domingo, 2 de novembro de 2008

Diários de Interlagos - Dia 3

Texto originalmente postado no site Pit Stop. O post "Análises do GP" será excepcionalmente publicado apenas nesta segunda, com a nota dos pilotos e a avaliação de equipes, corrida e campeonato

Faltam ainda 20 voltas para o fim da corrida, mas os torcedores em Interlagos já estão desanimados.

Massa lidera, mas Hamilton se mantém tranqüilo em quinto. Resultado que dá o título ao inglês.

Aí, em poucos minutos, nuvens negras chegam ao circuito paulista.

De maneira totalmente espontânea, os torcedores pegam suas capas de chuva e as colocam antes que qualquer pingo d'água caia na pista.

Alguns pegam a capa e começam a girar, como se fosse camisa de time de futebol. Outros gritam: "Ajuda aí, São Pedro!".

E São Pedro ajudou. Em parte.

Transformou o fim do GP Brasil na decisão de campeonato mais emocionante da história. Mas os brasileiros saíram desiludidos com a perda do título para Massa na última curva, da última volta, da última corrida.

Quando o brasileiro cruza a linha de chegada, a comemoração é imediata. Cedo demais.

Hamilton passa o alemão Timo Glock nos instantes finais e sobe para quinto, a posição que precisava para vencer Massa.

Nas arquibancadas, torcedores se abraçam e gritam "é campeão!".

Aos poucos, porém, vão caindo em si.

"Por quê? Como assim?", é a pergunta da maioria. Era mesmo difícil de explicar.

Quando Massa passa, ainda é recebido com entusiasmo pela multidão que entoa um "Ole, ole, ole, ola, Massa, Massa!".

Alguns vaiam Hamilton. Outros aplaudem.

E a Timo Glock, uma bela saraivada de xingamentos e palavrões.

--

Os portões se abriram às 6h30 da manhã e, antes das 9h, uns 80% da arquibancada já estavam ocupados. Para agüentar tantas horas de espera, os torcedores se abastecem do combustível preferido de quase todos: a cerveja.

Num ambiente em que há uma mulher para cada 50 homens, é inevitável que algumas cenas se repitam o tempo inteiro.

Quando passam acompanhados na parte debaixo das arquibancadas, os marmanjos sofrem.

- Deixa ele aí e vem pra cá, meu amor!
- Tem lugar aqui do meu ladinho, vai!

Neste ano, com Massa na disputa do título, veio gente do país inteiro. Vi gente do Pará, de Goiás, do Mato Grosso do Sul, além de vários mineiros, gaúchos e cariocas.

Os paulistas ainda eram maioria, mas nem tanto.

Num certo ponto, alguns resolveram tirar onda com um grupo de gaúchos, colocando a orientação sexual dos sulistas em dúvida.

A resposta veio à altura:

- Pu** que pariu... foi São Paulo que elegeu o Clodovil!

--

O melhor diálogo que ouvi durante as seis horas de espera nas arquibancadas foi este aí debaixo.

Dois amigos, com cervejinhas na mão. Passa uma ruiva que não chega a ser exatamente uma top model. Mas um deles não se contém.

- Gostosa!

O outro pára, olha, pensa, e responde:

- Hum... acha mesmo?
- Er, por que não?
- Ô meu, essa daí... sei não...
- Ah, é bonita sim!
- Nem tanto.
- Ah é? Gritam "gostosa" para todas as mulheres que passam na arquibancada.
- E daí?
- Só essa que não merece? Sacanagem, meu!
- Foi por isso que você gritou?
- Foi.
(Silêncio. O outro pensa um pouco e, num tom sincero e ligeiramente embrigadado, manda a pérola...)
- Você é mesmo um grande ser humano.

E se oferece a comprar a próxima cervejinha para o amigo.

--

Chega a ser ridículo que num evento tão caro e sofisticado como uma corrida de F-1 ainda persistam os escatológicos banheiros químicos de Interlagos.

Nos setores "populares", não dá para fugir deles.

Mas é preciso admitir que a situação já foi bem pior.

Num certo ano, alguma mente brilhante distribuiu banheiros químicos femininos e masculinos em igual proporção ao longo do setor A. Não deu outra: em poucas horas, todos já haviam virado unisex.

Em outra temporada, o número de banheiros químicos foi bem menor do que o normal. As filas eram enormes e os "pit stops", bem mais acelerados.

Quem demorava mais de vinte segundos recebia duas pancadas na porta como primeiro aviso. Se não saísse nos instantes seguintes, vinha a ameaça:

- Sai logo ou vou balançar essa p****, hein!

Não dava nem três segundos e o sujeito já saía dali.

--

Dunga, Maradona e agora Timo Glock. O alemão da Toyota é o mais novo inimigo de estado da torcida brasileira. Coitado de Glock. Com pneus de pista seca num circuito bastante molhado, o alemão perdeu a quinta posição para Hamilton na última volta e, assim, o inglês roubou o título de Massa.

Um exemplo que ilustra bem a situação.

A cena se dá num ônibus completamente lotado, tomado de torcedores que acabam de sair de Interlagos. Dois sujeitos conversam quase que gritando. Um mais exaltado, o outro com uma cara meio perplexa. Eu estou entre eles.

- Não acredito, meu, não acredito!
- Pois é.
- Na última volta, tudo culpa desse, desse...
- "Tino" Glock.
- É! Esse "Tino" Glock é um, é um...
- Via**.
- É, é um via*** mesmo. Deixou o Hamilton passar, é claro que deixou, praticamente parou o carro.
- Aham...
- Se fosse jogo de futebol ele ia sair escoltado pela polícia. Pena que o pessoal aqui é muito sossegado.
- É mesmo...
- O pior é que o cara do meu lado me agarrou na hora da chegada e começou a pular.
- E você abraçou ele?
- Abracei, ué! Achei que tinha ganhado o campeonato! Se não fosse o via** do "Tino" Glock...

--

A pergunta que não quer calar: já pensou se fosse Rubinho no lugar de Glock? Melhor nem imaginar...

--

Comentários não necessariamente corretos sobre a corrida deste domingo:

- O carro de Hamilton foi o único que permaneceu com a luz piscando na parte de trás. Parecia até um aviso do tipo "preste atenção que eu estou aqui, não bata em mim por favor!".

- Coulthard deu quatro voltas de instalação antes de alinhar o carro no grid. A maioria dos outros pilotos deu apenas um giro e foi direto para a sua posição de largada. O escocês bateu na primeira volta, mas ainda curtiu um pouco de pilotar na F-1 em seu último dia na categoria.

- A pancada de chuva antes da largada foi tão súbita que algumas equipes precisaram voltar correndo aos boxes para pegar pneus de pista molhada. A Force India foi a que mais sofreu, já que fica localizada lá no fim do pit lane.

- Essa quase ninguém percebeu, mas o prefeito Gilberto Kassab foi anunciado pelo locutor oficial como "presidente de São Paulo" no pódio da corrida.

--

Somente quando a prova terminou, os céus desabaram de vez sobre Interlagos.

Um castigo que os torcedores não mereciam.

Aqueles que jogaram a capa de chuva fora ficaram totalmente encharcados.

Para piorar, a fila dos ônibus coletivos, especialmente designados pela prefeitura para atender aos torcedores que saíam do autódromo, não demorou a ficar bem grande.

Mas nada disso foi pior para os torcedores do que a decepção de ver Massa perder o título na última volta.

Talvez nem todos percebam isso agora, ainda no calor da decisão, mas o consolo é que presenciaram uma corrida histórica.

Jamais um campeonato da Fórmula 1 havia sido decidido tão próximo do fim.

Massa perdeu, mas saiu de cabeça ergüida. Em 2009, se tiver um pouco mais de sorte, tem plenas chances de quebrar o jejum de títulos brasileiros na categoria.

O GP Brasil de 2009 está marcado para o dia 1º de novembro. Será a penúltima prova da temporada, duas semanas antes do estreante GP de Abu Dhabi.

Assim como nas temporadas mais recentes, a etapa de Interlagos pode ser a corrida que irá decidir o título.

A partir do próximo mês, já começo a economizar de novo.

14 comentários:

Maragato disse...

http://br.youtube.com/watch?v=lB7Xlyfo_VA


sem palavras :(

Saraiva disse...

Muito bom seu texto Gustavo.
Uma pena que essa chuva forte não chegou no momento da corrida, somente ela seria capaz de deter o Hamilton...
E quanto ao Glock, o fato é que: Eu sei que ele estava com pneus de pista seca, na pista molhada. Mesmo assim, ele não deixa de ser um Via**.

Espero que próximo ano seja tão bom quanto esse...

Paulo Maeda™ disse...

Fanáticos.... vão sempre achar um culpado, o Glock vai arder no inferno se depender deles.
Eu não sou desse time, a culpa não eh do Glock, que patinou na Junção e permitiu que Vettel e Hamilton passassem. A culpa é da Ferrari, por motivos já mais que esclarecidos. Bom texto Gustavo, parabéns.

Guilherme (RJ) disse...

Gustavo,

Ficou bacana seu Diário de Interlagos. Descontraído e bem humorado.

Quanto à corrida, venceu o melhor. Já o título ficou em boas mãos.

Fabulosa final de campeonato, não apenas do título, mas nas mudanças da tabela na última hora com Kimi e Alonso subindo ao apagar das luzes.

E ficou bem à moda de nós brasileiros que temos o futebol enraizado polemizar ao final dos resultados. Trocamos o “E aí, a bola entrou ou não?” pelo “Afinal, Glock deixou ou não?”.

Grande Abraço!

Felix disse...

Belo texto, traduziu muito bem a sensação de estar lá! Tbm estava lá, e apesar da frustração da última volta, fico feliz por ter vivido essa experiência única. Possivelmente nunca mais verei uma corrida tão emocionante.
Mas em 2009 certamente estarei lá novamente! :-)

Mudanças disse...

O Lewis nao consegue correr sobre pressao, como pudemos ver no domingo, ja felipe massa demonstrou ser um atleta completo.

Anônimo disse...

O que deve ter passado na cabeça do Hamilton na hora em que o Vetel o ultrapassou? Puts... acho que le teve que engolir o coração devolta...hahaha.

Ótimo texto!

Joaquim disse...

São Pedro quis prejudicar o Luiz Amilton e mandou uma chuvinha.

Pensou pensou.. e parou com a chuva.

Mas por que não? vou prejudicá-lo sim. E na última volta mandou mais chuva...

Portanto a culpa é do São pedro que não viu o Glock de pneus lisos.

Anônimo disse...

Gente acordem. O GLOCK tirou o pé!!!!!! Eu não acredito!!!!!!!!!! Eu FDP tem que ser banido. Se eu fosse o Massa ia lá no box dele na hora... Mas parece que o próprio Massa sabia da conspiração. Até que enfim um jornal ( Espanhol ) pois os brasileiros acharam a manobra do Clock normalísssima está desconfiando que ele tirou o pé.... hahahaha

Delta Alfa disse...

Tudo bem q blog é lugar do cara ser parcial mesmo.
Mas, Gustavo, em nenhum momento vc teve a coragem de dar parabéns ao Hamilton. Preferiu perder tempo relatando piadinhas sem graça de arquibancada.
Se o Massa tivesse levado, o post teria sido totalmente diferente, aposto.
Vcs torcedores do Massa são maus perdedores: n sabem dar parabéns a quem merece.
Acho q Massa está de parabéns. É um outro piloto desde o Bahrein neste ano.
No entanto, venceu o melhor.
Nem vibrei muito, pois desde a China o Hamilton era o campeão moral desse ano por conta dos 6 pontos q tomaram dele em SPA.
Bom, espero q se retrate e tenha a humildade de parabenizar o Lewis.
Abs

Anônimo disse...

Sempre tem que haver um culpado...

blogguardrail disse...

Hehehe...muito legal o diário. Boa idéia!

Bjs

Anônimo disse...

Ah, Gustavo!!! Posta logo a Análise do GP do Brasil, quero saber quem levou a nota máxima e a nota mínima.

Leandrus disse...

Legal mesmo esse diário! Eu pensava que quem vai a Interlagos, até por ser uma coisa BEM CARA, tinha um pouco mais de bom senso. Todos acharem que "Tino" Glock (ou blog, como falaram no globo esporte hje, rs) tirou mesmo o pé pro Massa perder é sacanagem, até pq o Glock é um dos que mais odeiam o Hamilton...

Ateh!