quinta-feira, 15 de maio de 2008

Renault pressiona Nelsinho por melhores resultados

Apenas cinco corridas após estrear pela Renault, Nelsinho Piquet já está sob intensa pressão. Nesta quinta, o diretor esportivo da equipe francesa, Steve Nielsen, deu um forte puxão de orelhas no piloto brasileiro em entrevista à agência Reuters. Embora tenha elogiado o desempenho de Nelsinho no último G.P. da Espanha, Nielsen disse que o brazuca precisa se recuperar rápido, e que a desculpa da inexperiência tem um certo limite.

"No ano passado, Heikki Kovalainen também estava no seu primeiro ano e teve um mau início, mas conseguiu dar a volta por cima. Nelsinho precisa fazer o mesmo, mostrando a todos o quanto é bom. Nesse esporte, quem não tem bons resultados não recebe perdão", falou Nielsen. Na mesma reportagem da Reuters, Nelsinho se defendeu das críticas: "Espero melhorar a cada prova. Por enquanto, o apoio da equipe tem sido muito bom".

De fato, a Renault vem dando um tratamento bastante razoável a Nelsinho, evitando pressioná-lo por causa da inexperiência. Mas paciência tem limite, e o desempenho do brasileiro realmente vai deixando a desejar nesta temporada. Nelsinho ainda está muito longe de receber uma demissão, como chegaram a especular alguns setores da imprensa. O seu prestígio, porém, está em jogo.

Em Mônaco - um circuito em que o piloto faz a diferença - Nelsinho tem uma boa oportunidade de silenciar os críticos. Se conseguir pontuar, todos os erros do início do ano já serão perdoados.


A Ferrari deu o troco e liderou os testes de hoje no circuito francês de Paul Ricard. Dessa vez, Kimi Raikkonen foi o mais rápido do dia, superando Heikki Kovalainen e a McLaren numa disputa bem equilibrada. O tempo de Raikkonen também bateu em pouco mais de dois décimos a marca estabelecida por Lewis Hamilton, que havia sido o melhor dos ensaios da última quarta.

Mais uma vez, as equipes usaram uma configuração mais travada do autódromo de Paul Ricard, que oferece 180 opções diferentes de traçado. Dos onze pilotos que participaram da sessão de hoje, Nelsinho Piquet foi quem mais trabalhou, terminando o dia com um impressionante número de quase duzentas voltas completadas. Apesar disso, o piloto brasileiro não passou da oitava posição.

Por sua vez, Robert Kubica cravou o terceiro tempo com a BMW, a meio segundo do líder Raikkonen. Mesmo assim, o polonês não perdeu o otimismo, e deu uma declaração muito confiante no comunidade distribuído ao fim do dia: "Já sabíamos que o nosso desempenho na Turquia seria abaixo da expectativa. Mas espero que seja a única prova assim. Em Mônaco e no Canadá, teremos condições de acompanhar Ferrari e McLaren", garantiu Kubica. A seguir, os tempos de hoje em Paul Ricard:

1. Kimi Raikkonen/Finlândia/Ferrari, 1:05.381s (102 voltas)
2. Heikki Kovalainen/Finlândia/McLaren, 1:05.471s (89)
3. Robert Kubica/Polonês/BMW, 1:05.905s (135)
4. David Coulthard/Escócia/Red Bull, 1:06.001s (82)
5. Jenson Button/Inglaterra/Honda, 1:06.091s (155)
6. Sebastien Bourdais/Alemanha/Toro Rosso, 1:06.125s (110)
7. Jarno Trulli/Itália/Toyota, 1:06.205s (120)
8. Nelsinho Piquet/Brasil/Renault, 1:06.355s (193)
9. Kazuki Nakajima/Japão/Williams, 1:07.080s (129)
10. Adrian Sutil/Alemanha/Force India, 1:07.104s (66)
11. Giancarlo Fisichella/Itália/Force India, 1:07.123s (64)

A bateria de testes em Paul Ricard encerra-se amanhã.


O vídeo do dia conta um pouco da história do lendário traçado antigo de Nurburgring, considerado o mais desafiante circuito que já existiu. A ótima dica é do leitor Jairo Maragato. Vale a pena conferir:





Até mais!

Crédito das fotos: www.gpupdate.net

3 comentários:

Felipe Maciel disse...

O pior é que depois de uma declaração como essa, os jornalistas desocupados começam a inventar boatos pra dizer quem vai substituir e aquela besteirada toda.
Acredito na recuperação do Nelsinho. Com o Kovalainen também foi difícil, e ao lado do Fisico. Como o Piquet, a referência é o Alonso, será difícil também, mas uma hora ele vai engrenar. Depois do primeiro bom resultado, vem a confiança que falta, aí ele se estabelece. O problema é chegar o primeiro pontinho que tá complicado de sair...

F1 + disse...

Como o Maciel, também acredito que muitos boatos jornalísticos vão surgir....

Há um novo boato agora que o Sato vai começar a treinar junto com a Renault quando começar o verão no hemisfério norte pra talvez tomar o lugar do Piquetzinho.....

Ron Groo disse...

É uma doença que vai acometer todo piloto que estrear na Renault: o
Briatorismo! Cara como o Briatore pressiona! Impressionante.
Eu ia tirar um sarro do fluminense, mas depois de ser atropelado por um baixinho (1.68), gordinho (77kg) e velho (32anos) eu achei melhor ficar quieto...