quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

A Toyota e a busca pelo carro "indestrutível"

Em dezembro passado, quando ainda nenhum dos carros de 2009 havia sido lançado, a Toyota anunciou que um de seus grandes objetivos para este ano era produzir um carro "indestrutível", capaz de resistir a todas as corridas da temporada sem quebrar.

No campeonato de 2008, apenas uma equipe conseguiu alcançar este objetivo: a BMW, que obteve a façanha de não quebrar em nenhuma das 18 provas do calendário.

Mas o panorama para 2009 é diferente.

Com a chegada do KERS e a implantação de uma série de mudanças aerodinâmicas, os times voltaram para a estaca zero no quesito confiabilidade.

A expectativa é que o número de quebras seja alto no início do ano, mas há equipes que estão se concentrando na tarefa de produzir carros quase infalíveis.

Uma delas é justamente a Toyota, a escuderia que deseja ter o carro "indestrutível".

Em anos anteriores, a escuderia japonesa se notabilizou por não saber aproveitar oportunidades.

Agora, o objetivo é reverter a situação.

Na atual pré-temporada, a Toyota já é a equipe que completou o maior número de quilômetros sem experimentar uma única falha mecânica.

O solitário defeito que o novo TF109 teve foi uma quebra de motor no primeiro teste do alemão Timo Glock com o bólido.

À exceção disso, a Toyota não teve grandes problemas e, na maioria dos testes no Bahrein, é a equipe que permanece mais tempo na pista.

Nesta quarta-feira, a história se repetiu: Glock foi o mais rápido e andou muito mais voltas do que Massa e Heidfeld.

Tanto o brasileiro da Ferrari quanto o alemão da BMW tiveram quebras, enquanto Glock trabalhou mais e não experimentou defeitos no TF109.

Como sempre em pré-temporada, é muito cedo para garantir qualquer coisa.

Sobre performance, ainda não dá para fazer previsões.

Mas a Toyota, ao menos a princípio, parece ter saído na frente na questão da confiabilidade.

O novo TF109 ainda não é "indestrutível", mas talvez chegue lá.

--

Importante ressalva: a Toyota é a uma das equipes - ao lado de Williams, Red Bull e Toro Rosso - que não vai usar o KERS no início da temporada.

O dispositivo eletrônico vem uma enorme sendo dor de cabeça para os times e culpado por várias quebras nesta pré-temporada.

No Bahrein, a Toyota não testou o KERS, e isso talvez explique a surpreendente confiabilidade do novo carro.

Mas não é tudo.

O novo TF109 vem provando ser um modelo estável e consistente, e que pode ser uma grata surpresa na fase inicial do campeonato.

3 comentários:

F-1 A.L.C. disse...

tá certo, confiabilidade vai ser um fator descisivo neste 2009.

e ainda tem mais. lembra que o bom Kazuki disse que o aerofólio dianteiro vai ser um perigo na largada? pois é, se o japa está decidido a ser especialmente destrutivo nesta temporada, também seri bom agregar um difussor traseiro com reforço de aço

Ron Groo disse...

E a Toyota sempre indo na contramão do que queremos.
Queremos carros imprevisiveis e competitivos pô!

Felipe Maciel disse...

Pode até ser que a Toyota consiga nos surpreender de alguma forma, mas não pode muito tempo. Eles são do tipo que começam o ano bem e a partir de um dado momento passam a perder terreno. Quando o assunto é regularidade, a Toyota sai da sala...