segunda-feira, 23 de junho de 2008

Ferrari: tratamento dos pilotos não muda com Massa na liderança do campeonato

Pela primeira vez na carreira, Felipe Massa lidera o campeonato da Fórmula 1. Mas a vantagem do brasileiro para Robert Kubica é de apenas dois pontos. E a distância para o terceiro colocado Kimi Raikkonen não passa de cinco pontinhos. Por causa disso, a Ferrari reafirmou hoje que não vai mudar a política de tratamento de seus dois pilotos. O time de Maranello, porém, fez questão de elogiar a ótima seqüência de resultados emplacada por Massa.

"Quando abandonou as duas primeiras corridas, lembro bem de como Felipe recebeu críticas. Mas ele não deixou de olhar para a frente, e ficou muito forte. O resultado da França foi uma grande conquista, só que isso não significa uma mudança na nossa postura. Na Ferrari, o trabalho em equipe é primordial. Não vamos mudar de estratégia por enquanto", discursou o chefe da escuderia, Stefano Domenicali, em comunicado distribuído à imprensa.

No Brasil, a vitória de Felipe Massa no G.P. da França despertou um entusiasmo que há bastante tempo não se via. Com meio caminho andado na temporada, o piloto brazuca já é o favorito de muita gente na batalha pelo título. É óbvio que Kimi Raikkonen, Lewis Hamilton e até Robert Kubica ainda vão incomodar Massa.

Mas, desde a morte de Ayrton Senna, jamais um brasileiro pôde sonhar tão claramente com um título da Fórmula 1.



Acabou a lua-de-mel entre Lewis Hamilton e a imprensa inglesa. Irritado com o aumento no tom das críticas ao seu desempenho, inglês desabafou a jornalistas em Magny Cours. "Há muita bobagem sendo publicada por aí. Querem levantar o meu prestígio para depois me destruir. Mas não vão me afetar", garantiu Hamilton, que reclamou do drive through sofrido no G.P. da França por ter cortado a pista. Nesse sentido, as críticas à mania de perseguição do piloto da McLaren são plenamente justificadas.

Mesmo ainda estando na disputa pelo título deste ano, a McLaren já começa a pensar no ano que vem. E uma notícia divulgada hoje pela revista GPWeek surpreendeu: pela primeira vez, o time prateado pensa em construir dois carros para a próxima temporada, que seriam usados de acordo com a característica de cada circuito. Ao que parece, a diferença entre os modelos seria na distância entre-eixos. Mais um golpe na política de corte de custos da FIA.

Nos bastidores da Fórmula 1, a substituição de David Coulthard por Sebastian Vettel na Red Bull já é quase fato concretizado. "É uma possibilidade. Vettel vem fazendo um ótimo trabalho na Toro Rosso", admitiu o chefe da Red Bull, Christian Horner, à Auto Motor und Sport. Por outro lado, os fãs de Fernando Alonso que desejam ver o bicampeão na BMW receberam uma ducha de água fria. "Prefiro um piloto jovem, que cresça junto do time. Alonso não faz meu estilo", garantiu o chefão do time germânico, Mario Theissen.

Não é de se estranhar que o desempenho de Alonso tenha caído nas últimas provas. Desanimado, o espanhol sabe que não há mais nada a esperar deste ano. Pior ainda: se continuar na Renault, o ano que vem também deverá ser muito frustrante.



Como de costume, o "vídeo do dia" na segunda pós-G.P. é mais um episódio da animação "Los Quemagomas":



Até a próxima!

Crédito das fotos:
http://www.gpupdate.net/ e http://www.blogger.com/www.motorsport.com

7 comentários:

F-1 A.L.C. disse...

em turquia, os chefões da Ferrari se queixaram de que felipe não tinha tabalhado em equipe, ao ganhar a corrida.

na conferencia de prensa em silverstone, massa fez questão de resaltar o trabalho em equipe, olhando para um inexpresivo kimi

estou comencando a achar que Kimi esta expresando su disconforto em voz alta pra dentro da escuderia, e a gente não ve a briga na imprensa.

gostei do jeito do post, parabens.

de' palmeira disse...

É, ninguém terá vida fácil nessa temporada até a última prova.
Massa e Kimi ainda tem uns bons duelos pra travar.

Hamilton agora briga com a imprensa inglesa, a mesma que o incensou.

O piloto ingles parece que acredita em tudo o que a mídia diz à seu respeito, pro bem e pro mal.

Quando o elevam à categoria de "gênio do automobilismo" e quando fazem piada dos seus erros.

Está sentindo muito a pressão e se não tiver a cabeça no lugar daqui pra frente o campeonato já era pra ele.

A partir de agora a pressão só vai aumentar e com 4 pilotos disputando o campeonato, qualquer prova não completada, qualquer ponto não computado, qualquer erro pode significar o adeus ao título.

Vai ser interessante ver como os caras se comportam.

Daniel Médici disse...

Não posso dizer no Brasil, mas no Globo Esporte, nunca um brasileiro chegou à metade do campeonato tão inconstestavelmente favorito ao título quanto Massa...

Vamos esperar, Raikkonen é campeão do mundo e largou na frente de Massa nas duas últimas provas. Espero, no fundo, que a decisão do campeonato chegue no GP Brasil.

GiglioF1 disse...

Gustavo,

Acho que a Ferrari esta certa...tudo igual para os dois...ganhar assim é melhor!
Esta do Mario Theissen é forte , mas sei que ele nao gosta do Alonso...
Los Quemagomas, muito bom!!!
Abraco!!

Ron Groo disse...

Esperamos mesmo que não mude. Pelo bem da esportividade.

Loucos por F-1 disse...

Sem dúvidas foi uma bela recuperação de Felipe Massa após as fortes críticas que recebeu no início da temporada. Estou muito confiante para o título de Felipe que vive uma fase sensacional, mas ainda tem muito chão pela frente.

Parece que a coisa está feia para o lado do Alonso. É nítida a desmotivação do espanhol. Basta saber agora qual será o futuro do bicampeão.

Abraços!

Leandro Montianele

Marcos Antônio Filho disse...

o tratamento não irá mudar,ano passado só mudou na última prova,e acredito que esse ano não será diferente...

abração!