sexta-feira, 16 de maio de 2008

Lancia pode entrar na Fórmula 1 comprando a Toro Rosso

Aos amigos do Blog, um aviso rápido: como vocês devem ter notado, quase não pude dar atenção aos seus comentários durante esta semana. O tempo tem sido curto para mim, mas vou tentar compensar nos próximos dias

A Fórmula 1 pode ganhar mais uma montadora num futuro bem próximo. Segundo informações da imprensa italiana, a Lancia estaria disposta a investir na categoria para revitalizar a sua marca, e a Toro Rosso poderia ser a porta de entrada para a marca de Turim. Ao que parece, as negociações seriam intermediadas pelo empresário Nicolas Todt, filho do ex-chefe de equipe da Ferrari, Jean Todt.

Presidente da Lancia desde 2006, o francês Olivier François vem comandando uma agressiva ofensiva de marketing para aumentar as vendas da marca. O objetivo é triplicar o total de carros vendidos por ano, atingindo o patamar de 300.000 até 2010. Para isso, a Lancia contratou garotas-propagandas como a cantora Carla Bruni - atual esposa do presidente francês Nicolas Sarkozy - e estaria desejando voltar à Fórmula 1 após seis décadas de ausência.

Em meados da década de 50, a Lancia chegou a ter o carro mais rápido do grid, mas não conseguiu ter sucesso com uma equipe própria. O projeto da Lancia foi encerrado após a chocante morte do principal piloto do time, Alberto Ascari, que faleceu durante um teste privado em Monza, no início de 1955. Os carros da Lancia foram comprados pela Ferrari, que com eles dominou a temporada de 1956, quando Juan Manuel Fangio conquistou o quarto de seus cinco títulos.

Fora da Fórmula 1, a Lancia ganhou destaque no antigo Mundial de Marcas e no Mundial de Rally, com modelos que marcaram época. A montadora ficou perto da falência em 2004, mas resistiu. Assim como a Ferrari, a Lancia também é controlada pelo grupo FIAT, um indício de que a entrada na Fórmula 1 poderia ter o suporte do time de Maranello. Se fechar a compra da Toro Rosso, a Lancia teria motores, caixa de câmbio e apoio técnico da Ferrari.

Agora, é esperar para ver se haverá novos capítulos para essa história. Por enquanto, os boatos até fazem sentido...


Apenas um dia após ser publicamente criticado pelo diretor técnico da Renault, Steve Nielsen, Nelsinho Piquet recebeu mais uma má notícia hoje. De acordo com a revista AutoHebdo, a equipe francesa estaria considerando marcar um teste com o japonês Takuma Sato, que poderia tomar a vaga do piloto brasileiro em breve. É claro que tudo não passa de pura especulação, mas Nelsinho precisa ficar alerta. A pressão sobre os seus ombros é cada vez maior.

Nesta sexta, ao menos, Nelsinho até apareceu bem nos testes de Paul Ricard, que encerraram a preparação das equipes para o G.P. de Mônaco. Num dia de muita chuva, Jarno Trulli foi o mais rápido dos onze pilotos que participaram dos ensaios na pista francesa. O piloto da Toyota, porém, nem chegou perto do melhor tempo da semana, estabelecido ontem pelo campeão Kimi Raikkonen.

Logo atrás de Trulli, Nelsinho Piquet ficou com a segunda posição, enquanto Pedro de la Rosa ocupou o terceiro posto. Por sua vez, Felipe Massa não passou do sexto lugar, tendo completado apenas 19 voltas por causa da pista molhada. O mau tempo frustrou os planos das equipes, mas pode ter sido um bastante útil, já que as primeiras previsões apontam 55% de possibilidade de chuva para o G.P. de Mônaco. A seguir, os tempos desta sexta:

1. Jarno Trulli/Itália/Toyota, 1:31.360s (26 voltas)
2. Nelsinho Piquet/Brasil/Renault, 1:31.634s (60)
3. Pedro de la Rosa/Espanha/McLaren, 1:32.143s (53)
4. Sebastian Vettel/Alemanha/Toro Rosso, 1:32.480s (49)
5. Felipe Massa/Brasil/Ferrari, 1:33.246s (19)
6. Nick Heidfeld/Alemanha/BMW,1:33.371s (30)
7. Sebastien Buemi/Suíça/Red Bull, 1:34.064s (16)
8. Giancarlo Fisichella/Itália/Force India, 1:34.071s (31)
9. Jenson Button/Inglaterra/Honda, 1:36.501s (19)
10. Adrian Sutil/Alemanha/Force India, 1:43.877s (13)
11. Nico Hulkenberg/Alemanha/Williams, 1:44.741s (35)

A próxima bateria de testes coletivos da Fórmula 1 está marcada apenas para meados de maio, em Barcelona. Nos próximos dias, as equipes já se deslocam para Mônaco, que recebe a categoria na semana que vem.


Aproveitando a deixa do título do post, o vídeo do dia traz cenas raras da Fórmula 1 na década de 50. As imagens são do G.P. da França de 1954, vencido pelo inglês Peter Collins, que pilotava um Lancia-Ferrari. Futuro campeão da temporada, Juan Manuel Fangio foi quarto. Único brasileiro na pista, Hernando da Silva Ramos finalizou em oitavo, com um Gordini. Vale conferir os melhores momentos da prova, disputada no extinto circuito de Reims:



Nos vemos por aí!

Crédito das fotos:
Lancia -
www.wikipedia.com
Juan Manuel Fangio - http://www.shorey.net/

5 comentários:

Loucos por F-1 disse...

Espero que essas especulações se tornem algo concreto, pois será muito bom para a F1.

Abraços!

Leandro Montianele

Ron Groo disse...

Seria ótimo ter a lancia de volta ao circo... e tomara que venham para ganhar.

ju disse...

tbm espero q isso seja verdade
esperar p/ ver

fe disse...

passando pra conhecer
bjsss

André Arrais disse...

Gustavo,

Cá estou, de volta.
Caso a compra da STR pela Lancia (ou por outra montadora) se concretize, a RBR será uma equipe forte já em 2009.

Um abraço.