quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Acabaram os vexames da Honda

Sim, os vexames da Honda acabaram. A partir de agora, não mais.

Nesta quinta-feira, pegando de surpresa os próprios funcionários da equipe, explodiu a notícia de que a montadora japonesa está deixando a Fórmula 1 no fim do ano.

Tal como aconteceu quando a Jaguar se retirou da categoria, no fim de 2004, os boatos se confirmaram em questão de horas.

Além dos desempenhos medíocres, pesou para a saída da Honda os efeitos da crise econômica mundial, que fizeram um grande estrago nas contas da montadora.

Quando se viram em dificuldades, os executivos japoneses da Honda, sem pensar duas vezes, tomaram a decisão.

Sentados em suas salas com ar condicionado, no alto de algum arranha-céu de Tóquio, decidiram que a equipe Honda deveria encerrar suas atividades.

E a Fórmula 1 que se vire, é claro.

Há de se questionar os métodos de Max Mosley para cortar custos.

O discurso do presidente da FIA, porém, estava totalmente correto.

A Fórmula 1 precisa estudar soluções emergenciais para reduzir gastos.

Caso contrário, o futuro da categoria estará em sério risco.

--

Para os pilotos brasileiros, a iminente saída da Honda é um golpe baixo.

Menos para Bruno Senna, que ainda tem tempo para se recuperar.

Muito mais para Rubinho, cujas últimas esperanças de continuar na Fórmula 1 vão desaparecendo.

Em entrevista ao Fantástico, há duas semanas, o veterano afirmou que iria chorar bastante quando fosse se aposentar da Fórmula 1.

Será isso o que está fazendo neste exato instante?

--

Sobre o futuro da Honda: pelo que disseram, a equipe sediada em Brackley pode permanecer na Fórmula 1, desde que se encontre um comprador até o Natal.

É verdade que a economia mundial está em recessão.

Mas parece sempre haver alguém disposto a investir na F-1.

E a Honda, convenhamos, seria vendida a preço de banana para o primeiro que aparecesse.

Dizem na Inglaterra que o empresário David Richards - ex-chefe da BAR, líder do fracassado projeto da Prodrive e atualmente chefe de equipe da Subaru no Mundial de Rally - estaria estudando a compra da Honda.

Se for em frente, Jenson Button terá a salvo seu lugar em 2009.

Resta saber quem seria o outro piloto.

Rubinho?

Sim, ainda resta uma chance...

5 comentários:

Guilherme (RJ) disse...

Ah, agora entendi porque a Honda ofereceu o tal cheque em branco para o Alonso!!!

GiglioF1 disse...

Gustavo,

O problema é o que esta por trás... Toyota e Renault tem o mesmo problema...
A decisao é muito ruim...
Abraco!

Ron Groo disse...

Não é a primeira vez que a Honda pula fora da F1 enquanto equipe.
E realmente não faria falta nenhuma se tivessemos um grid cheio de carro e muitas equipes diferentes. Não é o caso. Grids menores, corridas mais chatas.
E o pior, abre precedentes para a debandada das montadoras da categoria. E se lembrarmos bem... Só a Williams, a Force India, a Red Bull e a Toro Rosso não são de montadoras.
Preocupante isto.

GAVIAO BOEMIO disse...

Alguém mais concorda que a f1 nao pode ficar refem das montadoras? rsrsrssrsrsrrs
Vai ficar refem de quem entao? Dos fabricantes de avião,helicóptero,navio, bancos ,financeiras, fabricante de cigarro como era nas décadas passadas, hj senao as montadoras a bancar a f1, é melhor eles trocarem o nome para formula quase 1 tipo 1,9 , enquanto isso a toyota ja cala a boquita nervosa daqueles que adoram dar bom dia a cavalo.
Como o sr. mafioso Nick Fry parece estar rindo atoa ,nem ai pra renuncia da Honda e vem dizer que foi sondado por 3 interessados na compra do time no mesmo dia que a honda chuta o balde, hahaahahahahaha.
AÍ TEM NÉ SR FRY.hahahahahahahahaahah
Vai realisar seu sonho de ter uma equipe com o seu amiguinho DAVID RICHARDS, podem até contratar o neguinho da beija-flor pra fazer o anuncio oficial:
-Olha a prodrive aí gente!!!! hahahahaha

GAVIAO BOEMIO disse...

Esse papo de garagista na formula 1 atual é um chute no meus testículos. rsrsrssrsrsrsrs
Vamos voltar ao tempo e lembrar que a boeing, embraer, lockheead martin, todos esses gigantes da industria aeronáutica também começaram como garagistas, quem for a Sao José dos Campos é só vizitar o centro tecnico aeroespacial e ver la onde fica a divisao de ensaios em vôo, são 3 pequenos hangares , la começou a embraer e essa semana acabou de anunciar a construçao de mais uma Fabrica ,em Melborne FL. USA, eita crise financeira .
Mas seria possível hj desenvolver chassis f1 que absorve toda tecnologia aeronáutica sendo garagista? hahahahah
-Faz-me e rir!!
Enquanto o reg. tecnico obrigar cada time a desenvolver e construir seu proprio Chassis, a f1 ainda será f1, mesmo que haja de 1 a 4 times comprando chassis pra andar no fim do grid.
Padronizar os motores nao fará com que a f1 perca o status de categoria top,pq o que diferencia mesmo o formula 1 dos carros das outras categorias ,é sua capacidade de fazer curvas ,aceleraçao e capacidade de frenagem , isso é obvio conquistado ao longo desses anos com gastos extraordinários com pesquisa e desenvolvimento para os chassis.
A f1 so deixaria de ser a categoria top do automoibilismo se houvesse padronizaçao dos chassis, aí seria o enterro da categoria.