domingo, 5 de abril de 2009

E deu Button novamente

Este foi o mais curto e emocionante GP da Malásia que a Fórmula 1 já teve.

Vitória de Button, a segunda em duas corridas.

Desde 1950, com a Alfa Romeo, uma equipe estreante não vencia nas suas duas primeiras participações na Fórmula 1.

A Brawn continua a escrever uma das páginas mais bonitas da história da Fórmula 1.

Em Sepang, Button perdeu a ponta na largada, mas teve tranquilidade para retomar a liderança nas paradas de pit stop.

Quando começou a chover, manteve o carro na pista, abriu uma boa distância e conquistou a vitória com autoridade.

Embora apenas duas corridas tenham sido realizadas até aqui, Button já se destaca como o principal candidato ao título deste ano.

Na loteria da chuva, dois pilotos se deram muito bem.

Heidfeld, brilhante, conseguiu a proeza de fazer apenas um pit stop, enquanto os adversários pararam nos boxes ao menos três vezes.

Quando a bandeira vermelha foi mostrada, já havia caído para terceiro, mas recuperou o segundo lugar porque o resultado final levava em conta as posições da volta anterior.

Por causa disso, Glock, que era o segundo, ficou relegado a terceiro. Mas o alemão da Toyota não tem nada a lamentar.

Depois de uma largada ruim, foi muito esperto ao colocar pneus intermediários e deu o famoso "pulo do gato".

Logo atrás veio o outro representante da equipe japonesa, Trulli, em quarto. A Toyota, segunda colocada no Mundial de Construtores, está cada vez mais perto da primeira vitória.

Prejudicado pela troca de câmbio, Rubinho largou só de oitavo e fez o possível.

A chuva, dessa vez, não ajudou.

O brasileiro já está a cinco pontos do companheiro Button no campeonato. Uma distância razoável, mas nada gigantesca.

A zona de pontuação foi completada por Webber, Hamilton e Rosberg.

Três pilotos que andaram muito bem e, por motivos diversos, ficaram abaixo do resultado que mereciam.

Com a interrupção prematura da prova, todos marcaram metade dos pontos porque a corrida não alcançou 75% de sua distância original.

Patinada feia da FIA e de Bernie Ecclestone, que cometeram o erro crasso de marcar a prova para as 17h locais.

A chuva já melhorava e o céu já começava a clarear. Mas o circuito de Sepang não conta com iluminação artificial.

Nuvens negras também se colocam sobre os boxes da Ferrari. O time de Maranello está tendo um início de temporada tenebroso.

Não marcou pontos nas duas primeiras corridas e, tecnicamente, perde até da Force India nos critérios de desempate do Mundial de Construtores.

Na Malásia, um festival de erros estúpidos.

Massa largou lá atrás por ter sido eliminado no "Q1" do treino classificatório e Raikkonen teve sua corrida estragada ao colocar pneus de chuva sem que chovesse.

Assim como a Ferrari, a McLaren também está mal das pernas: apenas um pontinho nos dois GPs iniciais.

Enquanto isso, Brawn e Toyota despontam como as potências de 2009, seguidas por BMW, Red Bull e Williams.

O panorama deve ser este no GP da China, marcado para daqui a duas semanas.

O circuito de Xangai jamais sediou corridas espetaculares.

Mas, se depender do que temos visto neste ano, será mais uma prova sensacional.

Um comentário:

Alexandre disse...

Não sei se foi espetacular, mas o GP da China de 2006 foi uma das vitórias mais emocionantes que eu vi do Schumacher. Sob chuva ele ultrapassou Alonso que sofria com os pneus e depois ultrapassou Fisichella saindo do box colocando as duas rodas na grama. Foi após essa vitória que ele assumiu pela primeira vez a liderança daquele campeonato. Pena que depois veio Suzuka...