas outras pistas...Vamos ver se dá pra recuperar.
abraços!

nelson disse...

Hamilton muito bem, dominou como quis a prova, mesmo com o erro estratégico da sua equipe.

Alonso mal demais, principalmente depois da relargada, todo mundo o passava com relativa facilidade.

Já Kimi parece que foi ligado na tomada depois do SC, fazendo várias ultrapassagens logo após a relargada, o problema é que acabou prejudicado por ficar esperando Massa parar, em condições normais, teria terminado mais à frente, mas, de qualquer maneira, esteve muito apagado no fim de semana inteiro...

Grande resultado para o Piquet, muita sorte e competência no final, que isso dê a ele a confiança necessária para ter desempenhos mais consistentes, principalmente em classificações.

Grandes palavras do Massa sobre o pódio do seu conterrâneo, ele vem ganhando cada vez mais o meu respeito.

Apagada corrida do Kovalainen, com o melhor carro do grid, deveria ter condições de brigar por um pódio, pelo menos, ainda mais depois do erro da McLaren com o Hamilton, que acabou o ajudando (já que não teve que ficar esperando o companheiro fazer o pit, como o Kimi).

Piquet foi perfeito, não cometeu erros andando na frente, foi racional contra Hamilton e conseguiu controlar bem o Massa no final da corrida, apresentando um ritmo supreendente para o R28.

Eu acho que as mancadas da Ferrari farão falta no futuro, pois há vários GPs com pistas que devem ser favoráveis aos prateados, como Hungria, Valencia e Cingapura.

A próxima corrida apresentará uma luta intensa... contra o sono...

Abraços

kimi_cris disse...

O safety-car veio dar muita emoção à corrida, ams foi clara a vitória de Hamilton!

Abraço!

Kimi_Cris