terça-feira, 3 de junho de 2008

Max Mosley vence votação e permanece no comando da FIA

Em virtude do jogo Fluminense x Boca Juniors, pela Taça Libertadores, este Blog não será atualizado durante a quarta-feira. Voltamos com a programação normal na quinta. A todos, muito obrigado pela compreensão!

Por hora, Max Mosley está a salvo. Nesta terça, o dirigente recebeu uma "moção de apoio" de clubes e federações filiados à FIA, após ganhar a votação organizada na Assembléia Geral Extraordinária da entidade. O encontro foi convocado para julgar o escândalo sexual protagonizado por Mosley, que poderia afastá-lo da presidência da FIA. A maioria dos 177 votantes, porém, preferiu dar um voto de confiança para o inglês.

No total, foram 103 votos a favor da "moção de apoio" para Mosley, e 55 contra. Houve ainda sete abstenções e quatro votos anulados. Todo o procedimento foi secreto, e o resultado saiu para a imprensa por volta do meio-dia em Paris, oito da manhã no Brasil. Agora, a tendência é que Mosley cumpra todo o seu mandato à frente da FIA, que vai até o fim de 2009. Mas a pressão pela sua saída ainda é enorme.

Apenas alguns minutos após a confirmação do resultado, dirigentes do Automóvel Clube da Alemanha - o maior de toda a Europa - surpreenderam ao anunciar o fim de qualquer relação com a FIA até que Mosley deixe a presidência. Além disso, chefes de federações espalhadas pelo mundo soltaram notas lamentando a permanência de Mosley. "Estou muito desapontado, é óbvio", afirmou o presidente da Associação Automobilística dos Estados Unidos, Robert Darbelnet.

Mosley pode ter escapado dessa vez, mas seu inferno astral no comando da FIA está longe de terminar.



Antigo aliado de Mosley, Bernie Ecclestone lutou pela renúncia do presidente da FIA, mas precisou aceitar a fragorosa derrota na votação de hoje. Apesar disso, Ecclestone não perdeu a pose: "Muitos não queriam falar com Mosley antes, e não acho que isso vai mudar por causa desse resultado. Ganhar votos de clubes na África não é suficiente para que o Rei da Espanha vá apertar sua mão agora", ironizou Ecclestone.

Dos 177 eleitores da votação, três eram brasileiros. Representando o Car Club do Brasil, Joaquim Cardoso Melo votou de forma contrária à "moção de apoio" para Mosley. Por outro lado, Alceu Vasone, da Associação Automobilística do Brasil, e Paulo Scaglione, presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo, não anunciaram suas escolhas. O mais provável é que ambos tenham votado a favor de Mosley.

Com a reunião da Assembléia Geral Extraordinária da FIA dominando o noticiário, sobre pouco para falar sobre os outros assuntos da Fórmula 1. Mesmo assim, vale mencionar uma declaração de Rubens Barrichello ao site da Gazeta Esportiva. Respondendo às críticas do tricampeão Nelson Piquet, Rubinho resolveu descontar em Nelsinho: "Não tenho nada a dizer sobre o Nelson Piquet. A vida está aí para mostrar que o próprio filho está comendo tudo aquilo que o pai plantou", disparou.

Quando Nelsinho começa a receber farpas até de gente como Rubinho, é sinal que as coisas realmente não andam bem...



O vídeo do dia é uma divertida reportagem que o Esporte Espetacular exibiu no fim do ano passado, na época do G.P. Brasil de Fórmula 1. Na matéria, Rubens Barrichello "entrevista" o amigo Felipe Massa, fazendo perguntas sobre assuntos como casamento, times de futebol e calvície precoce. Vale a pena conferir:



Nos vemos por aí!

Crédito das fotos:
Max Mosley - http://www.sportinglife.com
Demais - http://www.gpupdate.net/

14 comentários:

Leandrus disse...

Sensacional essa resposta do Rubinho; vale lembrar que ele também falou que na F-1 você é tão bom quanto sua ultima corrida. Ninguém mandou o Nelsão pegar tanto no pé dele...

Marcos Antônio Filho disse...

E o mosley se livrou dessa!A sua confiança no seu aparecimento em Mônaco deu a entender de ele sabia q ia se safar...Agora aguentemos ele até 2009!

Abraços!

Anônimo disse...

Qdo o Nelsinho andar 10% do que o rubinho anda,sua frase teria sentido.

renato disse...

o que vc quer dizer com "gente como o Rubinho"?

Marcelonso disse...

Grande Gustavo

Olha o que disse Nelsão:
"Chegou o momento de Nelsinho mostrar seu talento.O meu filho não vai ser segundo piloto de ninguém" frase de Nelson Piquet ,em Janeiro de 2008.

Rubinho deve estar rindo a toa...

abraço

F-1 A Lo Camba disse...

o problema com mosley è que agora pode atè ficar, mais não vai ter nada que fazer. vai ser um morto politico, sem poder nenhum. isso pode ser muito ruim para a categoria

Daniel Médici disse...

Oito da manhã em Paris, meio dia no Brasil??

Não é ao contrário? Afinal, não é porque está quente em Paris que eles agora estão no fuso da Califórnia...

Sobre o Rubinho, gostei muito da frase dele. Mas não lhe cairia bem soltar essas farpas constantemente.

Abraços!

Guilherme (RJ) disse...

O Piquet não se emenda, o Rubinho não se enxerga e o Nelsinho não decola.

Net Esportes disse...

FORA Mosley !!!!!!!

GiglioF1 disse...

Gustavo,

E o Flu!!!!!!
A FIA perdeu uma excelente oportunidade de fazer algo decente e errou...
Rubinho esta certo...Vingança é prato que se come frio...

Abraço!

Priscilla Bar disse...

HAHAHAHAHHAHAH...Sensacional esse vídeo...

Quanto ao Mosley,nenhuma surpresa...É como eu digo:Nao é só ele que tem "podres" e ele deve saber dos de muita gente.

Rubinho:Toma!Muito boa resposta!

Saudaçoes Tricolores!!!!Estamos na final!

Ron Groo disse...

É ficou... e Ficou prestigiado... Acho que agora vai para cima de quem queria a cabeça dele.
E o fluzão hein? Deu gosto ver.. Eu que não gosto dos times do Rio fiquei emocionado. Positivamente.

Loucos por F-1 disse...

O Mosley tem que tomar vergonha na cara de pedir pra sair.

Grande Rubinho com sua declaração sobre o Nelsinho...hahahaha. Agora quero ver o Nelsão aguentar as críticas.

Abraços!

Leandro Montianele

Blog F1 Grand Prix disse...

Obrigado por todas as mensagens!

Renato: Rubinho não é o tipo de pessoa "ácida", que critica os outros sem grandes motivos. É bem diferente de Nelson Piquet ou Niki Lauda, por exemplo.

Daniel: Valeu pela correção! Ato falho mesmo...

Grande abraço a todos,

Gustavo Coelho