segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Mercedes quase abandonou Fórmula 1 no início do ano

Depois que a notícia sobre a saída da Honda explodiu, boatos garantiam que várias montadoras poderiam seguir o mesmo caminho.

Parecia inevitável que pelo menos mais uma ou duas também desistissem da categoria.

As candidatas mais prováveis eram Renault e Toyota, que já reafirmaram várias vezes o desejo de permanecer na F-1.

Também houve rumores sobre a BMW, logo abafados pela cúpula da equipe.

Ninguém falou da Ferrari, por motivos óbvios: se a escuderia italiana encerrar suas atividades, a Fórmula 1 acaba no dia seguinte.

E, no meio da confusão, a Mercedes foi esquecida.

Pois bem: nesta segunda-feira, a revista Focus revelou que a montadora alemã chegou realmente perto de deixar a Fórmula 1, mas desistiu por muito pouco.

Os membros da diretoria da Daimler AG, que controla a Mercedes, foram consultados a respeito do assunto e fizeram uma votação.

O resultado foi apertado: 3 a 2 para os que preferiam continuar com a marca associada à McLaren.

Assim, por um triz, a Mercedes garantiu sua permanência.

E os dirigentes da Fórmula 1 respiraram aliviados.

De todas as montadoras que investem na Fórmula 1, a Mercedes é a única que não corre com equipe própria.

No passado, apenas fornecer motores era a prática mais comum, mas isso mudou nos últimos anos.

Insatisfeitas com a exposição limitada que tinham, Renault, BMW e Honda passaram a ter seus próprios times. A Toyota também entrou investindo pesado, mas a Mercedes continuou na sua.

Em 2007, quando estourou o escândalo de espionage, houve quem garantisse que a Mercedes compraria a McLaren de uma vez por todas.

Isso não aconteceu, mas a marca alemã ainda é a principal acionista da escuderia de Ron Dennis.

Se a Mercedes deixasse a McLaren de uma hora para a outra, o futuro da equipe ficaria em seríssimo risco.

Felizmente, o time prateado e a Fórmula 1 escaparam do que seria quase um golpe de misericórdia.

3 comentários:

Marcelo Costa disse...

E essa crise mundial mal começou, muitos dizem que pode durar ate 3 anos! Se no começo a Mercedes tremeu, então não tem garantia 100% nos próximos anos! Já existe uma resitência dentro da empresa a favor da saída da Mercedes na F1, se a crise der mais uma "apertada" acho que ela pode sim cair fora, aí adeus Mercedes, adeus Mclaren! O título do Lewis pesou na decisão a favor, mas a saída de Ron Dennis no comando pode enfraquecer a equipe nos próximos anos, só o tempo irá mostrar que fim vai ter isso...

F-1 A.L.C. disse...

concordo com marcelo, a crise ainda nem começou. Pode não ser a Mercedes que abandone a F1 e sim a F1 que nos abandone.

poém antes disso iamos ver outros times abandonando o barco, como Renault e Toyota.

ainda pode acontecer de todas as montadoras abandonar a categoria e ésta se converter num palco de milhonários extravagantes e claro, de muita saudade

Ylan Marcel disse...

Se a Mercedes vai embora da McLaren, o Lewis Hamilton se prejudicaria bastante.
www.motorizado.wordpress.com