segunda-feira, 11 de maio de 2009

FIA e Fota se preparam para a guerra

A crise na Fórmula 1 é realmente profunda.

Nesta segunda, surgiu o boato: diretores da Ferrari vão se reunir em Maranello para decidir se vale a pena ou não seguir na categoria.

Sim, é óbvio que não existe a menor chance de a equipe vermelha deixar o Mundial.

Mas a ameaça mostra de forma clara como a tensão nos bastidores chegou a um ponto dramático.

Pouquíssimas vezes em sua história a Ferrari deixar vazar a possibilidade de abandonar a Fórmula 1.

Quando isso acontece, é sempre a última cartada do time de Maranello. Sinal de que os ânimos estão realmente exaltados.

Se o prazo para fazer a inscrição para a temporada 2010 terminasse hoje, apenas três equipes estariam garantidas: Williams, Brawn e Force India.

Aquelas apoiadas por montadoras - BMW, Ferrari, McLaren, Renault e Toyota - além das duas equipes da Red Bull, ficariam de fora.

A esmagadora maioria, portanto.

A FIA continua manobrando para minar a união entre as escuderias, mas cada tentativa de produzir a discórdia acaba fortelecendo ainda mais a Associação das Equipes (Fota).

As escuderias não querem um teto orçamentário tão baixo, não querem uma divisão entre dois regulamentos e abominam a influência que a FIA exerce sobre a Fórmula 1.

Até quando o presidente da entidade, Max Mosley, vai resistir? Até que ponto?

A Fórmula 1 não será em 2010 do que jeito que a FIA imagina.

Mas também passará longe de ser como as equipes realmente desejam.

No momento, FIA e Fota ainda estão na fase do aquecimento. A verdadeira guerra vai explodir nas próximas semanas e pode causar espanto naqueles que não conseguem os bastidores da categoria.

Blefes, ameaças, acusações e boataria constante sobre as regras... tudo isso vai acontecer.

E no fim, o que restará da Fórmula 1?

Aí vai o palpite do Blog: a categoria permanecerá com um só regulamento, assim como neste ano, mas a ideia do teto orçamentária não será abandonada.

Equipes apoiadas por montadores podem abandonar a categoria - BMW e Toyota, mais provavelmente - e a Fórmula 1 vai continuar com grid reduzido, ao menos por enquanto.

Mas, no fim da tempestade, o campeonato não vai acabar.

É sempre assim.

A Fórmula 1 já "terminou" milhares de vezes. Profetas do apocalipse já previram um racha na categoria em inúmeras oportunidades.

Só que o campeonato, de um jeito ou de outro, sempre se mantém de pé e tão atrativo como já era antes.

Por mais que muita gente se esforce para acabar com a Fórmula 1, o esporte é forte demais para sucumbir às peripécias de dirigentes como Max Mosley e Flavio Briatore.

Tal como a economia mundial, a Fórmula 1 vive uma das maiores crises das últimas décadas.

Mas fique tranquilo, vai dar tudo certo no final.

2 comentários:

Ron Groo disse...

É certo que eles quase sempre acabam se entendendo, mas desta vez a coisa parece mais séria.
Há um clima de racha mesmo na F1 com equipes ameaçando sair.
Tradicionais como a Ferrari e importantes como as duas equipes com carros de boi, que no fundo são uma só.
É preocupante, e a seriedade pode ser aferida pelo fato de nenhuma equipe - nem a Williams que já se pronunciou dizendo que corre ano que vem seja lá com que regulamento for - sequer mandaram uma nota de condolências pelo fato do filho de um dos velhinhos da fuzarca ter falecido.
Numa clara atitude de - falta de respeito, claro - que estão se lixando para a situação e se quiserem pagar pra ver que venham. Eles querem mostrar que estão falando sério mesmo.

F-1 A.L.C. disse...

"cada tentativa de produzir a discórdia acaba fortelecendo ainda mais a Associação das Equipes"

tá me lembrando a batalha entre evo morales e a oposição, lá no peu país...

ano eleitoral, meu caro, ano eleitoral...