domingo, 1 de março de 2009

Um ano decisivo para a Force India

Dizem que o segundo ano de uma equipe na Fórmula 1 é sempre mais difícil do que a temporada de estreia.

A Force India vai tentar desmentir essa máxima no campeonato de 2009.

Neste fim de semana, a equipe lançou o novo modelo VJM2 com a promessa de brigar por pontos com regularidade e superar a frustrante performance do ano passado, quando até teve lampejos de bom desempenho, mas não marcou nenhum ponto.

Dessa vez, a pressão na equipe será muito maior e vem principalmente do dono da equipe, Vijay Mallya, um sujeito que não entra em negócio nenhum para perder.

Se a performance modesta de 2008 se repetir, fica difícil acreditar que a Force India tem qualquer futuro na Fórmula 1. Entretanto, as perspectivas da equipe não são ruins assim.

Em novembro passado, Mallya fechou uma parceria importante com a McLaren e a Mercedes, numa manobra que surpreendeu muita gente da Fórmula 1.

Sem dúvida alguma, o apoio do time prateado vai ser um belo empurrão para a modesta Force India.

Além disso, Mallya demitiu o chefe de equipe Collin Kolles e o diretor técnico Mike Gascoyne, os dois maiores medalhões da Force India, e assumiu ele mesmo a função de principal dirigente da escuderia nos fins de semana de GP.

Empresário de muito sucesso, Mallya percebeu que precisava entrar de cabeça na Force India para não ver o investimento fracassar.

Em praticamente todas as suas aventuras, o indiano se deu bem. A Fórmula 1 é um negócio de risco, mas Mallya entrou no jogo decidido a ganhar.

Embora, a Force India ainda esteja bem longe das primeiras posições, duvidar do potencial da equipe pode se revelar um grande erro.

Dependendo do entrosamento com a McLaren, a Force India pode até ser a grande surpresa da próxima temporada, que será decisiva para o futuro da equipe.

Em 2009, o time indiano terá um ano de afirmação.

A Force India precisa provar que veio à Fórmula 1 para ficar.

2 comentários:

Gavião Boemio disse...

-Bem lembrado garoto!! O segundo ano é crucial em todos os aspectos pra quem investi tanto dinheiro em projetos de longo prazo como esse.
O Mallya ao demitir a diretoria de renomados engenheiros da sua equipe, e assinar acordos de cooperaçao com outra equipe e ate acordo de parceria tecnologia para o desenvolvimento do seu laboratorio cfd com a EADS, O MINIMO QUE SE PODE ESPERAR É UM SEGUNDO ANO MELHOR QUE O PRIMEIRO, CASO CONTRÁRIO,iiiiiiihhhhhhhhhhhh!!!

Gavião Boemio disse...

-Bem lembrado garoto!! O segundo ano é crucial em todos os aspectos pra quem investi tanto dinheiro em projetos de longo prazo como esse.
O Mallya ao demitir a diretoria de renomados engenheiros da sua equipe, e assinar acordos de cooperaçao com outra equipe e ate acordo de parceria tecnologia para o desenvolvimento do seu laboratorio cfd com a EADS, O MINIMO QUE SE PODE ESPERAR É UM SEGUNDO ANO MELHOR QUE O PRIMEIRO, CASO CONTRÁRIO,iiiiiiihhhhhhhhhhhh!!!