domingo, 7 de setembro de 2008

Decisão necessária e corajosa tira vitória de Lewis

Pois é: Hamilton não é o queridinho dos comissários da FIA.

Todos aqueles que acusaram a entidade de favorecer o inglês no ano passado queimaram a língua hoje. Porque os fiscais não tiveram vergonha de tirar o triunfo de Hamilton numa decisão necessária, corajosa e muito polêmica.

Punido, Hamilton caiu para terceiro e a vitória ficou com Massa. Um resultado que vai fazer muita diferença no campeonato.

Hamilton, de fato, não foi correto ao devolver a posição a Raikkonen. Tentou ser malandro e se aproveitou de ter cortado a pista para superar o finlandês. Que, afobado por perder a liderança, viria a bater logo depois.

Ironia das ironias, quem se deu muito bem com a história foi Felipe Massa.

O brasileiro herdou a vitória e reduziu para dois pontos apenas a vantagem de Hamilton. Que sorte! Será de campeão?

Por causa da punição a Hamilton, o post com as avaliações e o Palpitão ficou adiado, mas sai do forno ainda hoje.

10 comentários:

Speeder_76 disse...

Por acaso, consegui o video da luta. Esta não era esclarecedora (aliás, de inicio achei que a decisão tinha sido injusta), mas depois vi uma foto em que o dava na frente de Raikonnen, e afinal eles tinham razão.

Mas também, com estes comissários, estava à espera de uma decisão destas. Ao Glock tiraram-lhe 25 segundos (e um ponto), e ontem o Pantano fez duas barbaridades destas na GP2 e foi excluido...

Speeder_76 disse...

Ultima Hora: McLaren vai apelar.

Letobus disse...

Gustavo, vc não acha q seria mais justo uma punição como a que foi dada ao hamilton depois da corrida no canada? em q ele perdeu 10 posições no grid da corrida da frança? Eu acho q hoje ele foi culpado e deveria ser punido, mas, sei lá... não vejo o massa como o vencedor da corrida. Não tem graça ganhar no tapetão.
Abraço

EdisPJ disse...

Trapaceou e se deu mal, pra sorte do esporte foi punido, senão iria usar esse expediente toda vez que se visse acuado ou sem a possibilidade de concretizar uma ultrapassagem. Sinceramente, Ron Dennis e Hamilton se merecem...

Blog F1 Grand Prix disse...

Letobus,

Concordo que vitória no tapetão não tem graça, mas o fato é que Hamilton receberia um drive through se a corrida tivesse mais voltas. Como a prova já havia terminado, a solução foi acrescentar ao tempo do inglês o que ele perderia se tivesse feito a passagem pelos boxes.

Grande abraço,

Gustavo COelho

Marcos Antônio Filho disse...

Achei a punição justa,na hora que Hamilton atacou o Raikkonen,comentei com meu tio que ele ia ser punido,ele deu apenas um carro de vantagem pro Raikkonen que ainda estava tracionando na reta.A McLaren apeou mas não deve acontecer nada.Em Monza a corrida pegará fogo!

Leandrus disse...

Pode ter sido justo, mas é meio desagradável. Eu confesso que odeio punições pós-corridas: no máximo, tem que ser algo como Japão 89.

E se o Massa for campeão, a imprensa inglesa vai se lembrar disso por uns 15 anos no mínimo...

Ateh!

Letobus disse...

Gustavo,
mas se ele cumprisse um drive through não perderia 25 segundos. 25 segundos é o tempo normal de um pit stop com uns 7 ou 8 segundos de abastecimento, portanto o tempo do drive through seria de aproximadamente uns 18 segundos. Se fossem contados 18 segundos do tempo final dele, teria chegado em segundo. Só q não é certo os comissários terem o direito de decidir o tempo da punição, já q assim eles poderiam dar uma punição de 10 segundos e não mudar nada. mas 25 segundos é exagero, portando eu acho q seria mais justo uma punição de 10 posições no grid de monza.

PS: desculpe pelo post enorme. hehehe
Abraço

Blog F1 Grand Prix disse...

Letobus,

Você está certo, mas é esse o procedimento do regulamento. Não sei de onde tiraram que 25 segundos são perdidos por um drive through, só que é isso o que está escrito nas regras...

Grande abraço,

Gustavo Coelho

PS: Concordo com a punição pelo seguinte motivo: se Hamilton tivesse feito a chicane, ele não teria tido possibilidade de passar Kimi em La Source. Ou seja: ele só teve chance de passar porque cortou a chicane. Ele não cortou de propósito, mas é inegável que isso foi fundamental para que Hamilton fizesse a manobra.

Grande abraço!

Gustavo Coelho

Fábio Andrade disse...

Também concordei com a punição, mas admito que o parâmetro é discutível.