segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Rubinho e a fama de "chorão"


Como sempre, o veterano mantém uma postura de peito aberto, falando exatamente o que pensa e sente.

Admite uma certa inferioridade para Schumacher, mas garante que era prejudicado pela equipe quando os dois estavam em condições iguais.

Repete que ainda "tem gás" para disputar a próxima temporada e que continua com muita vontade de pilotar na Fórmula 1.

Elogia o potencial de Bruno Senna, ressalta que o novato tem boas perspectivas na Fórmula 1, mas diz que Senninha ainda não possui experiência para estrear na categoria.

Por fim, Rubinho reconhece que a decisão sobre a aposentadoria será bem difícil e que, no dia seguinte após abandonar as pistas, vai "chorar muito".

Sobre a relação com Schumacher, é preciso exaltar a postura de Rubinho. Que, pela primeira vez, admite não ter estado ao nível do alemão durante seu período na Ferrari.

Também vale elogiar a transparência de Rubinho ao não esconder, em momento nenhum, que a sua vontade é mesmo continuar na Fórmula 1.

E a crítica à inexperiência de Senna, por mais que muitos possam interpretar como "inveja" ou "ele está querendo secar o novato", é inteiramente válida.

A lamentar, apenas, a infeliz frase com a qual Rubinho encerra a entrevista.

Dizer que vai "chorar muito" no dia em que abandonar a Fórmula 1 era totalmente desnecessário.

Rubinho se preocupa tanto em mostrar quem é que, de vez em quando, acaba exagerando.

E é este o caso.

Para alguém que já tem a injusta fama de "chorão", de "reclamão" e de "mimado", declarações como essa servem apenas para aumentar o tom dos deboches.

A impressão que dá é que Rubinho estava indo tão bem na entrevista, tão bem... até o deslize no momento final.

Rubinho, "chorão" você não é.

Mas convencer os outros disso vai ficar cada vez mais difícil.

5 comentários:

GAVIAO BOEMIO disse...

O MAIOR ERRO DELE FOI ACEITAR O JOGUINHO DA GLOBO, QUE ADORAM VENDER O SENSACIONALISMO BARATO,O QUE ELE PODE ESPERAR DE PREMIO DE CONSOLO DA EMISSORA, É UMA CHUPETA E O TOTAL ESQUECIMENTO.Se lhe serve de consolo também, ele pode dizer aos amigos que ja dormiu com uma atriz global.

Tuta Santos disse...

Para o Schumacher, a Ferrari dizia,quando ele saía do box: Pode dar tudo neste carro, vai além do limite, pode esfarelar ele contra a parede que a gente faz um novinho pra você.
Jápara o Rubinho, diziam: Vê se não vai estragar o nosso carro! Se bater, vai correr no remendão!
Isso é ser segundo piloto, gente. Barrichello é muito bom, Schumacher é muito bom e bem-apoiado.

Joaquim disse...

O texto acima é o que penso do Barrichello. Inclusive na sua forma franca de falar o que pensa.

Mas ele é chorão sim.
Tanto quanto as reclamações como no choro mesmo. Qualquer coisa ele abre a boca, chora feito uma criança como naquela sua primeira vitória.

Mas tem uma coisa que é importante.Ele é gente boa.
E é um bom piloto.

Guilherme (RJ) disse...

Olha, Gustavo...

Nunca tive apreço pelo Rubinho, ainda assim torcia para que ele pudesse mostrar que poderia ser um grande piloto, até aquela fatídica tarde de um domingo Dia das Mães, quando ele beirou ao ridículo, como piloto e ser humano, ao fazer a mais humilhante das manobras a que se pode prestar um esportista.

Aquilo me deu asco!

Posso estar até sendo muito duro e exigente ao criticar o Rubinho, mas você está sendo muito bonzinho com ele. É uma opinião que eu respeito (não muito... hehehe) mas não concordo mesmo.

Grande Abraço!

Anônimo disse...

Pro BURRINHO a ferrari dava un carro velho que ia quebrar no meio da corrida se ele pisasse fundo.Pro SHUMY, um foguete e toda a atenção do time.