domingo, 22 de junho de 2008

Massa vence na França e assume liderança do campeonato

Com mais da metade do Grande Prêmio da França transcorrido, Kimi Raikkonen mantinha uma segura vantagem de seis segundos para Felipe Massa. O duelo entre os pilotos da Ferrari já parecia estar definido. Mas a sorte sorriu para o brasileiro, que superou seu companheiro de equipe depois que Raikkonen teve problemas de escapamento. De quebra, Massa também assumiu a liderança do campeonato, quebrando um jejum de treze anos sem nenhum piloto brazuca na ponta da tabela de pontos.

Desde o início, a prova de Magny Cours foi um passeio para a dupla da Ferrari. Na largada, o pole Raikkonen manteve a liderança sem grande dificuldade, com Massa logo atrás. Ao mesmo tempo, Fernando Alonso perdeu duas posições e caiu para quinto. Era o início de um dia complicado para o espanhol, que largou muito leve e viu sua tática estragada já na primeira volta. Jarno Trulli passou ao terceiro lugar, seguido por Robert Kubica.

Lá atrás, os pilotos da McLaren começaram galgando posições. Heikki Kovalainen subiu para nono e Lewis Hamilton para décimo. Os dois viram-se presos atrás de Nelsinho Piquet, que se mantinha em oitavo. Antes de terminado o primeiro giro, a única alteração na ordem foi a ultrapassagem de Alonso sobre Kubica, no miolo do circuito de Magny Cours. O bicampeão aproveitou-se de um descuido do polonês para conquistar o quarto lugar, mas não seria tão fácil assim superar o inspirado Trulli.

Como é comum em Magny Cours, as posições se estabeleceram e as disputas de pista viraram raridade. Na ponta, Raikkonen mantinha um ritmo mais forte do que Massa. Em poucas voltas, o finlandês já começou a abrir uma distância significativa. Mais tarde, quando a dupla passou a pegar retardatários, repetiu-se o roteiro da corrida do ano passado: Raikkonen tinha mais sorte e competência para deixar os atrasados para trás, enquanto Massa se enrolava a cada ultrapassagem.

Raikkonen já tinha quase cinco segundos de distância para Massa no momento em que rumou para os boxes. O brasileiro permaneceu duas voltas a mais na pista, o que não foi suficiente para tirar a vantagem do finlandês. Absoluto, Raikkonen recuperou a liderança, e logo voltou a abrir em relação a Massa. Pouco depois da volta 30, o "Homem de Gelo" chegou a possuir seis segundos de frente para o companheiro de equipe. O destino da corrida parecia selado.

Em questão de minutos, porém, o panorama mudou. Num golpe de azar, Raikkonen perdeu parte do escapamento, talvez por ter passado de forma muito brusca sobre uma zebra de Magny Cours. Certo é que o finlandês imediatamente sofreu uma grave perda de potência. Massa encostou e nem teve de forçar: o próprio Raikkonen já deixou a porta aberta para o companheiro assumir a liderança.

Nessa altura, a dupla da Ferrari já tinha trinta segundos de vantagem para Trulli, que se mantinha em terceiro. Para Massa e Raikkonen, portanto, foi apenas uma questão de administrar o equipamento para garantir a dobradinha. Nem a chuva tímida que apareceu no final da prova conseguiu abalar o domínio da equipe italiana. Com os pilotos da McLaren atrasados, a Ferrari não teve adversários.

Hamilton e Kovalainen, aliás, fizeram corridas de muito combate, com resultados diferentes. Enquanto o finlandês teve paciência para escalar o pelotão, Hamilton cometeu um erro já na primeira volta que encerrou qualquer possibilidade de pontos. Numa manobra desastrada, o inglês superou Sebastian Vettel cortando parte da pista. Provável que Hamilton tenha achado que não receberia uma punição, mas não foi isso que aconteceu. Punido com um drive through, perdeu muito tempo e não mais se recuperou.

Por sua vez, Kovalainen realizou uma bela manobra sobre Mark Webber - por fora, no grampo Adelaide - e aproveitou bem a tática da McLaren para subir ao quarto posto. Nas últimas voltas, o finlandês fez de tudo para superar Trulli, mas o italiano resistiu. Foi o primeiro podium da Toyota em mais de dois anos, um merecido prêmio para a raça e o esforço de Trulli, que dedicou o resultado ao falecido dirigente Ove Anderson.

Ao contrário de Trulli e Kovalainen, Robert Kubica não brilhou. O polonês, entretanto, teve mais uma boa e consistente atuação, salvando um quinto lugar na bandeirada. Kubica não mais lidera o campeonato, mas permanece na briga. Outro que manteve a regularidade foi Mark Webber, o sexto colocado na corrida de hoje. Mesmo sem chamar atenção, o australiano jamais deixou de figurar entre os primeiros e somou mais uns pontinhos.

Correndo em casa, a Renault arriscou na tática de Alonso e se deu mal. Apesar disso, a escuderia francesa ainda terminou o dia com os dois pilotos nos pontos. Pela primeira vez, Nelsinho Piquet mostrou seu verdadeiro potencial. Com grande atuação, o brasileiro terminou em sétimo, apesar de perder tempo com um limitador de velocidade que demorava para ser desativado na saída dos boxes. Mesmo lutando bastante, Alonso não passou de um frustrante oitavo, sendo batido por Nelsinho na penúltima volta.

Dos vinte que largaram, dezenove terminaram. Apenas Jenson Button abandonou, por problemas mecânicos. O afobado Hamilton foi apenas o décimo, quatro posições à frente de Rubens Barrichello. Largando de último após receber punição por trocar o câmbio, Rubinho fez o possível com o péssimo carro da Honda. Logo a seguir, a classificação final do Grande Prêmio da França e as tabelas dos campeonatos de pilotos e construtores:

1. Felipe Massa/Brasil/Ferrari, 70 voltas em 1h31:50.245s
2. Kimi Raikkonen/Finlândia/Ferrari, a 17.984s
3. Jarno Trulli/Itália/Toyota, a 28.250s
4. Heikki Kovalainen/Finlândia/McLaren, a 28.929s
5. Robert Kubica/Polônia/BMW, a 30.512s
6. Mark Webber/Austrália/Red Bull, a 40.304s
7. Nelsinho Piquet/Brasil/Renault, a 41.033s
8. Fernando Alonso/Espanha/Renault, a 43.372s
9. David Coulthard/Escócia/Red Bull, a 51.021s
10. Lewis Hamilton/Inglaterra/McLaren, a 54.538s
11. Timo Glock/Alemanha/Toyota, a 57.700s
12. Sebastian Vettel/Alemanha/Toro Rosso, a 58.065s
13. Nick Heidfeld/Alemanha/BMW, a 1:02.079s
14. Rubens Barrichello/Brasil/Honda, a 1 volta
15. Kazuki Nakajima/Japão/Williams, a 1 volta
16. Nico Rosberg/Alemanha/Williams, a 1 volta
17. Sebastien Bourdais/França/Toro Rosso, a 1 volta
18. Giancarlo Fisichella/Itália/Force India, a 1 volta
19. Adrian Sutil/Alemanha]Force India, a 1 volta
Não classificado:
Jenson Button/Inglaterra/Honda, Problema Mecânico na volta 16
Melhor volta: Kimi Raikkonen, 1:16.630s na 17ª volta

Mundial de Pilotos: 1. MASSA, 48 pts; 2. Kubica, 46 pts; 3. Raikkonen, 43 pts; 4. Hamilton, 38 pts; 5. Heidfeld, 28 pts; 6. Kovalainen, 20 pts; 7. Trulli e Webber, 18 pts; 9. Alonso, 10 pts; 10. Rosberg, 8 pts; 11. Nakajima, 7 pts; 12. Coulthard, 6 pts; 13. Glock, Vettel e Barrichello, 5 pts; 16. Button, 3 pts; 17. Piquet e Bourdais, 2 pts; 19. Fisichella, Sato, Davidson e Sutil, 0 pts

Mundial de Construtores: 1. FERRARI, 91 pts; 2. BMW, 74 pts; 3. McLaren, 58 pts; 4. Red Bull, 24 pts; 5. Toyota, 23 pts; 6. Williams, 15 pts; 7. Renault, 12 pts; 8. Honda, 8 pts; 9. Toro Rosso, 7 pts; 10. Force India e Super Aguri, 0 pts


Mundial de Construtores:

Daqui a pouco, Blog volta com a seção Análise do Grande Prêmio, repercutindo as performances de pilotos e equipes no G.P. da França. Até já!

Crédito das fotos: http://www.gpupdate.net/

6 comentários:

Net Esportes disse...

Estamos acostumados com as asneiras de Reginaldo Leme e Galvão Bueno mas acabei me apoiando no comentário do Reginaldo sobre as poles históricas para o meu post, só o cara que fez a número 1 da Ferrari venceu, os outros (50, 100, 150 e agora 200) não venceram........ melhor pro Massa !!!

Guilherme (RJ) disse...

O Massa está numa fase muito boa. Além de méritos próprios está tendo uma sorte além da conta. Tudo conspira a seu favor e parece focado na conquista do título.

Hamilton e Alonso estão errando demais da conta. Perdi a conta de quantas bobagens fez o inglês, desde China/2007; Alonso precisa entender que não dá pra obter mais do que 4 pontos em cada GP; é o seu limite.

Trulli e Webber: uma disputa pra lá de legal. Fico torcendo ora para um, ora pro outro.

Enfim, Nelsinho e Kova fizeram uma prova dinâmica.

Decepção do GP: Heidfeld
Decepção da temporada: Williams

Abraços!

Rodrigo Morano disse...

Para um GP da França até que a corrida foi bem movimentada, longe de ser monotona; sorte nossa que além de estar acompanhando uma temporada emocionante, ainda temos um brasileiro disputando o título.

Leandrus disse...

Trulli mereceu o pódio, mas Kovalainen também mereceria, pois fez ótima corrida, ficando longe de problemas e até fazendo bela ultrapassagem em cima de Webber; além disso, o finlandês está precisando de resultados positivos, já que vem de vários insucessos..

E o Raikkonen pegou o azar que tinha passado para Button e Kovalainen de volta..

nelson disse...

Boa corrida, até, muito melhor do que eu esperava.

Massa contou com uma sorte de campeão, é sério candidato ao título, está em ótima fase, o consolo do Kimi é que ele acumulou mais uma volta mais rápida, é o terceiro na história, empatado com Mansell (30 cada), atrás de Prost (41) e Schumacher(76).

Piquet disse que apertou o botão do neutro quando tirou o limitador de velocidade, mesmo assim fez uma grande corrida, admirável a defesa contra as McLaren no começo e aproveitou a brecha do Alonso para terminar num ótimo sétimo.

O Kimi parece ter de volta o azar dele de volta... segunda corrida seguida que ele poderia ter vencido que tem problemas.

Mark Webber mostrou que a corrida do Canadá foi um exceção, vem fazendo ótima temporada, Trulli muito bem também.

Impressão minha ou o Hamilton fica um tanto afobado quando não dá tudo certo para ele?

Fim de semana para a Honda esquecer... assim como Nick Heidfeld, apagadíssimo...

Abraços,
Nelson

Ron Groo disse...

Ah foi uma corrida bacana. E sorte ou não foi bom ver Massa ganhando do Kimi. Aliás é sempre bom ver o Kimi tomando um coro...
E quarta feira... "Sou tricolor de coração..." Pra cima deles Tricolor, que Nelson Rodrigues lá de cima ilumine o caminho do gol!