terça-feira, 27 de janeiro de 2009

FIA conserta bobagem na regra do safety car

Demorou, mas finalmente a Federação Internacional de Automobilismo corrigiu a amadora regra do safety car, que causou distorções lamentáveis nos últimos dois anos.

Até 2006, a regra permitia que os pilotos entrassem nos boxes mesmo quando o carro de segurança estava na pista, sem restrições.

A partir de 2007, o pit lane passou a ficar fechado nas voltas imediatamente posteriores à entrada do safety car.

A mudança, inspirada no automobilismo norte-americano, não deu certo por causa de dois problemas básicos.

O primeiro era que os pilotos que seguiam para os boxes logo após a abertura do pit lane eram obrigados a esperar, na saída dos boxes, pela passagem de todos os outros que ficaram na pista.

Aqueles que avançavam o sinal vermelho eram impiedosamente desclassificados.

Foi isso o que aconteceu com Massa e Fisichella no GP do Canadá de 2007 e com Rubinho no GP da Austrália de 2008, apenas para citar os dois casos mais famosos.

Mas o segundo e principal problema era que os pilotos precisavam se alinhar atrás do safety car antes de receber a permissão para entrar nos boxes.

Quem já havia parado, portanto, se dava muito bem, num lance de mais simples sorte.

Os que ainda não haviam reabastecido precisavam esperar ou - pior ainda - entrar no box fechado por pura falta de gasolina, o que provocava imediata punição.

Sem culpa nenhuma, esses pilotos viam sua corrida prejudicada de forma flagrante.

E assim, de vez em quando, a regra do safety car criava resultados absolutamente artificiais.

A partir de 2009, a FIA promete que a situação vai mudar e a regra do safety car não vai mais ser responsável por decidir o resultado de algumas provas.

A entidade bolou um dispositivo eletrônico que ficará no volante dos pilotos e vai dizer a cada um deles em qual ponto da pista ocorreu o acidente que trouxe o safety car ao circuito.

Além disso, mais importante, o sistema vai informar um limite de velocidade para os pilotos seguirem até os boxes.

Assim, a FIA pretende evitar que os carros voem para os pits logo que o safety car seja acionado.

O dispositivo da entidade parece engenhoso e já foi testado à exaustão no ano passado, mas ainda precisa receber aprovação na prática.

Na teoria, a idéia da FIA para a nova regra do safety car é realmente certeira.

Entretanto, os dirigentes da Fórmula 1 já erraram tantas vezes no regulamento da categoria que nunca é demais ficar com um pé atrás.

Um comentário:

Paulo Maeda™ disse...

eu não acho que a regra do pit fechado seja prejudicial em si, ela apenas não é indicada para ser aplicada em circuitos mistos.
Nos ovais funciona muito bem e realmente faz parte do automobilismo americano. Só não é indicada para qualquer circuito misto.