quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Indefinição da Ferrari deixa o mercado de pilotos parado

É esperado para amanhã o anúncio do acordo entre a Ferrari e o Banco Santander, que deve substituir os cigarros Marlboro como principal patrocinador da escuderia italiana a partir do ano que vem.

A negociação já era conhecida há muito tempo, mas só agora parece pronta para ser revelada.

Espanhol como Fernando Alonso, o Santander sonha ver o bicampeão num dos carros vermelhos em 2010. Um sonho que não está tão longe assim de ser realizado.

Tradicionalmente, a Ferrari anuncia sua dupla de pilotos para o ano seguinte no GP da Itália. Talvez a esperada confirmação do acordo entre Alonso e o time de Maranello venha já neste fim de semana.

Dessa vez, entretanto, o quebra-cabeças do mercado de pilotos é bem mais complexo.

A Ferrari, por exemplo, tem quatro nomes de peso enfileirados para correr pela escuderia em 2010: Massa, Raikkonen, Alonso e... Schumacher. Que, segundo o chefe de equipe Stefano Domenicali, ainda não desistiu de retornar à Fórmula 1.

Diante desse dilema, não seria surpresa alguma se a Ferrari adiar a definição de seus planos. Se nada for anunciado neste fim de semana, inclusive, ficará claro que a opção natural de permanecer com Massa e Raikkonen está sendo questionada dentro da equipe.

Enquanto a primeira peça do dominó não cai, a dança das cadeiras para 2010 continua em compasso de espera.

As demais equipes, direta ou indiretamente, dependem da Ferrari para escolher seus pilotos.

A começar pela Renault. Uma equipe que, em meio ao escândalo de Cingapura, ainda nem sabe se vai continuar na Fórmula 1 em 2010.

Mas, se Alonso for mesmo para a Ferrari e a escuderia francesa permanecer na Fórmula 1, fica disponível um cockpit interessante para pilotos em busca de uma troca de ar.

Uma escolha provável da Renault seria Robert Kubica, que está sem contrato para 2010 com a saída da BMW, mas há outras opções.

Nomes como Heikki Kovalainen, Nico Rosberg, Timo Glock e Adrian Sutil estão em plena atividade neste ano e ainda não sabem onde vão correr na próxima temporada. Qualquer um deles, em tese, está em busca de opções para 2010.

Enquanto isso, permanece também a indefinição sobre os planos das equipes que vão estrear no ano que vem. Até agora, não há nenhum sinal vindo de USF1, Manor e Campos e não dá para saber o que realmente planejam cada uma delas.

Nos bastidores, especula-se também que grupos da Malásia, da Índia e da Suíça disputam a compra da BMW, o que complicaria ainda mais o panorama.

De fato, não dá para adivinhar o que vai acontecer nas próximas semanas.

Ao contrário deste ano - quando a saída de David Coulthard e a entrada de Sebastien Buemi foi a única mudança no grid do início da temporada - o campeonato de 2010 promete ter um pelotão bastante modificado.

Mas, para que a fila comece a andar, é preciso que a Ferrari mostre suas cartas.

Talvez isso já aconteça amanhã, mas a novela ainda deve durar muito mais tempo.

4 comentários:

F-1 A.L.C. disse...

todo ano depois dos anúncios da Ferrari vem uma avalanche de confirmaçòes de pilotos. te lembro que Nico azuzena Rosberg está cotado pela Mclaren e isso deixa a Kovarbeirlaien livre.

seria bom saber se o retorno de massa em 2010 é tão seguro quanto informan, quem sabe e Maranello tenha outros dados.

Ron Groo disse...

Não há indefinição por parte da Ferrari. Os contratos vigentes terminam em 2010, logo todo o resto é boataria.

Guilherme (RJ) disse...

Enquanto não houver certeza das condições para o Massa guiar um F1 a novela dos cockpits ainda se estenderá por muitos capítulos.

Anônimo disse...

Ei, Gustavo! Eu quero o palpitão para o GP da Itália, e também as suas apostas para o treino e a corrida!

Obrigado!