sábado, 7 de junho de 2008

Com sobras, Hamilton crava pole no Canadá

Até agora, Lewis Hamilton não tem adversários no Grande Prêmio do Canadá. Dominando com imensa facilidade todos os três períodos do treino classificatório de hoje, o inglês marcou a pole position para a corrida canadense, ao superar o polonês Robert Kubica em seis décimos. A melhor Ferrari no grid é a de Kimi Raikkonen, em terceiro. Felipe Massa não passou de sexto. Mais atrás, Rubens Barrichello larga de nono, e Nelsinho Piquet sai de 15º.

Ao contrário de ontem, o dia amanheceu ensolarado em Montreal. Em compensação, o vento apareceu com força, trazendo muita sujeira para a pista. Desde a abertura dos pits, os pilotos encontraram bastante dificuldade para manter o carro no traçado ideal. Por causa do estado ruim do asfalto, que se soltava em alguns pontos, a maioria optou por completar duas ou três voltas em seqüência, ao invés de concentrar esforços numa única volta rápida.

Com absoluta tranqüilidade, Lewis Hamilton cravou o melhor tempo no primeiro trecho da classificação, seguido pelas Ferrari de Felipe Massa e Kimi Raikkonen. Já de início, verifica-se o que seria a tendência do dia: Hamilton andava no mesmo ritmo da dupla de Maranello nos dois primeiros trechos da pista, mas impunha uma vantagem confortável na última parcial.

Na ponta debaixo da tabela, Nelsinho Piquet foi 15º e escapou raspando da eliminação logo de cara. Por outro lado, Jenson Button e os pilotos de Force India e Toro Rosso não tiveram a mesma sorte. A Toro vai largar com os dois carros da última fila, já que Sebastien Bourdais teve problemas de câmbio, e Sebastian Vettel nem disputou a classificação por ter destruído o carro no treino da manhã.

O panorama manteve-se chamado "Q2". Mais uma vez, Hamilton liderou com folga, de novo batendo Massa e Raikkonen. A pista já dava sinais de fadiga, e o asfalto soltava-se claramente em alguns pontos, principalmente no grampo que antecede a grande reta de Montreal. Sozinho, Jarno Trulli rodou três vezes. O piloto da Toyota terminou "nocauteado" junto com Timo Glock, Kazuki Nakajima, David Coulthard e Nelsinho Piquet, que mais uma vez foi 15º.

A superpole começou desfalcada de Mark Webber, que acertou de leve o muro e não teve carro para continuar na disputa. Pela primeira vez na temporada, Rubens Barrichello figurava entre os dez melhores. Mas o veterano da Honda não teve nenhuma condição de acompanhar o ritmo dos adversários, e precisou se contentar com o nono lugar, ainda assim um excelente resultado para a equipe.

Dos líderes, Hamilton foi o primeiro a marcar um tempo competitivo. O inglês permaneceu imbatível até os últimos segundos da sessão, quando Robert Kubica estabeleceu a pole provisória. Hamilton, porém, retornou para uma derradeira tentativa, e superou facilmente a marca do polonês. Na seqüência, Raikkonen ficou num distante terceiro posto, a oito décimos do rival da McLaren.

Numa performance espetacular, Fernando Alonso passou por cima das deficiências da Renault e foi quarto. Outro que merece elogios é Nico Rosberg, que conseguiu um promissor quinto para a Williams. Felipe Massa cometeu alguns erros na fase decisiva da classificação, e não fez mais do que um sexto lugar. Por fim, Heikki Kovalainen e Nick Heidfeld foram bastante ofuscados pelos companheiros de equipe, ficando apenas em sétimo e oitavo respectivamente.

A seguir, o grid completo do Grande Prêmio do Canadá:

1. Lewis Hamilton/Inglaterra/McLaren, 1:17.886s
2. Robert Kubica/Polônia/BMW, 1:18.498s
3. Kimi Raikkonen/Finlândia/Ferrari, 1:18.735s
4. Fernando Alonso/Espanha/Renault, 1:18.746s
5. Nico Rosberg/Alemanha/Williams, 1:18.844s
6. Felipe Massa/Brasil/Ferrari, 1:19.048s
7. Heikki Kovalainen/Finlândia/McLaren, 1:19.089s
8. Nick Heidfeld/Alemanha/BMW, 1:19.633s
9. Rubens Barrichello/Brasil/Honda, 1:20.848s
10. Mark Webber/Austrália/Red Bull, sem tempo
11. Timo Glock/Alemanha/Toyota, 1:18.031s
12. Kazuki Nakajima/Japão/Williams, 1:18.062s
13. David Coulthard/Escócia/Red Bull, 1:18.238s
14. Jarno Trulli/Itália/Toyota, 1:18.327s
15. Nelsinho Piquet/Brasil/Renault, 1:19.393s
16. Adrian Sutil/Alemanha/Force India, 1:19.108s
17. Giancarlo Fisichella/Itália/Force India, 1:19.165s
18. Jenson Button/Inglaterra/Honda, 1:23.565s
19. Sebastian Vettel/Alemanha/Toro Rosso, sem tempo
20. Sebastien Bourdais/França/Toro Rosso, 1:18.916s*
* = Punido em cinco posições por ter trocado o câmbio

A largada do G.P. do Canadá está marcada para as 14h00 deste domingo, horário de Brasília, com transmissão da TV Globo.



Se não chover, Lewis Hamilton tem tudo para dominar o G.P. do Canadá. O problema é que as corridas em Montreal não são das mais convencionais. E o asfalto capenga ajuda a escurecer ainda mais o panorama de amanhã. Caso venha chuva, então, a prova possui todos os ingredientes para ser memorável. Entradas de safety car, passeios na grama e batidas no "Muro dos Campeões" fazem parte do cardápio.

Largando da pole, o objetivo de Hamilton é manter-se na liderança e esquecer tudo o que acontece atrás. O inglês já fez isso em outras oportunidades, e sempre deu certo. Desde o ano passado, corrida caótica tem sido sinônimo de vitória do piloto da McLaren. Mas dessa vez Hamilton não vai precisar enfrentar apenas a concorrência das Ferrari. Olho num certo Robert Kubica, que sai de segundo no grid e está louquinho para desencantar na Fórmula 1.

Para fechar o dia, vale registrar o boato que corre solto no paddock de Montreal: Bernie Ecclestone e as equipes da Fórmula 1 estão insatisfeitas com a permanência de Max Mosley na presidênci da FIA, e ameaçam até criar uma categoria rival caso o dirigente inglês não renuncie. Nas últimas décadas, a Fórmula 1 já viu crises semelhantes. Em todos os casos, o bom senso prevaleceu e a perigosa cisão acabou não saindo do papel. É bom que os poderosos da categoria não esqueçam do caso ChampCar/IRL.

Porque dividir a Fórmula 1 em duas poderia resultar num enfraquecimento sem precedentes do esporte a motor.



O vídeo do dia é uma coletânea com acidentes no famoso "Muro dos Campeões" do circuito Gilles Villeneuve. É bem provável que a lista de vítimas aumente na corrida de amanhã:



Até mais!

Crédito das fotos:
http://www.blogger.com/www.gpupdate.net

4 comentários:

kimi_cris disse...

foi uma boa qualificação para hamilton mas ele parece estar mais leve, e os Ferrari perdem bastante tempo no sector 3.

Guilherme (RJ) disse...

A Ferrari tem sido parâmetro em qualquer situação. Não precisa de manobras especiais nem de estratégias ousadas para subir ao podium e vencer as corridas, portanto, quem quiser ganhar dela tem que fazer algo a mais e, no caso deste GP, esse algo a mais é colocar combustível de menos.

Pelo jeito, vem muita gente pra três paradas e eu torço para que isso aconteça realmente.

E como deve ter bandeiras amarelas, pista molhada e carros no muro, talvez a estratégia das três paradas possa ser convertida em duas apenas, dependendo do desenrolar da corrida.

Agora responde essa Guga: Quando foi a última vez que os cinco primeiros no grid eram de equipes diferentes?

Abraços!!!

Rodrigo Morano disse...

e o pior, ou melhor (depende do ponto de vista do torcedor), é que esse asfalto capenga pode decidir a corrida.

Loucos por F-1 disse...

DÁ-LHE KUBICA!!!! hahahaha
Bem que vc disse hein, acertou na mosca. Olha que eu tava confiante tmb em uma vitória dele.

Abraços!

Leandro Montianele