terça-feira, 6 de maio de 2008

Confirmado: Super Aguri fecha as portas e já não corre no G.P. da Turquia

A Super Aguri bem que tentou, mas no fim não teve salvação mesmo. Nesta terça, a simpática escuderia japonesa anunciou o encerramento imediato das suas atividades, como resultado de uma prolongada e dramática crise financeira. O equipamento da equipe chegou a ser enviado para a Turquia, só que o fracasso num acordo com a Honda forçou a Aguri a desistir da corrida. Infelizmente, o esforçado time de Takuma Sato e Anthony Davidson está fora da Fórmula 1.

"Com muito pesar, confirmo que a equipe fecha suas portas hoje. Estou exausto, e preciso de uma folga. A Fórmula 1 é realmente um 'clube de piranhas', e eu não quero mais estar envolvido nesse meio", desabafou o chefe Aguri Suzuki. A revolta do ex-piloto é compreensível: nos últimos dias, a Super Aguri esteve prestes a conseguir um acordo com um grupo de investimento alemão, mas teve sua intenção barrada pela Honda.

Principal financiadora da Aguri desde o início, a montadora japonesa decidir encerrar qualquer relacionamento com a "filial", por falta de capacidade para manter duas equipes na Fórmula 1. Como a Aguri depende da parceria com a Honda para obter motores e outras vantagens técnicas, não houve outra saída. Na manhã desta terça, a Aguri soltou um comunicado confirmando sua falência, e agora a mais importante categoria do automobilismo mundial está limitada a apenas vinte carros.

É chato, é triste, mas é assim mesmo. A lógica da Fórmula 1 é cruel, e fez apenas mais uma vítima hoje. Para a Super Aguri, foi bom enquanto durou.


A Toro Rosso anunciou hoje que a estréia do seu novo carro será mesmo no G.P. de Mônaco, marcado para o fim deste mês. O ST3 deveria andar pela primeira vez agora na Turquia, mas os planos precisaram ser alterados após um forte acidente sofrido por Sebastien Bourdais nos testes coletivos de Barcelona. "Fizemos de tudo para consertar o equipamento a tempo. Infelizmente, não deu", explicou hoje um engenheiro da Toro. Na Turquia, portanto, não há nada a se esperar da equipe.

Na Inglaterra, a principal notícia do dia foi a volta de um antigo boato: a possibilidade de se realizar uma corrida da Fórmula 1 nas ruas de Londres. Ao que parece, o projeto é aproveitar parte do complexo construído para as Olimpíadas de 2012, e que será desativado após a competição. Vale lembrar que uma idéia parecida levou à criação de um circuito na ilha de Notre Dame, palco das Olimpíadas de 1976. A Fórmula 1 experimentou, gostou, e o G.P. do Canadá nunca mais mudou de endereço.

Por fim, vale registrar uma entrevista que Rubens Barrichello concedeu nesta semana à revista Veja. "Minha situação na Ferrari era desigual. Quando assinei o contrato, não havia nenhuma cláusula de privilégio para o Schumacher, mas na prática era bem diferente. No G.P. dos Estados Unidos de 2005, vieram pelo rádio me pedir para reduzir a rotação do motor, para que ele se aproximasse de mim e fizesse a ultrapassagem. Foi aí que percebi que era o momento de deixar a Ferrari", revelou Rubinho.

O G.P. dos Estados Unidos mencionado por Rubinho foi aquele fatídico espetáculo que contou com apenas seis carros na pista. Curioso, porém, é lembrar que Schumacher nunca esteve atrás de Rubinho naquela prova. A história da ordem pelo rádio, portanto, parece ficar um pouco estranha. Será que Rubinho se confundiu?


Assim como ontem, o vídeo do dia é uma excelente dica do Speeder, do blog Continental Circus. Dessa vez, trata-se de um emocionante e caprichado tributo ao lendário Gilles Villeneuve:





Até mais!

Crédito das fotos: http://www.gpupdate.net/

10 comentários:

Lucas Brunini disse...

Não ví essa corrida pq no dia da corrida a globo passou o jogo da seleção. Mas eu lembro que o Barrichello estava em primeiro, e o Sahumacher o ultrapassou na primeira curva, quase jogando o Barrichello pra fora da pista.

Guilherme (RJ) disse...

O Rubinho fica com essa mania de perseguição típica de pessoas com complexo de inferioridade. Às vezes se mostra vítima ou afetado pelo azar, mas acaba sendo ridícula sua exposição na mídia ao tentar explicar o que não conseguiu: Campeão e ídolo de uma nação.

E não adianta nem tentar dizer que se não fosse a ‘Era Schumacher’ ele seria campeão, pois a geração anterior era em maior quantidade e muito mais gabaritada: Senna, Piquet, Prost, Mansell... Lauda e desse moço protagonista do vídeo, um certo Gilles Villeneuve...

Pobre Aguri... pena do Sato!

Abraços!!!

Guilherme (RJ) disse...

Ah, Gustavo, só para constar:
Não veio a Prodrive e foi-se a Super Aguri.

Leandrus disse...

Eu lembro mais do pódio do GP dos EUA 2005 que da corrida em si; realmente, não lembrava que Schumacher estava na frente do Barrica (e não lembro até agora, juro por Deus). Mentir não vale, Rubinho...

Quanto a Super Aguri, é realmente uma pena, a equipe teve uma evolução considerativa de 06 para 07 mas a falta de apoio da Honda realmente quebra. E o Sato nessa história toda, onde fica? Só o Nakajima de kamikaze não dá!

Ateh!

Marco Antonio e/ou Diego Kiss disse...

Não sei se a Super Aguri vai fazer mta falta nessa temporada nao....
Era uma equipe destinada a uma rapida passagem pela F1.

Abraços

Maytop disse...

Acho que o Rubinho fala do momento do pitstop onde ele tinha tudo pra tomar a liderança. e talvez tenha recebido a ordem de tirar o pé. Porém se no contrato dizia em igualdade,ou mesmo que não falace nada, duvido que senna, piquet, prost, se algum deles tiraria o pé.

Net Esportes disse...

Eu não pude ver essa corrida dos EUA em 2005, mas se eu não me engano o Rubinho liderou entre a 1ª parada e a 2ª parada, aí teve uma manobra do Schumacher que jogou o Rubinho na grama e tal.......... eu acho que ele tem que se lamentar e reclamar mesmo, é fácil os caras chegarem aqui e falar que ele tinha que bater de frente e não deixar o Schumacher passar e tal, mas vai la na Ferrari, vai la ver como é a coisa na realidade mesmo..... até parece que todo mundo aqui briga com patrão, faz as próprias regras.... falar é fácil.

Speeder_76 disse...

Parece que não, mas no final ainda derramamos lágrimas por eles. Nâo viste as manifestações de desagrado pelo fim da SA, em Tóquio? Nem a Lotus ou a Tyrrell tiveram coisas dessas!


A propósito... brigado por meteres o video. E aproveito para dizer que fiz uma crónica onde falo do fim da SA e do futuro da Formula 1. Se quiseres, vai lá ver e dá a tua opinião, pois acho que mais do que nunca, tem que se pensar nisso. Abraços!

Loucos por F-1 disse...

Acho que foi bom para F1 a Super Aguri ter ido embora. Melhor assim do que aquela mendiguês que estava acontecendo.

Abraços!

Leandro Montianele

Blog F1 Grand Prix disse...

Obrigado por todas as mensagens! E desculpe pela demora na resposta.

Lucas: O momento de maior disputa entre os dois foi logo depois da segunda rodada de pit stops. Schumacher saiu do box junto com Rubinho, e o brasileiro precisou ir para a grama para não bater...

Guilherme: Concordo com você que o Rubinho exagera às vezes, mas sem dúvida ele recebia um tratamento inferior na Ferrari. E a saída da Super Aguri é realmente uma grande pena. Temos muito a lamentar...

Maytop: Você falou tudo. Seu comentário resume exatamente o que aconteceu.

Grande abraço a todos!

Gustavo Coelho