terça-feira, 19 de junho de 2007

Schumacher de volta às pistas ou só mais um delírio do Bild?

Terça feira agitadazinha essa, hein? Logo hoje, no meu primeiro dia de existência deste glorioso blog. Os mega conglomerados de notícia estão querendo me ofuscar. Sem problema, vamos lá:

A manchete que primeiro salta aos olhos não pode ser outra além dessa suposta volta de Michael Schumacher às pistas da Fórmula 1 pela Ferrari. Alguns dizem que vai ser como titular, no ano que vem, o que não passa de mais pura ladainha. O veículo que publicou a estória gosta de colocar pimenta no assunto. Trata-se do inteiramente confiável periódico Bild, cujos jornalistas chutam mais bola fora do que eu jogando uma pelada (e isso, aliás, não vem ao caso).

A única possibilidade realmente plausível é a convocação do alemão para fazer "testes secretos". A idéia até tem fundamento, só que Schumacher não teria muito o que ganhar. Além, é claro, da sensação de matar saudade, que já deve estar deixando o heptacampeão louquinho da vida. Mesmo assim, chamá-lo seria uma forma de desprestigiar Kimi e Massa, uma maneira clara de mostrar que os dois simplesmente não são bons suficientes.

Aqueles que sonham com a volta dele devem estar tendo pesadelos contínuos com o crescimento da McLaren. A hora na Ferrari, entretanto, é de olhar para frente. A Era Schumacher já acabou. Estacionar no recente passado glorioso não faria mais do que retardar a reação da escuderia italiana. Se é que ela vai acontecer...
Parece que a temporada de boatos chegou mais cedo neste ano. A silly season já começou e continua a pleno vapor.

O último papo recém-saído do forno é que Marc Gené, piloto de testes da Ferrari, está para assumir um dos cockpits da Toro Rosso, que passaria a usar os chassis da equipe do cavalinho rampante no ano que vem. Excelente negócio para o espanhol, que, convenhamos, não é lá essas coisas.

Já a famosa sucursal da Red Bull teria um dos melhores chassis da Fórmula 1, mas desperdiçaria a chance de colocar como titular um piloto realmente merecedor da vaga. Alguém como Sebastien Bourdais, por exemplo.

Enquanto isso, Christian Klien estaria para trocar a Honda pela sua rival japonesa Toyota. Seria uma tremenda mudança de seis por meia dúzia. Só que há um pequeno detalhe. O austríaco assumiria o posto de Ralf Schumacher, como piloto principal da equipe sediada em Colônia.

Sinceramente, existem melhores opções no mercado do que o ex-piloto da Jaguar e da Red Bull. Se a Toyota realmente contratar Klien, dará mais uma das suas inúmeras demonstranções de incompetência. Mais uma vez, repito: Bourdais está aí, livre, leve e solto...

Um rumor mais do que comentado é que Nelson Ângelo Piquet será titular da renault no ano que vem. E a equipe francesa não pára de dar provar de que isso realmente poderá acontecer. Nos testes coletivos a serem realizados amanhã, em Silverstone, nem Zonta nem Fisichella estarão ao lado de Heikki Kovalainen. Foi Nelsinho o escolhido, em mais uma demonstração de confiança da parte de Flavio Briatore e cia...
Como que ouvindo os clamores pela sua demissão, Ralf Schumacher liderou os tempos dos testes coletivos de hoje, em Silvertone. Dificilmente algum dos outros pilotos presentes, entretanto, andou no seu ritmo máximo. Os tempos estão a seguir:

1. Ralf Schumacher/Alemanha/Toyota, 1:22.794
2. Pedro de la Rosa/Espanha/McLaren, 1:22.915
3. Mark Webber/Austrália/Red Bull, 1:23.329
4. Heikki Kövalainen/Finlândia/Renault, 1:23.510
5. Luca Badoer/Itália/Ferrari, 1:23.768
6. Nick Heidfeld/Alemanha/BMW, 1:23.841
7. Vitantonio Liuzzi/Itália/Toro Rosso, 1:24.125
8. Kazuki Nakajima/Japão/Williams, 1:24.665
9. Van de Garde/Holanda/Spyker, 1:25.391
10. Adrian Valles/Espanha/Spyker, 1:25.394

A volta do alemão ficou a mais de seis segundos do recorde da pista, de Kimi Raikkonen. Uma eternidade. Em Indianapolis, uma pista mais curta, é verdade, Alonso chegou a um segundo e meio do melhor tempo. Os tempos em Silverstone ainda devem baixar um bocado.

Dá pena ver a Williams desperdiçando testes com o japonês Kazuki Nakajima, uma imposição da Toyota, que fornece os motores da equipe inglesa. Além disso, há de ressaltar o emocionante duelo entre a dupla de pilotos da Spyker, Giedo van der Garde e Adrian Vallés. Três milésimos apenas de diferença. Poderá ser nesses dias de treinamento que a equipe holandesa venha a definir o futuro substituto de Cristijan Albers, que já faz por merecer a sua demissão. Pessoalmente, torço por Van der Garde. Acho o nome dele muito mais maneiro.

Na GP2, parece que Pizzonia dançou mesmo. A imprensa acaba de anunciar que o venezuelano Ernesto Viso vai substituir o amazonense a partir da próxima corrida da temporada, a ser realizada junto da Fórmula 1, em Magny-Cours. Aparentemente, Antonio perdeu o emprego por "divergências com os profissionais técnicos". Vale lembrar que, depois da etapa de Sakhir, o brasileiro afirmou que a equipe era bastante desorganizadada, com muita interferência externa e mecânicos desorientados.

Com a saída de Pizzonia, o time brasileiro, formado por cinco pilotos até a última etapa, em Mônaco, foi reduzido a três. Isso porque, infelizmente, Sérgio Jimenez não conseguiu segurar sua vaga na Racing Engineering. Por falta de patrocínio, foi trocado pelo espanhol Sérgio Hernández. Uma pena. Resta agora desejar toda a sorte do mundo a Lucas di Grassi e Bruno Senna. De Xandinho Negrão, sinceramente, não se pode esperar nada.

No primeiro dia de testes coletivos em Paul Ricard, melhor para a dupla da iSport International. O austríaco Andreas Zuber foi o mais rápido, seguido de seu companheiro, Timo Glock, alemão que é o líder do campeonato. A tabela de tempos está aí:

1.Andrea Zuber/Áustria/iSport International, 1:18.295
2.Timo Glock/Alemanha/iSport International, 1:18.750
3.Giorgio Pantano/Itália/Campos, 1:18.889
4.Pastor Maldonado/Venezuela/Trident, 1:18.934
5.Luca Filippi/Itália/Super Nova, 1:18.973
6.Javier Villa/Espanha/Racing Engineering, 1:19.027
7.Roldán Rodríguez/México/Minardi Piquet, 1:19.154
8.Michael Ammermuller/Alemanha/ART, 1:19.159
9.Jason Tahinci/Turquia/FMS, 1:19.311
10.Ernesto Viso/Venezuela/FMS, 1:19.387
11.Borja Garcia/Espanha/Durango, 1:19.417
12.Adrian Zaugg/Áustria/Arden, 1:19.486
13.Kohei Hirate/Japão/Trident, 1:19.601
14.Nicolas Lapierre/França/DAMS, 1:19.630
15.Karun Chandhok/Índia/Durango, 1:19.698
16.Vitaly Petrov/Rússia/Campos, 1:19.723
17.Bruno Senna/Brasil/Arden, 1:19.814
18.Lucas di Grassi/Brasil/ART, 1:19.829
19.Andy Soucek/Espanha/DPR, 1:19.876
20.Sérgio Hernández/Espanha/Racing Engineering, 1:19.913
21.Sakon Yamamoto/Japão/BCN, 1:19.938
22.Alexandre Negrão/Brasil/Minardi Piquet, 1:20.000
23.Henki Waldschmidt/Alemanha/DAMS, 1:20.098
24.Ho-Pin Tung/China/BCN, 1:20.261
25.Christian Bakkerud/Dinamarca/DPR, 1:20.456
26.Mike Conway/Inglaterra/Super Nova, 1:21.390

Detalhe para a presença do obscuro Henki Waldschmidt numa honrosa vigésima-terceira posição. Quem é esse sujeito? Alguém já ouviu falar? E que nome complicado... nem a Wikipedia, por exemplo, sabe quem ele é!
Robert Kubica deve voltar ao cockpit da BMW já na próxima corrida, o Grande Prêmio da França. Mais um ponto para a segurança dos carros de Fórmula 1 atual. De qualquer forma, a equipe alemã já sabe que tem, como reserva, um piloto com potencial para andar no ritmo dos titulares. Sebastian Vettel ainda vai incomodar muita gente.

4 comentários:

Anônimo disse...

hahahaha eu tb num conheço esse alemão da gp2 não

Nelson Viana disse...

Não sei se você sabe, mas o Giedo van der Garde foi um grande piloto de kart. Deveria torcer para ele por causa disso e não só pelo nome, certo?

marcos roberto disse...

achei esse blog logo que ti lançou. Continue esse bom trabalho os textos são bons e até engraçados. Coloquei já na minha pasta de favoritos mas tem tanto site que eu nem se vou achar de novo.

Anônimo disse...

Essa história do shumacher voltando é furada. Já li que a acessoria de imprensa dele já negou tudo