sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Ferrari e McLaren com hegemonia ameaçada?

Na temporada recém-encerrada da Fórmula 1, o campeonato foi disputado entre Ferrari e McLaren.

Há dez anos, em 1998, o título também ficou entre Ferrari e McLaren.

Há vinte anos, em 1988, somente estas duas equipes venceram corridas na temporada.

Desde 1979, ou seja, nos últimos 30 campeonatos da Fórmula 1, Ferrari e McLaren dividiram entre si 18 Mundiais de Construtores.

Excluindo a ''intrusa'' Williams, que venceu nove vezes o campeonato das equipes, apenas Benetton (1995) e Renault (2005-06) ameaçaram a hegemonia de Ferrari e McLaren.

Não é exagero dizer que a história moderna da Fórmula 1, que começa ali em meados dos anos 70, se resumiu a um quase eterno duelo entre as duas grandes potências da F-1.

Se não fosse a Williams, McLaren e Ferrari teriam conquistado mais de 90% de vitórias e títulos neste período.

Agora, pela primeira vez em muito tempo, o duopólio corre risco de ficar ameaçado.

Em 2009, o novo regulamento vai promover uma revolução na F-1.

É fato que as regras têm mudado bastante.

Mas, dessa vez, as mudanças vão realmente ''bagunçar'' a hierarquia da categoria.

Fernando Alonso resumiu este pensamento hoje: a Fórmula 1 será uma total incógnita em 2009.

E nem mesmo Ferrari e McLaren, as grandes dominadoras, estão garantidas no grupo das equipes que vão lutar pelo título na próxima temporada.

Vale lembrar que a disputa pelo campeonato deste ano atrasou ambas as escuderia no desenvolvimento de seus modelos para 2009.

Portanto, uma queda de rendimento não seria lá grande surpresa.

Os testes de pós e pré-temporada, como sempre, não vão servir de muita referência.

Só será possível ter uma noção real do que vai ser o campeonato de 2009 no dia 27 de março, quando os carros entram na pista para os treinos de sexta-feira na Austrália.

Até lá, a F-1 vai ficar rodeada por dúvidas. Mais dúvidas do que o usual, inclusive.

Será que McLaren e Ferrari vão realmente perder a hegemonia?

Será que BMW, Toyota, Red Bull e Toro Rosso vão, enfim, dar o salto de qualidade para disputar o título?

Será que a Renault vai voltar a ser o que já foi um dia?

Será que Honda e Force India vão se livrar das últimas posições do grid?

Será que a Williams, no meio de todo este turbilhão de acontecimentos, vai conseguir sobreviver a crise econômica mundial?

Não adianta nem fazer alguma previsão agora, porque não há nenhuma base para isso.

Ainda falta muito para que qualquer uma dessas perguntas seja respondida.

3 comentários:

GAVIAO BOEMIO disse...

A FIA criou esse novo pacote tecnico nao pra reduzir a carga aerodinamica dos carros como muitos vem especulando, por ex; diminuiram a area da asa traseira, mas pode-se manter o mesmo downforce aumentando o angulo de ataque. Esse novo pacote tec. foi planejado para possibilitar a aproximaçao entre os carros em curvas de media e alta sem que o carro de trás, perca estabilidade direcional bruscamente ao se aproximar muito ao da frente. A ideia é simples: baixaram muito a altura e aumentaram a envergadura da asa dianteira, e, elevaram muito a altura e diminuiram a envergadura da asa traseira, isso para que a esteira de turbulência gerado pela asa traseira nao anule bruscamente a eficiência da asa dianteira do carro que faz a aproximaçao em curva, para ultrapassagem.
Outra mudança foi aumentar a largura da traseira do bólido ,isso permitirá que o carro que vem na aproximaçao entre em uma zona de baixa pressao("popularmente chamam de pegar o vaco") seria um vaco maior que os gerados pelos carros atuais ,mas essa aproximaçao quase colado no carro a frente, seria obviamente para as ultrapassagens nas retas.
Somado a isso a introduçao do Kers para dar um ganho extra de potencia bastando o piloto apenas apertar um botao, ultrapassagens ao estilo das corridas de arranca, onde o cara senta o dedo no botao de oxido nitroso e motor tem uma ganho extra de potencia instantaneamente. Eu particulamente sou contra uso do KERS para carros de corrida, e tambem a esses recursos de ultrapassagem.
Quanto ao projeto de chassi de cada equipe ,dependerá acima de tudo dos dados coletados da performace dos novos pneus slick que serao testados já a partir desta semana. A concepçao do projeto do chassi (suspençao,aerodinamica etc) depende acima de tudo das informaçoes obtidas da performace desses novos compostos,e a partir daqui eu entro em contradiçao com que havia dito antes que a Williams saiu na frente ao iniciar o proeto fw-2009 muito antes das outras equipes. Mas é a verdade ,tudo vai depender do conhecimento que cada equipe de engenharia vai tirar dos testes desses novos compostos.
As idéias para aumentar a competividade da f1 ,em tese sao boas,mas o resultado disso, só saberemos ao iniciar as corridas de 2009.
Por enquanto: ????????????????

Joaquim disse...

Este final de ano será o do ponto de interrogação.

Nesta mesma época ano passado era sobre o fim do controle de tração.Como seria? e na chuva? mas foi sendo esquecido. Os engenheiros foram achando meios de amenizar os efeitos de sua falta, os pilotos rapidamente assimilaram e hoje parece não fazer diferença.

Para mim, até que seria interessante mais equipes na disputa direta pelo título, mas acho que Ferrari e Mclaren continuam na frente.

Crotti disse...

O que vai acontecer, realmente não dá para prever. Mas pelo visto novas emoções devem acontecer. Pelo menos eu espero que sim. Este ano mesmo já aconteceram boas surpresas. E que venha logo 2009 !

Abraços