segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Mercedes mostra nova pintura e abre temporada de apresentações

A temporada de 2010, enfim, está começando a esquentar.

Nenhum carro que disputará o novo campeonato foi lançado até agora. Nesta segunda-feira, porém, a Mercedes deu um gostinho do que está por vir nas próximas semanas.

Em sua sede na cidade de Stuttgart, na Alemanha, a montadora apresentou a pintura que vai estampar o modelo MGP W01, carro que a equipe usará neste ano.

O evento contou com a presença dos dois pilotos titulares, Michael Schumacher e Nico Rosberg, além dos principais executivos da Mercedes.

Todos muito entusiasmados com a nova equipe, que é quase toda alemã e foi classificada de "Seleção Nacional" pelo próprio presidente da montadora, Dieter Zetsche.

O novo carro será lançado apenas no dia 1º de fevereiro, em Valência, durante a abertura dos testes de pré-temporada - o bólido que a Mercedes apresentou nesta segunda é apenas o modelo do ano passado da Brawn GP, pintado de maneira diferente.

Como sempre, pilotos e dirigentes se revezaram em declarações bastante otimistas. Schumacher, por exemplo, disse que o "único objetivo para 2010 é o título", enquanto Rosberg declarou que correr pela Mercedes "é um sonho".

A pintura ficou bonita, embora não tão impactante. Prateada como as "Flechas de Prata" dos anos 30 e 50, a nova Mercedes vai correr com esta cara:







Em tempo: a primeira apresentação oficial de novo carro acontece nesta quinta-feira, dia 28, quando a Ferrari mostra seu modelo de 2010 em Maranello. Um dia depois, é a vez da McLaren.

Depois de tanta espera, a Fórmula 1 finalmente vai voltar a roncar seus motores..

--

Ao contrário do que muita gente esperava, o alemão Nick Heidfeld não foi anunciado como terceiro piloto da Mercedes na apresentação desta segunda.

O ex-titular da BMW, portanto, continua livre no mercado, embora a tendência seja que ele fique mesmo como reserva imediato de Michael Schumacher e Nico Rosberg.

Se quiser correr em 2010, Heidfeld tem poucas opções.

A Toro Rosso confirmou o espanhol Jaime Alguersuari na última sexta-feira e a USF1 está prestes a anunciar a contratação do argentino José Maria López - o que deve ocorrer dentro de alguns dias, ou até nas próximas horas.

Com isso, restam apenas três vagas: uma na Renault, outra na Campos e mais uma na USF1. Todas, em tese, devem ser ocupadas por pilotos pagantes, o que praticamente elimina as chances de nomes como Heidfeld.

Na Campos de Bruno Senna, os favoritos são o russo Vitaly Petrov - que também tem boas possibilidades de acertar com a Renault - e o japonês Kazuki Nakajima.

Seja qual for o escolhido, o patrocínio que ele trará ainda não será suficiente para sanar todas as dificuldades da Campos.

A equipe espanhola segue com problemas financeiros e estaria sofrendo para pagar os serviços da Dallara, empresa encarregada de construir o carro que a escuderia vai usar em 2010.

Na semana passada, o próprio chefe executivo da Dallara, Andrea Pontremoli, veio a público desmentir em entrevista à rede BBC que a Campos esteja atrasada em seus pagamentos.

Segundo a imprensa alemã, porém, as dívidas da equipe com a Dallara já chegam a 3 milhões de euros.

Pelo que foi divulgado até agora, a Campos só deve estrear seu novo carro no dia 17 de fevereiro, durante a terceira e penúltima sessão de testes de pré-temporada.

Se esse cronograma for cumprido, a equipe espanhola será a última escuderia a lançar seu modelo de 2010, e inevitavelmente já começaria o campeonato com certa desvantagem.

Para amenizar o quadro não muito animador, duas notícias publicadas pelo jornal El Mundo Deportivo nesta segunda-feira servem para deixar os torcedores de Bruno Senna um pouco mais otimistas.

A primeira é que a Campos contratou dois engenheiros com boa experiência na Fórmula 1: Toni Cuquerella, que trabalhou com Robert Kubica na BMW, e Xavi Pujolar, ex-Williams.

Não são nomes famosos, mas que mostram que a equipe mantém seu planejamento para 2010 apesar de todos os percalços.

A outra boa notícia é que a Mutua Madrileña, ex-patrocinadora da Renault, deverá ser a principal parceira da Campos em 2010. Se isso for confirmado, a seguradora espanhola proporcionaria o suporte financeiro que a equipe tanto precisa.

Em termos de estrutura e logística, a Campos já tem tudo pronto. Só falta mesmo fechar o orçamento.

--

As equipes da Fórmula 1 bateram o martelo e decidiram: o sistema de pontuação vai mudar de novo em 2010 e passará a premiar os dez primeiros colocados em cada corrida.

A mudança foi finalmente aprovada pelas equipes nesta segunda-feira e a distribuição dos pontos ficou assim: 25 para o vencedor, 18 para o segundo lugar, 15 para o terceiro e depois 12-10-8-6-4-3-2-1 até o décimo.

A proposta será enviada à FIA, que deve ratificar a mudança na próxima reunião do Conselho Mundial, marcada para fevereiro.

Além de mudar o sistema de pontuação, as equipes tomaram outras decisões importantes.

O projeto de dar pontos extras para o pole position e o detentor da volta mais rápida na corrida foi descartado. Ao menos, por enquanto: essa ideia ainda pode ser aproveitada mais tarde.

Por outro lado, a proposta de incluir dois pit stops obrigatórios no campeonato deste ano foi enterrada de vez.

Enquanto o campeonato não começa, as equipes seguem discutindo maneiras de tornar as corridas mais interessantes, debatendo principalmente mudanças no regulamento técnico.

Nesse quesito, porém, qualquer alteração significativa só poderia ser aprovada para 2011.

Para este ano, continuam valendo a maioria das regras do ano passado, incluindo o uso de difusor duplo - o que já está proibido para o ano que vem.

A tendência de 2010, portanto, é que os pilotos enfrentem as mesmas dificuldades das últimas temporadas. Principalmente quando tentarem realizar uma ultrapassagem.

Um comentário:

F-1 A.L.C. disse...

apresentação, decalrações legais, pintura bacana... é pouco, mais já vamos sentindo que o campeonato está mais perto. pelo que lí a pintura mostrando a fibra de carbono é pra lembrar do W25, que corria no aluminio mesmo...

sinceramente espero que Heidfeld esteja no grid este ano, um piloto muito regular, que pode medir o ritmo de um carro, poderia ser uma excelente adquisição para uma equipe nova, que nem Campos ou USF1.

agora na Renault acho que seria a melhor opção pra ele