domingo, 8 de fevereiro de 2009

E agora, Bruno Senna?

Bruno Senna começou a carreira tarde e sem a menor experiência no kart, mas já chegou mais longe do que a maioria dos pilotos brasileiros que tenta a sorte no exterior.

O sobrenome ajuda, é claro.

Apesar disso, Bruno provou por mérito próprio que tem potencial para disputar corridas de alto nível e para sonhar com uma vaga no grid da Fórmula 1.

Há cerca de dois meses, o sonho parecia próximo de se tornar realidade.

Bruno teve um desempenho surpreendente em seu primeiro teste na F-1, pela Honda, e estava pertinho de garantir um lugar ao lado do inglês Jenson Button.

Então veio a notícia sobre a súbita retirada da equipe japonesa, que forçou uma mudança nos planos do piloto brasileiro.

Se a Honda encontrar um comprador e disputar a temporada 2009, as chances de Bruno correr pelo time permanecem mais ou menos como estavam.

Diminuem um pouco, é verdade, mas ainda seriam animadoras.

Mas e se a porta da F-1 não se abrir neste ano, para onde vai Bruno Senna?

E agora?

Está claro que Bruno deve ganhar, mais cedo ou mais tarde, uma vaga na Fórmula 1.

Antes que isso aconteça, porém, ele não pode se manter fora de atividade.

Uma transferência para a F-Indy, por exemplo, poderia afastar Bruno da Fórmula 1.

Por isso, o piloto nem considera a hipótese de se mudar para os Estados Unidos no futuro próximo, algo que nomes como Lucas di Grassi estão fazendo no momento.

Para Bruno, o importante é permanecer perto da F-1.

E não há maneira melhor de fazer isso do que continuar na GP2, onde ele foi vice-campeão no ano passado.

Dizem que Bruno pode assinar com a Campos Grand Prix, campeã entre as equipes na temporada passada, só que não há nada confirmado.

O sobrinho de Ayrton teme que qualquer resultado pior do que o alcançado em 2008 seja considerado um fracasso. Por essa razão, Bruno parece relutar em se manter na GP2.

Mas não deveria se preocupar tanto assim.

Em 2009, o nível da GP2 será o mais alto dos últimos anos.

Nomes como o japonês Kamui Kobayashi, o francês Romain Grosjean e o alemão Nico Hulkenberg - todos pilotos de teste na F-1 e já com um pé na categoria - vão disputar o título palmo a palmo.

Há ainda outros novatos de talento, como o holandês Giedo van der Garde ou o português Álvaro Parente, que certamente podem sonhar com a F-1 num futuro próximo.

Se, no meio de toda essa turma, Bruno não repetir o resultado de 2008, não será nenhum vexame.

Basta ao brasileiro continuar entre os líderes para se manter em evidência e, logo que uma porta na F-1 se abrir, Bruno estará lá para aproveitar.

--

Apenas para ilustrar com um exemplo prática.

Em 1999, em seu primeiro ano na antiga Fórmula CART, o colombiano Juan Pablo Montoya ganhou sete corridas e levou o título da categoria.

Na temporada seguinte, ganhou apenas duas corridas, bateu várias vezes e finalizou apenas em nono na classificação geral.

Nem por isso Montoya perdeu o prestígio que havia ganho nos anos anteriores, e assinou contrato para correr pela Williams em 2001.

Assim como Montoya, Senna também é um piloto de impacto, embora por motivos diferentes.

Ao brasileiro, uma temporada competente na GP2 em 2009 já seria suficiente para elevá-lo à Fórmula 1 no ano que vem.

3 comentários:

guardrailf1.com disse...

Apesar dessa relutância do Bruno em seguir um ano mais na GP2, acho que ele consegue uma vaga em qualquer equipe quando quiser.

Ao mesmo tempo, essa insistência na F1 pode ser uma dica de que a Honda, ou sabe-se lá como vai chamar, poderia sim fazer parte do grid de 2009.

Só nao sei até quando vao esperar pra se decidir. De todas formas, ainda resta a F2.

Leandrus disse...

Também acho que Bruno consegue uma vaga na GP2 tranquilamente, o fato de não continuar na sua antiga equipe não diz muita coisa.

Só acho que, se Bruno continuar na GP2, o que acredito que deva acontecer, ele não pode ter um desemepenho pior do que o do ano passado. Tem que se sair muito bem, de preferencia campeão, porque está difícil conseguir vaga na F1, o nível do grid atual está alto e são pouquissimos os que devem sair no ano que vem (é, tá cedo pra falar disso ainda, claro, mas fazendo uma rápida previsão). Acredito que terá que ter um desempenho muito bom mesmo para chamar a atenção dos chefões da F1

Se bem que o sobrenome dá uma bela ajuda...

OCTETO RACING TEAM disse...

Gustavo, uma indicação para você!!! hehehehe

http://octetort.blogspot.com/2009/02/outro-selinho.html

bjs, Ludy